Futebol » Luto

Avião da tragédia da Chapecoense é considerado problemático; modelo já sofreu vários acidentes

A aeronave em que a delegação da Chapecoense embarcou segunda-feira, com destino a Medelin, na Colômbia, onde o time disputaria hoje o primeiro jogo da final da Sul-Americana contra o Atletico Nacional, não emplacou no mundo da aviação.

O modelo Avro Bae 146 – igual ao que caiu na madrugada de ontem em território colombiano, matando 71 pessoas entre jogadores, comissão técnica e jornalistas – só teve 387 unidades vendidas entre 1983 e 2002, período em que foi produzido pela British Aerospace. Número pequeno se comparado aos 1.200 E-Jets, de tamanho semelhante, produzidos pela Embraer entre 2004 e 2015.

Um dos motivos é sua fama ruim. O site “airsafe.com” enumera sete acidentes com o modelo antes da tragédia com o time catarinense, com 252 mortes. Para Carlos da Silva Cordeiro, professor de aviação desde 1994, o histórico da aeronave é preocupante: “É um número altíssimo. Existem modelos com 5 mil unidades no ar que não têm essa quantidade de quedas”.


Últimos Eventos

21/09/2019
São Vicente/RN
03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!