Economia

Inadimplência nos contratos do Minha Casa, Minha Vida atinge 40% no RN

A inadimplência dos contratos de financiamentos de imóveis da Faixa 1 do Programa Minha Casa Minha Vida chegou aos 40% no Rio Grande do Norte no final de 2018. Os números, repassados à TRIBUNA DO NORTE com exclusividade pela Caixa Econômica Federal, mostram que dos 17.123 contratos assinados de 2009 até o final do ano passado, 6.850 apresentavam dívidas em aberto há mais de 90 dias. A Caixa não divulgou, mesmo tendo sido demandada, o valor correspondente ao percentual de dívidas em aberto no Estado.

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) informou à reportagem que, desde 2009 até o momento, foram contratadas 126,2 mil unidades habitacionais no Estado do Rio Grande do Norte, nas faixas 1; 1,5; 2 e 3. Desse total, foram entregues cerca de 102,4 mil moradias até o momento. Esses empreendimentos beneficiaram um total de 409,6 mil pessoas. A Faixa 1, que contempla considerável parcela dos imóveis construídos dentro do MCMV, é voltada para famílias de baixa renda e a maioria dos imóveis é subsidiada com recursos do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR).
Nesta semana, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, disse que os atrasos de pagamentos na carteira de crédito habitacional do banco chegam a R$ 10,1 bilhões.

A Caixa divulgou na quarta-feira, 5, as condições para a renegociação de dívidas imobiliárias de pessoas físicas. Segundo o banco, as medidas atingem 589 mil contratos (11% da carteira) e devem beneficiar 2,3 milhões de pessoas.
Entre as opções está o pagamento à vista de uma entrada e a incorporação das parcelas atrasadas nas próximas prestações do empréstimo. Essa opção estará disponível para 111 mil famílias, com dívidas de R$ 1,8 bilhão.

“Algumas pessoas correm o risco real de perder suas casas próprias. Preferimos que esses clientes paguem uma prestação e diluam o resto da dívida no prazo dos contratos. Acreditamos que essa alternativa seja a mais atrativa”, avaliou Guimarães. Outras 237 mil famílias, com R$ 4 bilhões em dívidas, poderão pagar a prestação mais antiga atualizada e incorporar o saldo devedor ao resto do financiamento.

As 51 mil famílias com atrasos superiores a 180 dias, e dívidas de R$ 900 milhões, poderão ter o perdão de multa e juros moratórios ao pagarem a primeira prestação da entrada.

Há ainda 15 mil famílias, com débitos de R$ 300 milhões, que estão na iminência de terem seus imóveis retomados, que poderão ficar adimplentes com o pagamento de uma prestação. “Quando se atrasam dez ou 15 prestações, é porque não irá pagar mais. Então estaremos na prática fazendo um novo crédito para essas pessoas”, completou o presidente do banco.

Tribuna do Norte

Últimos Eventos

21/09/2019
São Vicente/RN
03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!