Arquivos:

Rio Grande do Norte

Apenas 13% das cidades do RN ampliaram a flexibilização

Governadora Fátima Bezerra anunciou nesta sexta-feira (10) que a próxima etapa de reabertura da economia estadual vai acontecer no proximo dia 15

Pelo menos 23 cidades do Rio Grande do Norte publicaram decretos municipais que ampliam a retomada gradual da economia, diferente das recentes decisões do Governo do Estado, que suspendeu o processo de reabertura e só pretende reiniciar novas frações do plano de reabertura no próximo dia 15. Entre as cidades que não acataram as regras do decreto estadual estão Natal, Parnamirim e Mossoró. As três cidades iniciaram novas fases da reabertura das atividades do comércio e de serviços ao longo da semana. Ao todo, apenas 13% dos municípios ampliaram a flexibilização da economia.

Juntas, as cidades de Natal, Parnamirim e Mossoró são as cidades somam 21.627 casos confirmados da doença, segundo a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap). O número representa 58,2% de todas as infecções contabilizadas de Covid-19 no Estado.

Em Natal, no entanto, na última quinta-feira (09), o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), o Ministério Público Federal no RN (MPF) e o Ministério Público do Trabalho (MPT) ingressaram com uma ação civil pública (ACP) contrária à retomada das atividades econômicas adotada pela Prefeitura do Natal. Na capital potiguar, já foi permitida a reabertura de vários setores não essenciais, mesmo com sistema de saúde lotado e sem perspectivas quanto ao fim da pandemia.

Em Parnamirim, que está em uma fase mais avançada na liberação de atividades comerciais, a Prefeitura local autorizou o funcionamento de bares na cidade a partir desta sexta-feira (10), inclusive com possibilidade de música ao vivo nos ambientes.

Segundo a governadora Fátima Bezerra, o fato de que apenas 20 cidades decidiram seguir as determinações do Estado é importante para a manutenção das ações de controle da pandemia. Segundo ela, isso permite uniformização das ações, reduzindo potenciais novos focos de contágio. Ela avalia como positiva a decisão de vário municípios da Região Metropolitana de Natal terem mantido regras rígidas de isolamento. “Muito importante termos as cidades de Extremoz, São Gonçalo do Amarante, Macaíba e Ceará-Mirim entre as que estão seguindo dos decretos do Estado”, disse.

Ainda segundo ela, a próxima fração de reabertura será iniciada no dia 15. A data foi confirmada após a redução dos números de internação de leitos críticos. A taxa verificada de ocupação para a Covid-19 ficou em 83%.

No começo da semana, o plano de retomada foi suspenso porque o índice estava em 92%, ou seja, superior ao índice estabelecido em decreto para reabertura, que é de 80%.“Estou confiante que na próxima semana possamos retomar o plano. E queremos fazê-lo de forma responsável”, disse a governadora.

Questionada sobre a suspensão no início da semana, Fátima esclareceu que o senso de responsabilidade pautou a decisão. “Naquele momento, não conseguimos assegurar que a ocupação de leitos estivesse inferior a 80%. Por isso, suspendemos o plano de retomada. Tivemos senso de responsabilidade em preservar a vida do povo do RN”.

PESQUISA DE PREVALÊNCIA

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) planeja iniciar ainda este mês uma pesquisa de prevalência do coronavírus em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O objetivo é conseguir obter informações de 30 mil amostras coletadas. Segundo o titular da pasta, Cipriano Maia, o projeto está em fase final de implantação.

A Sesap vai contratar uma empresa para obter os insumos para a coleta de amostras. A dúvida para o início dos trabalhos é o formato do teste que será utilizado para processar os dados.

“O projeto está pronto, já foi aprovado pelo comitê de ética, e estamos viabilizando a contratação de uma empresa para auxiliar na pesquisa e garantia dos insumos”, explicou.

De acordo com Cipriano Maia, os testes sorológicos, apesar de apresentarem resultados em curto prazo, podem indicar resultados inconclusivos. Já os do RT-PDR, de análise genética, têm maior segurança, mas também demandam mais tempo de processamento e são mais caros.

Ainda segundo ele, o estudo de prevalência permite a obtenção de dados mais precisos sobre comportamento do vírus.

“É um estudo desenhado para ser uma pesquisa amostral, com extratos
populacionais, para buscarmos saber qual proporção da população já teve coronavírus”, encerrou.

CIDADES QUE AMPLIARAM FLEXIBILIZAÇÃO

NATAL
PARNAMIRIM
MOSSORÓ
RIACHUELO
SANTA CRUZ
APODI
CERRO CORÁ
LAGES
MONTANHAS
PARANÁ
PUREZA
AFONSO BEZERRA
JOÃO CÂMARA
SERRA CAIADA
SEVERIANO MELO
SITIO NOVO
TENENTE ANANIAS
CAICÓ
GUAMARÉ
RIO DO FOGO
TIBAU DO SUL
SÃO JOSÉ DO MIPIBÚ
TANGARÁ

Agora RN
Coronavírus » Rio Grande do Norte

Pela 1ª vez, lista de espera por leitos críticos de Covid zera no RN; ocupação é de 77%

Ilustrativa

A lista de espera por um leito crítico de Covid-19 zerou pela primeira vez no Rio Grande do Norte. A informação é da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap). De acordo com os dados, o estado também possui 77% de ocupação destes leitos, o que superou a meta prevista pelo Governo do Estado para a segunda fase da retomada da economia.
O Governo do RN estipulou o número de 80% de ocupação, para que pudesse dar prosseguimento na próxima fase da reabertura da economia no estado, marcada para esta quarta-feira (15). Segundo a Sesap, de 284 leitos críticos, 220 estão ocupados, 50 estão livres e 14 estão indisponíveis.

Apesar de ter chegado a zero pela primeira vez, ainda neste domingo um paciente foi registrado no aguardo de regulação. A média de espera por um leito crítico caiu da marca de 30h, para pouco mais de 4h.

Agora RN
Rio Grande do Norte

Petrobras anuncia venda de campos de exploração de petróleo em águas rasas do RN

Sede da Petrobras no Rio Grande do Norte — Foto: Bruno Vital/G1

A Petrobras assinou nesta quinta-feira (9) um contrato para a venda de toda a sua participação nos campos de Pescada, Arabaiana e Dentão, localizados em águas rasas da Bacia Potiguar (Polo Pescada), no estado do Rio Grande do Norte. Os campos serão vendidos à OP Pescada Óleo e Gás Ltda., empresa subsidiária da Ouro Preto Óleo e Gás S.A., que já tinha 35% de participação no negócio.

De acordo com a empresa, valor da venda é de US$ 1,5 milhão, que deverá ser pago em duas parcelas: US$ 300 mil na assinatura do contrato e US$ 1,2 milhão no fechamento da transação, sem considerar os ajustes devidos.

“O fechamento da transação está sujeito ao cumprimento de condições precedentes, tais como a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) e pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP)”, informou a Petrobras.

Segundo estatal, a venda está de acordo com as diretrizes para desinvestimentos da empresa e com os decretos federais que tratam da cessão dos direitos à exploração e produção.

“Essa operação está alinhada à estratégia de otimização do portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia, passando a concentrar cada vez mais os seus recursos em águas profundas e ultra profundas, onde a Petrobras tem demonstrado grande diferencial competitivo ao longo dos anos”, informou ainda a empresa.

Sobre o Polo Pescada

O Polo Pescada compreende três campos de águas rasas: Pescada, Arabaiana e Dentão, localizado no estado do Rio Grande do Norte. A Petrobras é operadora dos três campos com 65% de participação e a OP Pescada Óleo e Gás Ltda detém os 35% restantes em consórcio.

A produção média do Polo Pescada de janeiro a junho de 2020 foi de aproximadamente 260 barris de óleo por dia (bpd) e 190 mil m3/dia de gás.

Em dezembro de 2019, a Petrobras concluiu a venda de toda a sua participação em 34 campos de produção terrestre de petróleo no estado à empresa Potiguar E&P S.A, subsidiária da Petrorecôncavo S.A dentro do seu plano de desinvestimento.

G1 RN
Rio Grande do Norte

RN: Pedidos de seguro-desemprego sobem 30% em junho

População aguarda em frente a agência da Caixa em Natal para receber Auxílio Emergencial

O Ministério da Economia recebeu 653,1 mil pedidos de seguro-desemprego em junho, um aumento de 28,4% em relação ao mesmo período do ano passado. Esse é o terceiro mês seguido de avanço de dois dígitos nos pedidos, impulsionados pela pandemia do coronavírus e os pelos consequentes impactos na economia brasileira.
No primeiro semestre, o seguro-desemprego foi pedido por 3,9 milhões de pessoas, um aumento de 14,8% na comparação com igual período do ano passado.

Desde março, quando começaram as medidas de isolamento que impactaram a atividade econômica os pedidos somam 2,8 milhões (um aumento de 26% em relação a igual período do ano passado).

Apesar do aumento em relação a 2019, o número de pedidos caiu quando a comparação é feita com maio. Neste cenário, a redução foi de 32% em relação ao mês anterior, quando foram registrados 960.309 requerimentos.

Segundo os dados, os três estados com maior quantidade de requerimentos foram São Paulo (199.066), Minas Gerais (70.333) e Rio de Janeiro (52.163). No Rio Grande do Norte, foram 7.020 pedidos de seguro-desemprego no mês passado, um aumento de 30% com relação ao mesmo mês do ano passado, quando foram registrados 5.390 pedidos. Em relação a maio de 2020, houve uma queda de 33%, já que no mês anterior mais de 10,5 mil trabalhadores entraram com pedido para receber o benefício.

Por setor, em todo o País, os pedidos se distribuíram entre serviços (41,7%), comércio (25,4%), indústria (18,7%), construção (10,1%) e agropecuária (4,1%).

Agora RN
Rio Grande do Norte

Templos da Igreja Católica no RN não serão reabertos no mês de julho

Padre Paulo Henrique da Silva, vigário geral da Arquidiocese

Os templos da Igreja Católica no Rio Grande do Norte não serão reabertos neste mês de julho. “Isso faz com que sigamos um caminho de conscientização de toda a província. Os bispos determinaram que quando chegar o momento de reabertura das igrejas, que isso aconteça de modo coerente, com a comunhão entre as três dioceses”, disse o vigário geral da Arquidiocese, Padre Paulo Henrique da Silva.

 

 

Agora RN
Rio Grande do Norte

Morre Zé dos Montes, aposentado que construiu castelo por 36 anos em Sítio Novo, no Agreste do RN

Zé seguiu carreira militar até a aposentadoria na década de 1980, quando passou a se dedicar exclusivamente a construção do castelo

Morreu na segunda-feira (6) o aposentado José Antônio Barreto, ou simplesmente Zé dos Montes, aos 88 anos. Criador do Castelo Zé dos Montes, um dos monumentos mais famosos do Rio Grande do Norte, o sargento aposentado do Exército foi sepultado na manhã desta terça-feira (7) em Sítio Novo, Agreste potiguar.

A cerimônia modesta e silenciosa foi restrita a alguns familiares por causa dos protocolos de contenção da Covid-19, contrastando com o legado deixado por Zé. O aposentado teve uma morte natural e descansou após ter enfrentado dois AVCs, problemas cardíacos e falência respiratória ao longo dos 88 anos de muita história.

Zé seguiu carreira militar até a aposentadoria na década de 1980, quando passou a se dedicar exclusivamente a construção do castelo. Nascido em São José de Mipibu, na Região Metropolitana de Natal, Zé se criou em Pedro Avelino e também morou em Natal, mas foi em Sitio Novo que o sargento reformado firmou sua fortaleza.

A obra faraônica erguida no meio das serras do Agreste do Rio Grande do Norte começou a ser construída em 1984 após uma visão espiritual, que Zé afirma ter recebido. Nela, uma senhora de vestido azul se revelou ao menino de 8 anos que apanhava lenha em um monte. Nesse momento nasce o projeto pelo qual José Antônio Barreto seria eternizado como Zé dos Montes.

Antes, Zé tentou dar forma a visão celestial em dois bairros de Natal: Igapó e Quintas. Porém, a ideia não prosperou porque ele sentiu que os lugares não eram apropriados para o castelo. Depois de muita peregrinação, Zé chega a Sítio Novo e encontra na Serra de Tapuia o terreno ideal para o castelo, cujo projeto estava todo desenhado na cabeça depois de 13 visões com a mulher de vestido azul.

Desafiando engenheiros e arquitetos, Zé iniciou a construção da sede do seu “reinado” – que tem mais de 100 compartimentos – sem nenhum projeto no papel. “Foi tudo da cabeça dele”, dizem familiares. O militar-engenheiro-profeta se dedicou a construção até os últimos anos de vida. Foram 36 anos de obras do monumento que ainda não tem data para acabar.

O filho de Zé dos Montes foi adotado quando tinha 4 anos e acompanhou toda a trajetória do pai pela realização do sonho do castelo. “Ele construiu uma história linda. Me criou, não deixou faltar nada. Quando tentavam me menosprezar por ser filho adotivo, ele repreendia. Sempre me senti muito acolhido e abraçado por ele. Era um afeto sem tamanho”, lembra o herdeiro do castelo.

O Castelo de Zé dos Montes está fechado para visitações por causa do novo coronavírus. As visitações estão suspensas e serão retomadas nas próximas semanas, a depender do comportamento da pandemia. O monumento fica em uma serra entre os municípios de Sítio Novo e Tangará, a cerca de 100 quilômetros de Natal.

G1
Rio Grande do Norte

RN recebe quase R$ 1 bilhão em aplicações do BNB no primeiro semestre do ano

Ilustrativa

O Banco do Nordeste investiu, no primeiro semestre deste ano, R$ 18,4 bilhões na economia regional, valor correspondente a mais de 2,3 milhões de operações. Contemplado com 5,3% dos recursos do FNE, o BNB aplicou no Rio Grande do Norte, neste primeiro semestre do ano, R$ 983,9 milhões, para um total de 19,5 mil operações.
No que se refere à atuação do programa Crediamigo no Estado, as contratações somaram R$ 314,9 milhões aplicados, distribuídos em mais de 107,8 mil operações, o que retrata um ticket médio da ordem de R$ 2,9 mil por operação.

O valor aplicado pelo Banco do Nordeste, em meio à pandemia de Covid-19, foi praticamente igual ao realizado no primeiro semestre de 2019, quando o Banco contratou R$ 18,8 bilhões. “Esse desempenho reforça a importância do Banco do Nordeste como agente de desenvolvimento da região e evidencia o cumprimento de sua missão de estar ao lado dos empreendedores nas adversidades”, realça o presidente do Banco, Romildo Carneiro Rolim.

O presidente da instituição afirma, ainda, que “o Banco do Nordeste, além de estar cumprindo seu papel, integrado às diretrizes do Governo Federal, está, cada vez mais, aprimorando seus processos de crédito para atender as demandas de acordo com as necessidades dos empreendedores, conferindo celeridade na concessão do financiamento e mais comodidade para o cliente”.

Do total aplicado este ano, R$ 12,5 bilhões, distribuídos em 282,3 mil operações, são oriundos do Fundo Constitucional de Financiamento Nordeste (FNE), principal funding do Banco. No mesmo período, o BNB aplicou R$ 4,3 bilhões na região semi-árida do Nordeste, valor equivalente a 45,4% dos recursos do Fundo. Do montante aplicado com recursos do FNE, destacam-se as contratações com Micro e Pequenas Empresas, que somam R$ 2,2 bilhões, distribuídas em mais de 24 mil operações de crédito.

Microcrédito
Por meio dos programas de microfinanças o Banco do Nordeste investiu R$ 6,1 bilhões neste primeiro semestre do ano. Em meio à pandemia, somente o programa de microcrédito urbano, Crediamigo, contratou, nesse período, R$ 4,9 bilhões por meio de 2 milhões de operações. Já o Agroamigo, programa de microcrédito rural, realizou 242,9 mil operações, correspondentes a R$ 1,2 bilhão.

Crédito especial
Durante a pandemia, a partir de 16 de março, o Banco buscou diversas formas de minimizar os efeitos da crise econômica em sua área de atuação. Para isso, além das novas contratações, o Banco suspendeu parcelas dos financiamentos de longo prazo e prorrogou também os empréstimos do programa de microcrédito urbano, levando prestações que venceram entre março e maio para o final dos empréstimos.

O BNB também está operacionalizando a linha FNE Emergencial, criada exclusivamente para apoiar os empreendedores durante a pandemia. A linha de crédito está disponível até 30 de setembro e oferece taxa de 2,5% ao ano tanto para investimentos como para capital de giro. Os novos financiamentos têm carência até dezembro deste ano e limites de R$ 200 mil para investimento e R$ 100 mil para capital de giro isolado.

Agora RN
Educação » Rio Grande do Norte

Professor da UFRN de Currais Novos participa da elaboração de dicionário com termos sobre o coronavírus

O projeto já conta com traduções em cinco idiomas

Um professor cearense está envolvido na elaboração de um dicionário voltado apenas para termos relacionados ao novo coronavírus. O professor Márcio Santiago, do Departamento de Letras do Centro de Ensino Superior do Seridó da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) – Ceres Currais Novos, é o responsável pelos termos na Língua Portuguesa. O projeto já conta com traduções em cinco idiomas: catalão, espanhol, português, inglês e francês.

Iniciativa do Centro de Terminologia da Catalunha (TERMCAT), em Barcelona (Espanha), a plataforma digital “Termes del Coronavirus” – Termos do Coronavírus, em tradução literal para o português – tem o envolvimento também do Departamento de Saúde do Governo da Catalunha, a Sociedade Catalã do Dicionário Enciclopédico de Medicina (SOCDEMCAT).

“Essa instituição é um órgão do governo catalão e eu já colaborei com eles outras vezes, em 2014 eu participei da elaboração do dicionário das redes sociais [com eles também].Dada essa minha formação e a minha colaboração anterior, estivemos em contato e estou participando”, conta o professor Márcio Santiago, que possui mestrado e doutorado na área de Terminologia, sobre como surgiu a parceria para participação no projeto.

O dicionário online já possui cerca de 140 termos, no momento, e segue aberto para atualizações. “Esse dicionário foi elaborado, mas ele está em processo de atualização semanal, praticamente. Porque é tudo muito dinâmico, o coronavírus vai se desenvolvendo e as notícias vão se desenvolvendo, e a obra é aberta, [então] vai atualizando de acordo com a evolução da pandemia e as notícias a respeito”, explica o professor cearense.

O dicionário que contém informações relevantes sobre o vírus Sars-Cov-2, sobre a doença que ele causa, a Covid-19, e sobre termos bastante usados durante esse período pandêmico recebe a colaboração o professor na hora de traduzir os termos para o Português. Eles me mandam as listas, dos termos, em Catalão e em Espanhol, e então eu devolvo para eles com os termos equivalentes em Português”, explica.

O professor também ressalta que não é apenas uma tradução comum, básica, do termos que é feita, tem todo um estudo envolvido. “Esse equivalente não é uma escolha livre, envolve uma pesquisa em documentos oficiais. Existem traduções que são bem distintas, alguns mais complexos, que precisam ser buscadas em dicionários especializados”, comenta. “Por exemplo, o termo ‘velocidade reprodutiva empírica’, que não tem em Português, e aí a gente tem que procurar o termo equivalente em português para poder oferecer uma informação confiável”, completa.

Blog do Ismael Medeiros
Rio Grande do Norte » Saúde

RN: Covid já matou 20 profissionais da saúde e infectou mais de 3 mil

boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap/RN) aponta que 2% das mortes por Covid-19 no Rio Grande do Norte são de profissionais da Saúde, o que resulta em aproximadamente 20 mortes. Os dados são desta terça-feira (30).

Neste dia, haviam sido confirmados 1.034 óbitos. Nesta quinta-feira (2), o número de óbitos saltou para 1.095 (+61). Em relação a casos confirmados, 13% são profissionais da Saúde, o que resulta em 3.937 pessoas. O Estado tem 32.578 contaminados pela doença até esta quinta.

Nesta quarta-feira (1º), dois médicos morreram vítimas da doença causada pelo novo coronavírus. Nivaldo Sereno de Noronha Júnior, de 52 anos, foi presidente da Sociedade Potiguar de Pediatria (Sopern) de 2010 a 2016. Atualmente, o profissional atuava na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal do Hospital Santa Catarina.

Paulo Matos de Castro, de 64 anos, era pediatra, gastroenterologista e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O médico prestou serviços no Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL) por trinta anos.

As mortes foram lamentadas pela Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Norte (SOPERN) por meio de notas.

Condições de trabalho

A Sesap desenvolveu estudos analíticos sobre o perfil dos profissionais da Saúde infectados com a Covid-19, que oferecem elementos para a necessária orientação na condução de gestores, pesquisadores e estudiosos

A pesquisa questionou os profissionais acerca do uso de equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) nas instituições que exercem suas atividades laborais. Cerca de 72% afirmam a existência desses equipamentos em quantidade e qualidade adequadas, outros 20%, discorreram sobre a falta de equipamentos para enfrentamento a pandemia nas unidades de saúde, 8% não quiseram se pronunciar.

O estudo pontua que 83% dos profissionais de saúde notificados, referem terem se afastado de suas atividades laborais, imediato ao aparecimento dos primeiros sintomas, e ressaltam que cumpriram sua quarentena sem problemas com os empregadores, sejam eles públicos ou privados.

A maioria dos profissionais afetados são técnicos em enfermagem (37,2%), enfermeiros (11,8%) e Médicos (8,9%). Aproximadamente 48% dos trabalhadores e trabalhadoras da saúde que contatos pela Sesap desenvolveram apenas sintomas leves e/ou moderados e outros e já apresentam cura.

O levantamento revela que 64,6% dos infectados correspondem a faixa etária de 30 a 49 anos, o que pode ser um indicador no que se refere a maior incidência de casos leves e moderados, visto que é uma das razões para a baixa mortalidade.

Foi observado, ainda, que existe uma maior incidência do sexo feminino (70,9%). A secretaria explica que o resultado é justificado pelo fato da grande maioria dos profissionais da saúde serem do sexo feminino.

Dos 3.937 casos a maioria são de cor parda com 37,3% sendo 1.061 do sexo feminino, em seguida os da cor branca com 31,5% sendo 909 também do sexo feminino. É fundamental informar que as informações são auto declaradas e foi apresentada a Sesap por meio da ficha de notificação.

Natal é o município com a maior concentração, correspondendo a 50,0% casos com profissionais de saúde infectados. O município de Parnamirim é o segundo, com 9,9%, seguidos de Mossoró com 8,2% e São Gonçalo do Amarante com 5,2%.

Mortes de médicos no RN

05 de abril: Earia Altamira de Oliveira
16 de abril: Elio Cesar Marson
19 de abril: Jayme de Oliveira Junior
06 de maio: Solon Pereira Lopes Ferreira
11 de maio: Tatiana Calife da Silva (estudante)
24 de maio: João Batista Medeiros Costa
25 de maio: Valéria Calife da Silva
18 de junho: Adelmaro Cavalcanti Cunha Júnior
21 de junho: Vital Avelino Maia Neto (estudante)
28 de junho: Samir Assi João
01 de julho: Nivaldo Sereno de Noronha Júnior
01 de julho: Paulo Matos de Castro

Agora RN
Rio Grande do Norte

Governadora anuncia que aulas presenciais podem ser retomadas em agosto no RN

Governadora Fátima Bezerra

A governadora anunciou nesta terça (30) que as aulas presenciais no Rio Grande do Norte podem ser retomadas em 14 de agosto. As aulas estão suspensas desde 18 de março por causa da pandemia do coronavírus.
Em entrevista ao Bom Dia RN, da Intertv Cabugi, Fátima Bezerra afirmou que a retomada das aulas presenciais “passa por uma série de medidas porque tem que se dar de maneira muito segura” e que a data ainda é um indicativo e não está definida.

“Temos uma grande preocupação do ponto de vista da aprendizagem. A maior parte dos alunos da rede pública não têm internet, e o Enem tá aí, vai ter Enem. Estamos muito preocupados com isso e a discussão que está sendo feita é para que a gente possa retomar as aulas a partir de 14 de agosto”, afirmou a gestora.

‘Ainda não é tempo de normalidade’, diz governadora
A governadora Fátima Bezerra (PT) alertou a população que, apesar do início da retomada das atividades econômicas do Rio Grande do Norte, ainda “não é tempo de normalidade” e é preciso manter o distanciamento social. O primeiro decreto que suspendeu o funcionamento das atividades econômicas por causa da pandemia do coronavírus é de 20 de março.

Em entrevista ao Bom Dia RN nesta terça (30), a gestora disse ainda que novos leitos devem ser abertos ainda esta semana para que o Estado chegue à taxa de 80% de ocupação. Além disso, a governadora afirmou que o Estado vai requisitar leitos de hospitais privados para atendimento no SUS.

“Vamos requisitar, se necessário, aos hospitais privados para que esses leitos que foram instalados para pacientes da Covid-19 não sejam desmobilizados para que a gente possa contratar mais leitos da rede privada”, disse.

O decreto de 4 de junho previa como condição essencial para a implementação inicial do plano de retomada gradual das atividades econômicas no Rio Grande do Norte “que exista desaceleração da taxa de transmissibilidade da COVID-19 de maneira sustentada e a ocupação dos leitos públicos de UTI seja inferior a 70%”.

No entanto, de acordo com a governadora, essa taxa de ocupação de leitos agora deve ser de, no mínimo, 80%. Na manhã desta terça (30) a ocupação era de 87%. “Ainda esta semana serão entregues 15 leitos no Hospital João Machado para pacientes com Covid-19, o que vai diminuir essa taxa de ocupação”, disse a gestora.

Ela ressaltou que a retomada deve ser feita seguindo todos os protocolos de segurança sanitária que inclui, dentre outras coisas, a obrigatoriedade do uso da máscara e a disponibilização de álcool em gel em todos os estabelecimentos comerciais.

“Nós não queremos ter retrocesso, muito pelo contrário, nós queremos que essa retomada se dê de forma gradual, segura e para isso o compromisso de todos é fundamental. Entender que não estamos em tempo de normalidade de maneira nenhuma, é tempo de ficar em casa, só sair quando realmente necessário, e quando sair não esquecer do uso da máscara. As empresas têm que cumprir fielmente todos os protocolos do decreto para que nós tenhamos uma retomada com toda a segurança e tranquilidade que a população do RN deseja e merece”.

Apesar disso, a governadora afirmou que titubeará em retroceder na retomada das atividades se a taxa de ocupação de leitos e a taxa de transmissibilidade da Covid-19 aumentarem. “Eu não titubearei, em primeiro lugar, a defesa da vida. O emprego a gente corre atrás, a aula a gente repõe, mas a vida não tem volta de maneira nenhuma”, disse.

“Continuamos recomendando e pedindo às prefeituras que os acessos às praias continuem interditados. Continuaremos com todas as medidas de distanciamento social, elas são extremamente necessárias para que esse primeiro passo da retomada gradual seja seguro, para que a gente dê um passo seguro para as fases 2 e 3”, concluiu.

O Rio Grande do Norte registra 29.721 casos confirmados de Covid-19 e 994 mortes causadas pela doença.

G1

Últimos Eventos

21/09/2019
São Vicente/RN
03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!