Auxílio

Caixa pagou já R$ 70,8 bilhões

A Caixa Econômica Federal pagou R$ 70,8 bilhões de auxílio emergencial, somadas ambas as parcelas, informou nesta terça-feira (26) o presidente do banco, Pedro Guimarães. No total, 56,9 milhões de pessoas receberam alguma parcela do benefício desde que o programa foi criado, em abril, para ajudar as pessoas a enfrentar os impactos da crise causada pela Covid-19.

Considerando apenas a segunda parcela, que começou a ser paga há uma semana, 44,2 milhões de brasileiros receberam R$ 30,9 bilhões. O auxílio emergencial é de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras), por parcela.

Do total pago até agora, R$ 25,8 bilhões foram para beneficiários do Bolsa Família, R$ 14 bilhões para aqueles inscritos no Cadastro Único para os Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e R$ 31 bilhões para trabalhadores informais que se cadastraram pelo site auxilio.caixa.gov.br ou pelo aplicativo Caixa Auxílio Emergencial.

O banco recebeu 106,3 milhões de solicitações de cadastro no aplicativo e no site, das quais 101,2 milhões foram processadas até agora. O cadastro no programa pode ser feito até o dia 3 de junho.

Do total de cadastros processados, 59 milhões foram considerados elegíveis e 42,2 milhões inelegíveis. Cerca de 10,1 milhões de pessoas ainda aguardam para saber se terão o benefício: 5,1 milhões de cadastros estão em análise e outros 5 milhões em reanálise, quando o cadastro foi considerado inconsistente e a Caixa permitiu a correção de informações.

Saques
Hoje puderam sacar o auxílio emergencial 2,6 milhões de pessoas. Desse total, 700 mil tiveram a primeira parcela liberada no último dia 15 e 1,9 milhão de beneficiários do Bolsa Família estão recebendo a segunda parcela. O calendário escalonado de retiradas obedece ao mês de nascimento, no caso da retirada da primeira parcela, e do final do Número de Inscrição Social (NIS) para os inscritos no Bolsa Família.

Os trabalhadores informais e os inscritos no CadÚnico estão recebendo o benefício apenas por meio da conta poupança digital e só poderão sacar ou transferir o dinheiro a partir de sábado (30), conforme o mês de nascimento. Até lá, o auxílio emergencial só poderá ser movimentado por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de boletos bancários, de contas domésticas (água, luz, telefone e gás) e compras em estabelecimentos parceiros.

Segundo Guimarães, foram registradas poucas filas nas agências hoje. O principal motivo, explicou ele, é a crescente utilização do aplicativo Caixa Tem e do cartão de débito virtual para movimentar as contas poupança digitais. “Aos poucos, a população está aprendendo a usar o aplicativo para pagar contas e fazer compras”, disse.

Em relação ao cartão de débito, o vice-presidente de Tecnologia da Caixa, Cláudio Salituro, disse que ontem (25) foram registradas 644,1 mil transações por débito, no valor total de R$ 244,2 milhões. O pagamento de boletos e de contas domésticas pelo Caixa Tem somou 1,5 milhão de transações, no valor de R$ 475 milhões.

O presidente da Caixa reforçou que não é preciso chegar de madrugada nas agências para garantir o atendimento. O banco tem informado que atenderá todas as pessoas que chegarem às agências no horário, das 8h às 14h.

Calendário
Nesta terça, puderam sacar a primeira parcela em dinheiro os beneficiários nascidos em setembro. Nesta quarta (27) sacarão os aniversariantes de outubro; na quinta-feira (28), os nascidos em novembro; e, na sexta-feira (29), os aniversariantes de dezembro.

Hoje, a Caixa concluiu o depósito da segunda parcela nas contas digitais para trabalhadores autônomos e pessoas inscritas no CadÚnico. Receberam o dinheiro os beneficiários nascidos em novembro e dezembro.

O calendário para saques da segunda parcela é diferente do calendário do crédito nas contas digitais e começa no sábado (30), para os nascidos em janeiro. Em 1º de junho, os saques serão permitidos para quem nasceu em fevereiro, seguindo nessa ordem até 13 de junho para os nascidos em dezembro. No dia 7 de junho (domingo) não haverá saques.

Agência Brasil
Rio Grande do Norte » Sem categoria

Bispos do RN recomendam que igrejas permaneçam fechadas

Recomendação foi feita nesta segunda

Os bispos da Província Eclesiástica de Natal (Arquidiocese de Natal, Diocese de Mossoró e Diocese de Caicó), publicaram nesta segunda-feira (25) uma nota que recomenda que as igrejas e catedrais continuem fechadas durante a pandemia provocada pelo novo coronavírus.

A recomendação acontece depois da portaria publicada no último sábado (23) que regulamenta o funcionamento das igrejas, permitindo a realização dos encontros religiosos com algumas orientações sanitárias.

A nota foi assinada por Dom Jaime Vieira Rocha (Arcebispo Metropolitano de Natal), Dom Mariano Manzana (Bispo Diocesano de Mossoró) e Dom Antônio Carlos Cruz Santos (Bispo Diocesano de Caicó).

Confira a nota abaixo:

“Em espírito de comunhão fraterna e eclesial; atentos à realidade e a dureza dos fatos e dos números, no que se refere à pandemia do coronavírus; sensíveis aos apelos do Povo fiel católico; e movidos pelo dever de zelar e promover a vida humana, exortamos mais uma vez ao povo potiguar para que permaneça empenhado no cumprimento da recomendação de isolamento social. Deste modo, reafirmamos a determinação para que nossas igrejas (catedrais, matrizes e capelas) permaneçam fechadas, até que tenhamos condições de dispor em contrário. O penoso tempo que atravessamos e as restrições que nos impõem distanciamento físico trazem sofrimento ao nosso coração e isto nos ajuda a compreendermos ainda melhor a dor da nossa gente. Exortamos, pois, aos nossos colaboradores padres, aos fiéis católicos e a todas as pessoas de boa vontade a permanecerem firmes na esperança. Rogamos a Nossa Senhora da Apresentação, Santa Luzia e a Senhora Sant’Ana, padroeiras destas nossas igrejas particulares, para que intercedam por nós, neste momento de maior dificuldade, junto a Jesus, nosso Senhor e Salvador”.

Agora RN
Currais Novos

Confirmado mais um caso de Covid-19 em Currais Novos

Confirmado, através da Secretaria de Saúde do Município, nesta segunda-feira (25), décimo oitavo caso do novo Coronavírus em Currais Novos.

Trata-se de paciente do sexo feminino, na faixa etária de 30 a 40, diagnósticada via RT- PCR (swab). A paciente encontra-se em isolamento domiciliar e estável.

Auxílio

Caixa pagou R$ 65,5 bilhões em auxílio emergencial

Considerando apenas a segunda parcela, que começou a ser paga há uma semana, 37,5 milhões de brasileiros receberam R$ 26 bilhões

A Caixa Econômica Federal pagou R$ 65,5 bilhões de auxílio emergencial, somadas as primeiras e segunda parcelas, informou nesta segunda-feira (25) o presidente do banco, Pedro Guimarães. No total, 55,9 milhões de pessoas receberam alguma parcela do benefício desde que o programa foi criado em abril, para ajudar as pessoas a enfrentar os impactos da crise causada pela Covid-19.

Considerando apenas a segunda parcela, que começou a ser paga há uma semana, 37,5 milhões de brasileiros receberam R$ 26 bilhões. O auxílio emergencial é de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras), por parcela.

Do total pago até agora, R$ 24,3 bilhões foram para beneficiários do Bolsa Família, R$ 13,9 bilhões para aqueles inscritos no Cadastro Único para os Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e R$ 27,3 bilhões para trabalhadores informais que se cadastraram pelo site auxilio.caixa.gov.br ou pelo aplicativo Caixa Auxílio Emergencial.

Os cadastros processados para pedir o benefício chegaram a 101,2 milhões. Desse total, 59 milhões foram considerados elegíveis e 42,2 milhões inelegíveis. Cerca de 9,7 milhões de pessoas ainda aguardam para saber se terão o benefício: 4,9 milhões de cadastros estão em análise e outros 4,8 milhões em reanálise, quando o cadastro foi considerado inconsistente e a Caixa permitiu a correção de informações. O cadastro no programa pode ser feito até o dia 3 de junho.

Saques

Hoje puderam sacar o auxílio emergencial 2,5 milhões de pessoas. Desse total, 700 mil tiveram a primeira parcela liberada no último dia 15 e 1,9 milhão de beneficiários do Bolsa Família estão recebendo a segunda parcela. O calendário escalonado de retiradas obedece ao mês de nascimento, no caso da retirada da primeira parcela, e do final do Número de Inscrição Social (NIS) para os inscritos no Bolsa Família.

Os trabalhadores informais e os inscritos no CadÚnico estão recebendo o benefício apenas por meio da conta poupança digital e só poderão sacar ou transferir o dinheiro a partir de sábado (30), conforme o mês de nascimento. Até lá, o auxílio emergencial só poderá ser movimentado por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de boletos bancários, de contas domésticas (água, luz, telefone e gás) e compras em estabelecimentos parceiros.

Segundo o vice-presidente de Tecnologia da Caixa, Cláudio Salituro, foram registradas poucas filas nas agências hoje. Ele reforçou que não é preciso chegar de madrugada nas agências para garantir o atendimento. O banco tem informado que atenderá todas as pessoas que chegarem às agências no horário.

Em relação ao cartão de débito, Salituro disse que ontem (24) foram registradas 387 mil transações por débito (no valor total de R$ 113,8 milhões) e 19,4 mil saques (R$ 11,3 milhões).

Calendário

Nesta segunda, puderam sacar a primeira parcela em dinheiro os beneficiários nascidos em agosto; na terça-feira (26), os nascidos em setembro; na quarta-feira (27), os aniversariantes de outubro; na quinta-feira (28), os nascidos em novembro; e, na sexta-feira (29), os aniversariantes de dezembro.

Em relação ao depósito da segunda parcela nas contas digitais, recebem os beneficiários nascidos em setembro e outubro. Amanhã, o dinheiro será creditado nas contas digitais dos nascidos em novembro e dezembro. O calendário para saques da segunda parcela é diferente do calendário do crédito nas contas digitais e começa no sábado (30), para os nascidos em janeiro.

Em 1º de junho, os saques serão permitidos para quem nasceu em fevereiro, seguindo nessa ordem até 13 de junho para os nascidos em dezembro. No dia 7 de junho (domingo) não haverá saques.

Agência Brasil
Coronavírus

Com 807 mortes em 24h, Brasil tem mais de 23 mil vítimas da Covid-19; casos são 374.898

Dados foram atualizados nesta segunda-feira (25) pelo Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde informou nesta segunda-feira (25) que o país chegou a 374.898 casos confirmados e 23.473 mortes pelo novo coronavírus. No domingo (24), eram 22.666 óbitos.

Em 24 horas, foram anunciadas mais 807 mortes, de acordo com a pasta. Foram 11.687 casos incluídos no balanço em um dia. A taxa de letalidade está em 6,3%.

Agora RN
Música

Artistas chegam a faturar mais de 1 milhão de reais com lives

Luan Santana e Marília Mendonça faturam com lives

Desde que a quarentena pela pandemia de Covid-19 começou no Brasil, diversos artistas já se apresentaram de casa com transmissão ao vivo. Gusttavo Lima foi um dos pioneiros do novo modelo de shows e fez uma apresentação histórica com cerca de cinco horas de duração.
Se hoje as lives viraram um fenômeno, há alguns anos, a situação era bem diferente. Segundo Filipe Callil, CEO da ClapMe, empresa que trabalha com live streaming desde 2013, era um desafio provar a importância das transmissões ao vivo.

“A gente tinha uma dificuldade em convencer as pessoas que elas tinham que fazer live, principalmente artistas. Eles costumavam dizer ‘a transmissão ao vivo vai comprimir meu áudio, vai deixar minha voz anasalada. Cantar na minha casa? Imagina, vai expor minha privacidade e minha família…'”, relembra o empresário, que começou a ver uma mudança de comportamento quando o Facebook implementou a ferramenta de lives por conta das Olímpiadas de 2016 e, pouco tempo depois, também no Instagram.

Com a pandemia, as transmissões ao vivo se tornaram a única alternativa para o mercado musical obter receita e os artistas acabaram se rendendo ao formato. Atualmente, Filipe estima que grandes nomes da música, como Luan Santana e Marília Mendonça, possam faturar mais de 1 milhão de reais cada um por live.

“Isso só de patrocínio, porque há um impasse com relação ao pagamento do YouTube em cima das views. Mas se eles fecham três cotas de 300 mil reais cada uma nas lives…”, declara.

O que as marcas procuram?

As transmissões ao vivo também fizeram as empresas e especialistas de marketing saírem da caixinha. Filipe explica que a live nunca foi vista como uma ferramenta de compra de mídia, como acontece agora.

“Muitos pensavam: ‘Por que vou botar minha grana numa live do Gusttavo Lima e, de repente, ter a imagem da minha marca atrelada a algo não muito legal, se posso comprar mídia no YouTube ou em um portal, onde tenho segurança?’ Na quarentena, a live começou a ganhar audiência, repercussão e virou basicamente a saída para todo mundo.”

Thays Almendra, CEO da Social Digital BR e especialista em planejamento estratégico de projetos digitais e marketing de influência, afirma que desde o início da pandemia surgiram inúmeros pedidos de anúncios em lives. Para atender as marcas e indicar um artista, Thays diz que precisa entender as necessidades individuais.

“A primeira pergunta que eu faço é: qual seu objetivo? Se a marca ‘x’ quer o maior alcance de todos com total de views de 15 milhões, você pensa em Gusttavo Lima ou Simone e Simaria. Tem marca que investe em lives pequenas, porque ela quer de fato alcançar o público nichado daquele artista. Mas, muito mais do que ter alcance, uma live tem que ter alguma relevância tanto para a marca, quanto para o artista”, explica.

Thays afirma que a live por si só não vai trazer a conversão imediata que a marca procura, pois existe todo um fluxo de compra (interação com QR code ou cross com outras mídias, por exemplo). Mas, diante da grande visibilidade dos shows ao vivo, ela acredita que o investimento seja o mais vantajoso atualmente.

“A live está na crista da onda e os clientes vão querer estar por trás dela. Os olhos das pessoas estão voltados para o digital, principalmente para o YouTube. Cresceu muito a procura de quem não usava essa ferramenta (75% de aumento na faixa etária de 35 a 54 anos, segundo dados da Kantar). Se você for ver o ibope no momento que passa seu comercial na TV e a quantidade de pessoas atingidas, o alcance que determinadas lives têm, muitas vezes, é maior. Acho que uma coisa não anula a outra, mas se você tem só uma grana pra investir, eu investiria na live.”

Futuro das lives pós-pandemia

Para Filipe, o uso do streaming e as ramificações em cima deste mercado que vão surgir daqui pra frente são um caminho sem volta.

“Se antes já era uma tecnologia latente, prestes a explodir, agora, a marca que não fizer ativações pensando em live, depois da quarentena e do boom das lives, vai estar para trás. Não dá pra prever os novos produtos e ideias que virão, fugindo da parte da música, esporte, gastronomia para outras frentes. Mas a gente quer estar na guarda como autoridade e ditador de tendência. É briga de cachorro grande”, avalia o especialista.

Thays engrossa o coro e declara que, apesar de as lives já serem tendência entre gamers e grandes festivais no passado, foi aceita pelos músicos e veio para ficar.

“O digital virou o foco da campanha, trouxe autenticidade para os conteúdos. Os artistas e influenciadores vão repensar que as pessoas querem estar mais próximas deles. O que acho que vai cair são influenciadores fakes que não dão a cara a tapa. Pode ser em live, ou em outro formato que vier pós-pandemia, o que vai impactar de fato é a realidade, o que está acontecendo na sua casa? A live veio a partir disso, dentro da casa do artista e do influenciador”, sugere.

R7
Brasil

Após Brasil bater recordes, cinco Estados se aproximam do colapso

Aglomeração de parentes de internados infectados por Coronavírus aguardam informações na frente do Hospital da Mooca, em São Paulo

O Brasil chegou a marcas impressionantes, e bastante preocupantes, na última semana em relação ao avanço da Covid-19. Num único dia, bateu recordes negativos da doença, caminhando para números assustadores. Registrou 1.188 mortes na quinta-feira, dia 21, e ultrapassou os 20 mil óbitos desde que a primeira pessoa morreu por causa do novo coronavírus.

A curva da pandemia parece não existir. Até aqui, é uma reta a apontar para cima, apesar de alguns Estados tomarem decisões para afrouxar o isolamento social e recuperar parte de suas atividades econômicas. Na contagem diária dos órgãos competentes de saúde, o País, que continua sem ministro da Saúde após a demissão de Luiz Henrique Mandetta e do pedido para sair de Nelson Teich, passou a Rússia e já é o segundo com mais números de contaminados no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, cuja curva de mortalidade parece dar refresco e descer a ladeira – alguns estados norte-americanos retomam parte do que faziam antes da pandemia. Nas últimas 24 horas, o Brasil chegou a 363.211 casos.

O cenário é sério. Há 22.666 óbitos. Na semana seguinte em que a Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta a América do Sul (com o Brasil no comando) como epicentro da doença – eram os EUA –, o Estadão escolhe e faz um retrato dos cinco principais Estados brasileiros onde a Covid-19 avança rapidamente, mas cujas administrações públicas se desdobram para evitar o colapso. Na Grande São Paulo, por exemplo, onde há o maior número de mortes, a taxa de ocupação de UTIs chega a 91%, segunda maior desde o início da pandemia. O Rio espera pela entrega de hospitais de campanha. Pernambuco, Pará e Amazonas estão no limite.

Estadão
INSS

2ª parcela do 13º do INSS começa a ser depositada nesta segunda-feira (25)

Segunda parcela do 13º do INSS começa a ser paga nesta segunda (25)

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) começa, nesta segunda-feira (25), a pagar a segunda parcela do 13º de aposentados e pensionistas. O depósito da segunda parte do abono será realizado até o dia 5 junho (confira a tabela abaixo).

Essa é uma das medidas anunciadas pelo governo federal que tem como objetivo diminuir os efeitos econômicos causados pela pandemia de covid-19, provocada pelo novo coronavírus, que tem afetado o bolso do brasileiro, além da saúde pública.

A estratégia foi antecipar a verba que normalmente chega aos pensionistas apenas no segundo semestre. Em 2019, os pagamentos ocorreram em setembro e novembro. Neste ano, a primeira parcela foi paga entre o final de abril e o começo de maio.

Para aqueles que recebem até um salário mínimo, o depósito da antecipação será feito entre os dias 25 de junho e 5 de maio. Vale lembrar que o valor será depositado de acordo com o número final do benefício, sem levar em conta o dígito verificador. Segurados com renda mensal acima do piso nacional terão seus pagamentos creditados nos cinco primeiros dias de junho.

Em todo o país, 35,8 milhões de pessoas receberão seus benefícios de maio. O INSS injetará na economia um total de R$ 71,5 bilhões. Desse total, 30,8 milhões de beneficiários receberão a segunda parcela do 13º, o equivalente a R$ 23,8 bilhões.

Quem tem direito ao 13º?

Por lei, tem direito ao 13º quem, durante o ano, recebeu benefício previdenciário de aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente ou auxílio-reclusão. Na hipótese de cessação programada do benefício, prevista antes de 31 de dezembro de 2020, será pago o valor proporcional do abono anual ao beneficiário. Nesta parcela, vale lembrar, é feito o desconto do Imposto de Renda.

Aqueles que recebem benefícios assistenciais (Benefício de Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social – BPC/LOAS e Renda Mensal Vitalícia – RMV) não têm direito ao abono anual.

Entre os beneficiados estão:

  • aposentados
  • beneficiários do auxílio-doença
  • beneficiários do auxílio-acidente
  • beneficiários do auxílio-reclusão
  • beneficiários da pensão por morte
  • beneficiários de salário-maternidade

Veja o calendário da segunda parcela:

Para quem ganha até um salário mínimo:

Final 1: 25/05
Final 2: 26/05
Final 3: 27/05
Final 4: 28/05
Final 5: 29/05
Final 6: 01/06
Final 7: 02/06
Final 8: 03/06
Final 9: 04/06
Final 0: 05/06

Para quem ganha mais de um salário mínimo:

Final 1 e 6: 01/06
Final 2 e 7: 02/06
Final 3 e 8: 03/06
Final 4 e 9: 04/06
Final 5 e 0: 05/06

R7
Coronavírus » Rio Grande do Norte

RN chega a 200 mortes causadas por Covid-19, diz Ministério da Saúde

Segundo o Ministério da Saúde, o número de pacientes recuperados é de quase 150 mil. Outros 190 mil estão em tratamento

Brasil registrou 653 mortes por coronavírus e 15.813 novos casos confirmados da doença entre sábado (23) e domingo (24), segundo o Ministério da Saúde. Com isso, o total de óbitos no País alcançou 22.666. O recorde diário é da última quinta-feira (21), quando o Brasil anotou 1.188 novas mortes em um só dia.

De acordo com a Universidade Johns Hopkins (EUA), o Brasil continua sendo o segundo país com mais casos da doença, com um total de 363.211 casos. Fica atrás apenas dos Estados Unidos, que têm 1,6 milhão de casos e 97 mil mortes no total.

Segundo o Ministério da Saúde, o número de pacientes recuperados é de quase 150 mil. Outros 190 mil estão em tratamento.

Na última sexta-feira (22) o diretor-executivo da OMS (Organização Mundial da Saúde), Michael Ryan, afirmou que a América Latina é o novo epicentro da pandemia de coronavírus e o Brasil é o país mais preocupante.

No Rio Grande do Norte, de acordo com divulgação feita pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) no fim da tarde de ontem, o número de casos confirmados chegou a 4.682, com 197 óbitos. Contudo, a plataforma do Ministério da Saúde, atualizada três horas depois, indica que o Estado já tem 200 óbitos e 4.697 casos confirmados.

Além disso, de acordo com a Sesap, são 12,7 mil casos suspeitos, 9,9 mil descartados e 1.410 pacientes recuperados da Covid-19.

Agora RN
Rio Grande do Norte

RN alcança 2ª colocação no Ranking Transparência Covid-19

Dados são divulgados pela ONG Open Knowledge Brasil

O boletim semanal Transparência Covid-19 divulgado pela ONG Open Knowledge Brasil mantém o Rio Grande do Norte na segunda posição em transparência de dados apresentados pelos governos estaduais relativos à pandemia.
O Rio Grande do Norte subiu mais três pontos neste oitavo boletim organizado pela OKBR. Com a marca de 98 pontos, o Estado potiguar mantém a segunda colocação entre os estados da Federação e a evolução na transparência dos dados relacionados ao combate ao novo coronavírus.

“O trabalho coordenado entre a Controladoria Geral do Estado (Control) e a Secretaria Estadual de Saúde (Sesap)tem gerado frutos positivos diante da avaliação e acompanhamento semanal para gerar estratégias e conferir mais transparência a todas as informações produzidas relacionadas à Covid-19 no Estado”.

A coordenadora de Promoção à Saúde, Neuma Lúcia de Oliveira, ressaltou ainda o trabalho da Coordenação de Promoção à Saúde, setor responsável pela gestão de todos os dados, elaboração e divulgação dos boletins epidemiológicos dos dados referentes à pandemia, além de outros vírus respiratórios e sendo o principal instrumento de avaliação da ONG OKBR.

“Destaco também o trabalho de qualificação dos dados realizados pela Subcoordenadoria da Vigilância de Saúde do Trabalhador, conduzindo o processo de investigação e inspeção dos ambientes de trabalho. E ainda o Laboratório Central de Saúde Pública, responsável por grande parte das análises laboratoriais realizadas no RN, conferindo uma resposta mais oportuna à vigilância epidemiológica”, concluiu.

O trabalho executado pela equipe da Sesap é realizado com o apoio e acompanhamento da Control, responsável pela promoção da transparência pública do Executivo Estadual.

Novo ranking de transparência

Um novo ranking de transparência de dados relativos à Covid-19 foi divulgado essa semana pelo site Transparência Internacional. Nele, o Rio Grande do Norte aparece em 21º lugar, entre os 26 estados da Federação.

Diante da divulgação deste novo ranking, o controlador-geral do Estado, Pedro Lopes afirmou que a equipe tem estudado os critérios exigidos e já iniciou o trabalho de compilação de dados de compras referentes ao combate à Covid.

“Observamos também que outros itens de avaliação já tínhamos cumprido e não foram computados ainda. Outros quesitos iremos cumprir rapidamente e acredito que na próxima avaliação teremos recuperação significativa nesse ranking e continuaremos a trabalhar para melhorar sempre os níveis de transparência do Governo. É nosso dever com a população”, disse Pedro Lopes.

Agora RN
Currais Novos

Festa de Sant’Ana terá pavilhão virtual transmitido pela Sidys TV

Após confirmar que acontecerá a festa de Santana 2020, com formato diferenciado o padre Cláudio, tem realizado reuniões setoriais com diversas representações. Nesta quinta-feira (21) o pároco de Santana, conversou com representantes da CDL e também da comunicação, para definir a realização de lives. Ficaram decididos alguns eventos, além do novenário, com transmissões.

A Ferinha no domingo, dia 19 de julho, de forma virtual, com feijoada sendo servida no sistema Drive Thru ou Delivery, acompanhada de música ao vivo.

As novenas a TV Cristo Rei, junto com a Rádio Currais Novos estarão transmitindo diariamente, com os eventos culturais logo após. Já as três últimas grandes noites do Pavilhão de Santana, 23, 25 e 25 de julho, acontecerão com uma transmissão da Sidys TV, pelo Canal 4 e na internet.

Outras reuniões ampliando o grupo, aprimorando as sugestões acontecerão nos próximos dias.

Francisco do PT

Francisco do PT propõe que a Petrobras não aumente preço dos combustíveis enquanto durar a pandemia da Covid-19

Como forma de atender a população, principalmente as parcelas de maior vulnerabilidade social, e o segmento produtivo no geral, o deputado estadual Francisco do PT propôs, por meio de requerimento, que a Petrobras se abstenha de aumentar preços de seus produtos (combustíveis, seus derivados e gás de cozinha) enquanto durar a pandemia da Covid-19.

“Entendemos que no meio de uma pandemia sem precedentes como essa é inadmissível que uma empresa estatal, como a Petrobras, eleve os preços de seus produtos (combustíveis, seus derivados e gás de cozinha)”, justificou o deputado

De acordo com Francisco do PT, o reajuste no preço dos combustíveis provoca um efeito cascata em toda economia. “Qualquer aumento nas condições que estamos trará ainda mais dificuldades para o povo brasileiro, em especial os mais necessitados. Oportuno ainda destacar que vários países do mundo estão tomando medidas anticíclicas, injetando dinheiro na economia, renunciado receitas ou controlando preços públicos, fato que também justifica a presente solicitação”, pontuou.

A iniciativa do parlamentar foi em contraposição ao reajuste de 12% anunciado pela PETROBRAS, nesta quarta-feira (20), nas refinarias, no preço da gasolina.

Coronavírus

Natal tem 513 pacientes recuperados da Covid-19

Dados foram atualizados às 14h do último dia 19

Em Natal, dos 1.421 casos positivos, 94 estão internados, 50 evoluíram para óbitos, 764 estão em quarentena domiciliar e 513 pacientes estão recuperados.

De acordo com o protocolo do Ministério da Saúde, um paciente sintomático deve permanecer em quarentena por 14 dias. Após esse período, o isolamento pode ser interrompido se não apresentar mais nenhum sintoma.

“Se o paciente permanecer sintomático, deve manter o isolamento até 72h após os sintomas desaparecerem”, esclareceu Juliana Araújo, diretora do Departamento de Vigilância da SMS.

Os dados foram atualizados às 14h do último dia 19.

Agora RN
Geral

No RN, maior imagem católica do mundo recebe máscara de prevenção ao coronavírus

A maior imagem católica do mundo, que fica no Santuário de Santa Rita de Cássia, no município de Santa Cruz, recebeu simbolicamente uma máscara para conscientizar ainda mais a população da importância da utilização do equipamento de proteção individual, durante a pandemia do coronavírus.

A ação é da Prefeitura da cidade e visa intensificar a utilização das máscaras por parte da população para que minimize a chance de contágio da Covid-19 no município.

Imagem de Santa Rita de Cássia, em Santa Cruz / Foto: Divulgação

A máscara foi colocada nesta quinta-feira (21), na véspera do Dia de Santa Rita de Cássia, dia 22 de maio, data em que a cidade de Santa Cruz acolheria cerca de 100 mil pessoas para participam da procissão da padroeira, um dos momentos de fé de maior repercussão no estado.

Com a pandemia de Coronavírus, a festa de Santa Rita acontece de forma online, organizada pela Paróquia de Santa Rita de Cássia.

Agora RN
Coronavírus

Brasil pode ficar em 2º lugar em casos confirmados; pesquisadores não veem sinal de desaceleração

Imagem ilustrativa

Passada a marca das 20 mil mortes e dos 300 mil casos confirmados, a perspectiva é de que o Brasil atinja novo patamar nesta sexta. Com uma diferença de 7.467 contaminados em relação à Rússia, o país deve ultrapassar os europeus na lista dos mais atingidos pelo novo coronavírus e assumir o segundo lugar.
Ficará atrás apenas do Estados Unidos, com 1.573.742 notificações. A curva em ascensão lança uma grande preocupação para o futuro. Os pesquisadores que se debruçam a fazer previsões são categóricos ao dizer que ainda não vislumbram sinais de queda no horizonte.

“Há muita incerteza do ponto de vista das previsões. No entanto, todos os modelos com os quais a gente vêm trabalhando apontam que, de uma forma geral, ainda temos um período de atividade da Covid-19 significativo. Ou seja, não se espera que essa atividade decaia nas próximas semanas”, projeta Fernando Bozza, chefe do Laboratório de Medicina Intensiva do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, da Fiocruz, e coordenador de pesquisa do Instituto D’Or.

Bozza alerta para o fato de que, ao contrário da maioria dos países que ocupam o topo da lista dos mais afetados pela Covid-19, o Brasil passará por uma situação inédita: entrará no período de temperaturas mais baixas com o vírus em alta performance. Na Europa e nos Estados Unidos, a pandemia teve início no fim do inverno.

“De uma forma geral, doenças respiratórias têm uma maior transmissão durante o inverno. A questão é que, no caso da Covid-19, a gente ainda não teve isso. Vai começar agora no hemisfério sul. Nenhum país passou por esse comportamento, de atravessar o período do inverno com a atividade da doença já em alta. Se a contaminação vai aumentar ou não, não há como afirmar. O hemisfério norte estava saindo do inverno e entrando no verão. Então, é mais um fator de incerteza, o que dificulta previsões confortáveis”, disse.

540 mil casos no fim de maio

De acordo com as projeções do grupo Covid-19 Analytics (formado por professores dos departamentos de Engenharia e Economia da PUC-Rio juntamente com o pesquisador Gabriel Vasconcelos, da Universidade da Califórnia), a velocidade de novos contaminados tende a ser maior nos próximas semanas. A estimativa é de que em 31 de maio, o Brasil chegue aos 540 mil casos. Três dias depois, já estaria nos 636 mil. O número efetivo da taxa de expansão, indicador de quantas pessoas cada infectado contamina, ajuda a entender esta previsão.

“Ele dá uma boa ideia do que esperar em 15, 20 dias. A política pública trabalha para que esse número seja menor do que 1. Enquanto for maior do que 1, o contágio vai aumentar. Estamos entre 2 e 2,2. Mas, se você pega os 20% de municípios com IDH mais alto, este número está mais baixo. É de 1,75, começando a apontar para baixo. Mas nos 20% com IDH mais baixo, estamos na casa dos 3,15”, explica Vasconcellos.

Este dado joga luz para os rumos da Covid-19 no Brasil. Se não é possível precisar quando a doença vai parar de crescer, sabe-se para onde ela está indo. O novo coronavírus caminha para as periferias e cidades do interior.

“As regiões Norte e Nordeste requerem muita atenção. Porque ainda estão com uma taxa de transmissão bastante elevada. No entanto, as periferias das grandes cidades e os municípios pequenos do Sudeste são um foco importante de preocupação. Até porque a gente tem menos informação em relação à testagem nesses lugares. É neles onde temos mais problemas de subnotificação de uma forma geral”, acrescenta Bozza.

Números podem ser maiores

As poucas testagens dão aos pesquisadores a certeza de que a realidade brasileira é ainda maior do que os 310.087 casos confirmados nesta quinta. Uma pesquisa financiada pelo Ministério da Saúde e coordenada pela Universidade Federal de Pelotas (Ufpel) tenta estimar o tamanho real do contágio. Os primeiros dados apontaram que em Manaus o número de pessoas que já tiveram contato com vírus é 20 vezes maior do que o oficial. Os resultados da pesquisa serão apresentados na próxima segunda.

“Tem que tomar muito cuidado em usar dados de contaminados. Porque as estatísticas são muito ruins. O número de casos é subestimado em quase todos os lugares. Depende das políticas de testagens. Então tem que considerar que o número de casos é subnotificado e que esta subnotificação varia de lugar para lugar”, comentou Pedro Hallal, reitor da Ufpel e coordenador do estudo nacional e de um realizado nos mesmos moldes apenas no Rio Grande do Sul.

“Aqui no Brasil nós temos o nosso estudo no Rio Grande do Sul, que estimou a subnotificação em 10 vezes. Se olhar um que foi feito no Espírito Santo, também deu 10 vezes. Quando a gente pega o de Manaus, a estimativa é de 20 vezes. Então não se trata de um fenômeno igual em tudo que é lugar. Depende da disponibilidade de testes”.

O Globo
Opinião

“Hospitais espirituais”, diz deputado ao defender reabertura das igrejas

O deputado estadual Coronel Azevedo (PSC) defendeu que as igrejas sejam inclusas como serviços essenciais, para que possam reabrir e retomar as atividades. De acordo com o parlamentar, as igrejas são “hospitais espirituais”, em que ajudariam a trabalhar na parte psicológica e emocional da população durante o momento de pandemia.

“Acredito que as igrejas deveriam estar abertas. Elas têm um trabalho de suma importância. São uns verdadeiros hospitais espirituais de atendimento à população. Tem gente que entra em contato com o vírus, mas não contrai, pois a imunidade está alta. Ficar preso em casa, aumenta a depressão e potencializa os problemas. Podemos ver com o número de agressões familiares que teve aumento. Então, a igreja tem esse cuidado e atenção. Quantas pessoas saíram das drogas para ir à igreja e agora retornaram para as drogas, pois ficam em casa ou pelo mundo”, explicou, em entrevista à Agora FM (97,9).

O presidente Jair Bolsonaro chegou a incluir no mês de março as atividades religiosas na lista de atividades e serviços considerados essenciais em meio ao combate ao novo coronavírus. Mas no início de abril, o juiz federal Manoel Pedro Martins de Castro Filho determinou que a União retirasse a atividade e mantivesse com o fechamento dos templos religiosos.

Segundo Coronel Azevedo, o retorno das atividades religiosas poderiam retornar ao seguir os cuidados e as normas de distanciamento, estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Não sei quantificar. Mas sou evangélico, tenho a prática de ir à igreja e vejo o quanto é importante o trabalho dela. Mantidas as precauções e cuidados, com a distância obedecida, máscaras, ventilação e álcool em gel. Fiz o requerimento para a governadora Fátima Bezerra. Não só eu, uma série de líderes das igrejas também querem isto”, contou.

Para o deputado, a medida tomada no momento deve ser a de isolamento vertical. Pois, de acordo com ele, a manutenção de atividades físicas e a reabertura da economia, são fatores essenciais para que a população não sofra por mais problemas, além da pandemia da Covid-19.

“Sou favorável ao isolamento vertical e ao aumento da comunicação. Acho que o governo deveria aumentar a divulgação das medidas de prevenção. Temos uma cultura de ser um pouco relaxados. Sou favorável à reabertura, inclusive das academias. Corpo são, mente sã. Estar enclausurado em casa, estão mais sujeitos a contrair a doença por todos os problemas causados por isto. Como muito bem diz Bolsonaro e o presidente da OMS, por causa da quebra da economia, mais gente vai morrer do que de Covid”, acrescentou.

Agora RN
Currais Novos

Atualização do boletim epidemiológico da Prefeitura de Currais Novos

Décimo sexto caso do novo Coronavírus (Covid19) foi confirmado pela equipe da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde na manhã desta quinta-feira (21).

Trata-se de paciente do sexo feminino, na faixa etária de 60 a 70, diagnósticada via teste rápido.
A mesma encontra-se estável e em isolamento domiciliar.

Carregar mais artigos

Últimos Eventos

21/09/2019
São Vicente/RN
03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!