Arquivos:

Notícias » Tecnologia » WhatsApp

TECNOLOGIA: WhatsApp irá mudar configurações e usuários que quiserem salvar suas conversas precisam fazer um backup antes de segunda-feira (12)

A partir do dia 12 de novembro, todas as mensagens de WhatsApp que não estejam guardadas serão apagadas para quem não usa o sistema operacional da Apple, o iOS.

O anúncio se deve a um acordo feito entre o WhatsApp (que pertence ao Facebook) e o Google para permitir que todas as conversas, fotos e vídeos enviados pelo aplicativo possam ser armazenados no Google Drive, o serviço de hospedagem de arquivos do buscador, sem consumir espaço da conta do usuário.

A má notícia é que, se você não fez uma cópia de segurança das mensagens nos últimos 12 meses, o WhatsApp apagará todas as suas mensagens antigas, assim como todos os vídeos e fotos. Em muitos celulares, as mensagens são armazenadas de forma automática, periodicamente.

Em um comunicado na página do WhatsApp na internet, a empresa explicou que “para evitar a perda destes dados, recomendamos que se faça uma cópia de segurança dos seus dados no WhatsApp antes do dia 12 de novembro de 2018”.

Fonte: BBC

Tecnologia & Informática » WhatsApp

WhatsApp Beta ganha ferramenta contra excesso de mensagens

A versão de testes do WhatsApp ganhou um atalho para silenciar conversas pela central de notificações do Android. Ao acumular pelo menos 51 mensagens não lidas, um botão é exibido logo abaixo das mensagens, na própria notificação. É possível, então, desabilitar os alertas do contato. O recurso, presente no WhatsApp, é ideal para impedir a enxurrada de mensagens que algumas pessoas mandam pelo mensageiro.

Nas linhas a seguir, saiba como usar o novo atalho para silenciar as notificações de uma conversa no WhatsApp. Vale lembrar que é necessário ter a versão de testes do mensageiro (2.18.218) instalada no celular. O procedimento foi realizado num Moto E4 com Android Nougat (7.1.1).

Fonte: Tech Tudo

Novidade » WhatsApp

NOVIDADE: Atualização do WhatsApp vai contar com recurso de localização em tempo real

Atualização do WhatsApp

Segundo informações do portal britânico The Independent, este recurso é chamado Live Location Tracking e estará disponível tanto para o WhatsApp para Android quanto para iOS.

A ideia é que o Live Location Tracker seja utilizado quando um grupo de amigos estiver indo para o mesmo lugar e não sabe como chegar ao ponto de encontro, por exemplo.

Ainda não se sabe se o novo recurso funcionará exatamente dessa forma quando a nova versão do aplicativo for lançada oficialmente.

Infomoney

Facebook » WhatsApp

WhatsApp vai compartilhar seus dados com o Facebook mesmo que você não queira

Na semana passada, o WhatsApp decepcionou muitos usuários ao anunciar que começaria a compartilhar metadados com o Facebook, que é dono do aplicativo. A atualização nos termos de uso causou certa polêmica, mas, a princípio, não parecia ser um caminho sem volta.

Isso porque, na atualização, o aplicativo fornecia a opção ao usuário que não quisesse compartilhar esses dados com o Facebook. O WhatsApp deixava aberta a escolha de compartilhar ou não, pelo menos pelos primeiros 30 dias após a mudança nos termos de uso.

Em comunicado enviado ao Olhar Digital, porém, o WhatsApp esclareceu que não é bem assim. “Os dados serão compartilhados com o Facebook a partir do momento em que a pessoa aceita a nova política. O que o usuário poderá escolher é se ele quer que esse compartilhamento melhore sua experiência na plataforma por meio de melhores sugestões de amigos e anúncios”, disse a empresa.

Em outras palavras, a caixa de seleção que está ali dizendo que você pode escolher se quer compartilhar ou não seus dados com o Facebook não serve para muita coisa – e também não é muito clara. Suas informações continuarão sendo repassadas, independentemente da sua escolha. O que muda é que, se você desmarcar a caixa para não compartilhar, seus dados não serão usados para te direcionar anúncios na rede social.

Ou seja: o Facebook continua coletando dados sobre o que você faz no WhatsApp, mas você não poderá ver o que ele faz com essas informações. É importante destacar que o conteúdo das suas conversas, fotos e mensagens não serão tocados – estes continuam protegidos pela criptografia ponta-a-ponta do app. Os dados que interessam ao Facebook são números de telefone, horários em que as pessoas estão online e que tipo de mensagens elas enviam (texto, vídeo, foto ou áudio).

Confira o comunicado do WhatsApp na íntegra:

“Estamos atualizando nossos termos de serviço e política de privacidade para todos, porém, os usuários que já utilizavam o WhatsApp poderão controlar se querem ter seus dados compartilhados com o Facebook para melhorar suas experiências com anúncios e produtos no Facebook. Porém, independente de sua escolha, nós iremos compartilhar alguns dados com o Facebook – (por exemplo, o número de telefone que as pessoas utilizam para se registrar no WhatsApp juntamente com informações do tipo quando e como estas pessoas utilizam nossos serviços) para que possamos entender as formas de utilização do serviço, sistemas de segurança e combate a abusos e spam entre serviços. Estas ações nos permitem coordenar melhor e desenvolver melhorias em nosso aplicativo.”

Olhar Digital
Internet » WhatsApp

WhatsApp irá permitir serviços de marcas dentro do app

1150566419-whats

O WhatsApp vai finalmente dar um passo importante na integração com o modelo de negócio do Facebook. A empresa acaba de anunciar que dará início aos projetos de negócios para empresas no aplicativo. Além disso, a marca planeja disponibilizar sua base – que conta com mais de 1 bilhão de usuários – com a rede social de Zuckerberg. A ação deve acontecer apenas em janeiro do ano que vem, mas hoje mesmo o WhatsApp atualizou seus termos de serviço em preparação para testes com usuários selecionados “nos próximos meses”.

O aplicativo de mensagem instantânea irá oferecer às marcas serviços de informações aos usuários, como notificações de voo, recibos e rastreamentos de entregas. Por exemplo, o usuário poderá ser informado sobre o status de um voo que ele vai embarcar ou receber via WhatsApp um recibo de algo que comprou.

Outra forma de conectar marcas e usuários seria através de ações de marketing. Segundo o anúncio oficial do WhatsApp, as mensagens poderiam conter ofertas das empresas, mas com cuidado para não tornar-se algo invasivo. “Nós não queremos que você tenha uma experiência de spam; Tal como acontece com todas as suas mensagens, você poderá gerenciar essas comunicações e vamos honrar as escolhas que você faz”.

Quanto ao formato, a empresa ainda não revelou se as mensagens serão introduzidas por meio de “push” e se as marcas terão contas oficiais no aplicativo. O que foi confirmado é que não haverão banners ou anúncios no app. Além disso, a empresa passará a compartilhar os dados de sua base, como número de telefone dos usuários, com o Facebook, que adquiriu o app no ano passado. Mas deixou claro que as informações não serão abertas em nenhum momento: “na verdade, o Facebook não vai usar suas mensagens WhatsApp para qualquer finalidade que não seja para nos auxiliar na operação e prestação de nossos serviços”.

O WhatsApp tem sido bastante vago sobre seus planos para agora, por isso vamos ter que esperar até que ele comece seus testes de negócios.

Olhar Digital
Notícias » WhatsApp

Médicos Brasileiros usam o WhatsApp para falar com pacientes

Brasil ficou com a primeira posição dos países em que os médicos mais usavam o app como um instrumento de trabalho

Brasil ficou com a primeira posição dos países em que os médicos mais usavam o app como um instrumento de trabalho

De acordo com pesquisa realizada por uma consultoria britânica, a Cello Heart Inside, 87% dos médicos no Brasil usam o WhatsApp para falar com os seus pacientes, ou seja, quase nove em cada dez médicos usam o app para trabalhar.

O estudo foi feito com 1040 médicos em oito países diferentes (Reino Unido, Estados Unidos, França, Itália, Alemanha, Espanha, China e Brasil). Foi perguntado para esses médicos se eles usaram o WhatsApp para se comunicar com os seus pacientes nos últimos 30 dias.

Com o número obtido, o Brasil ficou com a primeira posição dos países em que os médicos mais usavam o app como um instrumento de trabalho. O segundo lugar ficou com a Itália (61%) e o terceiro com a China (50%), sendo que no caso desta, os médicos usavam o WeChat, uma versão local do WhatsApp.

Os países com a menor porcentagem, por sua vez, foram o Reino Unido (2%) e os Estados Unidos (4%). A média mundial ficou em 30% dos médicos. A pesquisa ressalta que “médicos nos países do sul da Europa, China e Brasil estão usando essa plataforma para comunicação com os colegas, pacientes e representantes da indústria farmacêutica”.

Portal No Ar
Notícias » WhatsApp

Projeto que proíbe bloqueio do WhatsApp deve ser votado em agosto

Nesta terça, aplicativo foi bloqueado pela quarta vez no Brasil.

Nesta terça, aplicativo foi bloqueado pela quarta vez no Brasil.

Em meio a mais um bloqueio do WhatsApp pela Justiça, o deputado Sandro Alex (PSD-PR) disse nesta terça-feira que o projeto de lei que proíbe a suspensão de qualquer aplicativo de mensagens instantâneas deverá ser votado pela Câmara na primeira semana de agosto, após a volta do recesso.

Sandro Alex é relator, na Comissão de Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Casa, dos projetos de lei que tratam do tema. O projeto está parado no colegiado desde maio, quando o serviço de mensagens também foi suspenso por determinação judicial.

— Vou apresentar na primeira reunião da comissão na volta do recesso, no início de agosto, o relatório e colocá-lo em votação. O projeto determina que não se pode bloquear serviços de mensagens instantâneas, como o WhatsApp e outros do tipo. Podemos estudar uma forma de multa razoável. Agora, tirar do ar para todos os usuários, além de não ter eficácia, acaba comprometendo a comunicação de todos — disse o deputado.

O projeto é fruto de uma recomendação do relatório da CPI dos Crimes Cibernéticos da Câmara. O texto altera o Marco Civil da Internet e prevê o bloqueio de aplicações de utilizadas por criminosos e que sejam dedicadas a práticas ilícitas, mas impede que esse bloqueio seja estendido aos aplicativos de mensagens pessoais. A intenção é proteger, além do WhatsApp, aplicativos como o Telegram e iMessage.

— O fato de você bloquear não te garante a informação que quer. Não é esse o caminho, o alcance é pífio. E está provado que o Marco Civil não resolve. Se o juiz está fazendo isso, é porque encontra na lei uma guarita para a determinação. A gente quer dar condições de investigações, mas não prejudicar o usuário — disse o deputado.

O projeto de lei juntou outros cinco textos na Câmara apresentados desde maio que tratam do mesmo tema. Se aprovado, o projeto tem ainda que passar pela Comissão de Constituição e Justiça. Como tramita em caráter conclusivo, caso aprovado nos dois colegiados, vai direto para o Senado, se não houver um requerimento para levá-lo ao plenário.

No Senado, outro projeto também está parado, aguardando o relatório desde maio.

PPS VAI AO STF CONTRA BLOQUEIO

O PPS apresentou uma petição no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a anulação de uma decisão judicial que bloqueou nesta terça-feira o aplicativo de troca de mensagens Whatsapp no Brasil. O presidente do STF, ministro Ricardo Lewandwski, deverá tomar uma decisão ainda hoje sobre o caso.

O bloqueio do aplicativo foi determinado pela juíza de fiscalização da 2ª Vara Criminal de Duque da Caxias, Daniela Barbosa Assunção de Souza. A magistrada é a mesma que, no ano passado, foi agredida por detentos no batalhão prisional da PM de Benfica. Ela cobra da empresa que as mensagens trocadas por pessoas investigadas sejam desviadas em tempo real antes de ser implementada a criptografia.

Em maio deste ano, quando houve decisão do juiz Marcel Maia Montalvão, de Sergipe, bloqueando o Whatsapp, o PPS entrou com uma ação no STF para que o serviço fosse retomado. A medida não chegou a ser julgada, mas o bloqueio foi derrubado pelo desembargador Ricardo Múcio, do Tribunal de Justiça de Sergipe.

Agência O Globo
WhatsApp

Bloqueio WhatsApp começou às 14h

Após decisão de uma juíza da 2ª Vara Criminal da Comarca de Duque de Caxias, o WhatsApp já começou a ser bloqueado em todo o país. Na Vivo, maior operadora do país, o bloqueio começou às 14h.

Eduardo Levy, presidente do Sinditelebrasil, sindicato que representa as operadoras de telefonia, afirma que não é possível saber quando exatamente todos os usuários terão vetado o acesso à ferramenta, já que o trabalho envolve mexer nas máquinas de cada operadora.

A decisão de vetar o WhatsApp foi da juíza Daniela Barbosa de Souza, da 2ª Vara Criminal da Comarca de Duque de Caxias, em razão de a companhia não divulgar informações para investigações criminais.

“A ordem judicial não foi cumprida, apesar de reiterada por três vezes, ensejando, assim, a adoção das medidas coercitivas determinadas por este juízo”, diz Souza na decisão, que determina o veto imediato à ferramenta. A ordem foi enviada às operadoras de telefonia -deve levar algumas horas até que elas realizem o bloqueio.

A magistrada diz que, antes de tomar a decisão, já havia pedido que a companhia quebrasse o sigilo de mensagens trocadas no app, sob pena de multa diária no valor de R$ 50 mil.

O WhatsApp argumenta que já não guardava informações sobre o conteúdo das conversas. E que em abril terminou de implementar a criptografia “end-to-end” (no qual apenas as pessoas na conversa podem ler as mensagens). Com isso, afirma, é impossível divulgar os dados.

Desta vez, ao contrário de pedidos anteriores de outros juízes, Souza pediu mensagens passadas. Ela quer que o aplicativo desabilite a criptografia do aplicativo para que o fluxo de mensagens seja enviado em tempo real para os investigadores, “na forma que se dá com a interceptação de conversações telefônicas”.

Procurado, o WhatsApp não se pronunciou sobre o assunto. Vivo, Tim, Oi e Claro também não se manifestaram.

A Nextel, por nota, afirmou que já foi notificada pela Justiça e cumprirá a decisão judicial. “Durante o bloqueio do aplicativo, o serviço de SMS da operadora será gratuito”, informou a empresa.

Edson Levy, presidente do Sinditelebrasil, sindicato que representa as operadoras de telefonia, disse que as empresas devem bloquear o aplicativo assim que receberem a notificação judicial, como ocorreu em outras ocasiões.

“Isso atrapalha a operação, pois, as empresas têm que destinar uma mão-de-obra para o bloqueio e desbloqueio da plataforma. Mas, é uma decisão que tem que ser cumprida”, disse Levy.

Em maio deste ano, uma decisão da Justiça de Sergipe determinou que o Whatsapp ficasse fora do ar por 72 horas. O processo que culminou na decisão do juiz Marcel Montalvão é o mesmo que justificou, em março, a prisão de Diego Dzodan, vice-presidente do Facebook, empresa dona do app, para a América Latina. O magistrado quer que a companhia repasse informações sobre uma quadrilha interestadual de drogas para uma investigação da Polícia Federal, o que a companhia se nega a fazer.

As cinco operadoras -TIM, Oi, Vivo, Claro e Nextel- decidiram acatar a decisão judicial. Em caso de descumprimento, estariam sujeitas a multa diária de R$ 500 mil.

Para o presidente da Anatel, João Rezende, o bloqueio do Whatsapp foi uma “decisão desproporcional porque acaba punindo todos os usuários”.

Para ele, o “WhatsApp deve cumprir as determinações judiciais dentro das condições técnicas que ele tem. Mas, evidentemente, o bloqueio não é a solução”.

Apesar de as teles e o aplicativo travarem uma disputa comercial, o bloqueio é um transtorno para as operadoras. O WhatsApp funciona com mudança de registro de computadores e isso torna o trabalho de bloqueio bastante complicado para as teles, que podem ser punidas caso não consigam implementar o bloqueio plenamente.

Da última vez, a Claro foi uma das operadoras que reclamou de que o WhatsApp se valia desta particularidade técnica do serviço para furar o bloqueio intencionalmente. O aplicativo teria mudado rapidamente os registros para dificultar o bloqueio.

HISTÓRICO

Em dezembro do ano passado, o WhatsApp havia sido bloqueado no Brasil por 48 horas devido a uma investigação criminal. Na ocasião, as teles receberam a determinação judicial com surpresa, mas a decisão não durou 48 horas.

O bloqueio foi uma represália da Justiça contra o WhatsApp por ter se recusado a cumprir determinação de quebrar o sigilo de dados trocados entre investigados criminais. O aplicativo pertence ao Facebook.

Em fevereiro, um caso parecido ocorreu no Piauí, quando um juiz também determinou o bloqueio do WhatsApp no Brasil. O objetivo era forçar a empresa dona do aplicativo a colaborar com investigações da polícia do Estado relacionadas a casos de pedofilia.

A decisão foi suspensa por um desembargador do Tribunal de Justiça do Piauí.

 

Folha Press
Judiciário » WhatsApp

Justiça do Rio de Janeiro manda bloquear o WhatsApp em todo o Brasil

WhatsApp será novamente bloqueado em território brasileiro.

WhatsApp será novamente bloqueado em território brasileiro.

A Justiça do Rio de Janeiro decidiu que o WhatsApp seja bloqueado em todo o Brasil, informou a GloboNews nesta terça-feira (19). As empresas de telefonia foram notificadas após o Facebook se recusar a cumprir uma decisão judicial para fornecer informações para uma investigação policial.

A decisão tomada pela juíza Daniela Barbosa manda as operadoras suspenderem o acesso imediatamente. Segundo a GloboNews, as provedoras de conexão foram notificadas da decisão por volta das 11h30.

Segundo Barbosa, o Facebook, empresa proprietária do WhatsApp, foi notificado três vezes para interceptar mensagens que seriam usadas em uma investigação policial em Caxias, na Baixada Fluminense.

Não é a primeira vez que um tribunal decide pela suspensão do acesso ao aplicativo no Brasil. Um dos bloqueiros anteriores ocorreu em dezembro de 2015, quando a Justiça de São Paulo ordenou que as empresas impedissem a conexão por 48 horas em represália ao WhatsApp ter se recusado a colaborar com uma investigação criminal. O aplicativo ficou inacessível por 12 horas e voltou a funcionar por decisão do Tribunal de Justiça de SP.

Bloqueio em maio

A investigação que culminou no bloqueio do em maio deste ano foi iniciada após uma apreensão de drogas na cidade de Lagarto, a 75 km de Aracaju.

O juiz Marcel Montalvão pediu em novembro de 2015 que o Facebook informasse o nome dos usuários de uma conta no WhatsApp em que informações sobre drogas eram trocadas. As informações desse processo corriam em segredo de Justiça.

Segundo o delegado Aldo Amorim, membro da Diretoria de Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal em Brasília, a investigação foi iniciada em 2015 e esbarrou na necessidade informações relacionadas às trocas de mensagens via WhatsApp, que foram solicitadas ao Facebook. A empresa não cumpriu a decisão.

G1
Internet » Tecnologia & Informática » Telefonia » WhatsApp

WhatsApp deixará de funcionar em celulares antigos

20160217175344_660_420

O WhatsApp vai parar de funcionar em smartphones mais antigos, e o aplicativo começou a alertar os usuários que perderão acesso ao serviço, confirmando também a data em que o corte acontecerá: dia 31 de dezembro de 2016.

Os sistemas em questão, que deixarão de receber suporte, são plataformas que têm pouquíssimos usuários nos dias atuais, mas ainda deve deixar alguns desamparados.

Os aparelhos na ‘linha de corte’ do app são os que funcionam com Android 2.1 e 2.2, Nokia Symbian S40 e S60 e todos os dispositivos da BlackBerry, incluindo os equipados com o sistema operacional mais recente da fabricante, o BlackBerry 10. A lista também inclui os aparelhos Windows Phone 7.1.

“Por mais que estes aparelhos celulares tenham feito uma importante parte em nossa história, eles não possuem a capacidade requerida para que possamos expandir os recursos de nosso aplicativo no futuro”, justifica a empresa em comunicado.

Caso você utilize um destes aparelhos, a recomendação do aplicativo é trocar por um aparelho Android, iOS ou Windows Phone mais atual antes do fim de 2016 para que possa continuar usando o WhatsApp.

Olhar Digital

Últimos Eventos

06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube
08/07/2017
Parque Exposições - Fotos: Mazilton Galvão
08/07/2017
Parque Exposições - Fotos: Mazilton Galvão

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!