Arquivos:

Tecnologia

Wi-Fi grátis do Google chega ao Brasil; conheça o Google Station

Foto: Nicolly Vimercate/TechTudo

O Google Station, Wi-Fi grátis do Google, chegou ao Brasil. O país é o oitavo no mundo a receber o projeto, que tem o objetivo de expandir a conexão à Internet em países emergentes. Mais de 80 pontos já foram implementados em São Paulo e, até 2020, outras cidades devem receber a estação de acesso. Para usar o Wi-Fi não é preciso instalar aplicativo, ou saber uma senha, basta ter um celular para receber um código de verificação. A novidade foi anunciada nesta quinta-feira (5), no Google for Brasil, em São Paulo.

A ideia do Station é levar Internet rápida para quem está offline ou tem conexão ruim e “tornar as informações universalmente acessíveis”, como explicou o presidente do Google Brasil Fabio Coelho. A promessa do executivo é de que será possível “assistir a vídeos em alta definição sem interrupção”, por exemplo.

Além do Brasil, há ainda mais de mil pontos do Google Station estão espalhados por outros sete países: Índia, Indonésia, México, Tailândia, Nigéria, Filipinas e Vietnã.

Como se conectar

Para se conectar, basta selecionar a rede “Google Station”, clicar em “Iniciar” e fornecer o seu número de telefone, com DDD. Um código de verificação será enviado por SMS e você deve inserir os quatro dígitos no campo em branco. Toque em “Concluir” e já pode usar a Internet.

Globo, via Techtudo
Tecnologia

ALERTA: Carregadores públicos podem roubar seus dados; entenda

Especialista da IBM alerta para o risco de carregar eletrônicos em USB’s públicos — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

Aeroportos, rodoviárias, shoppings e outros locais públicos estão cada vez mais buscando se adaptar às demandas tecnológicas de quem frequenta esses espaços todos os dias. Mas, o que parece vantajoso a princípio, pode ser também bastante perigoso. Isso porque alguns desses locais oferecem estações de carregamento de bateria de aparelhos eletrônicos por USB, o que abre uma brecha para ataques de malwares instalados por hackers para roubar dados confidenciais sem autorização.

Para conseguirem acesso às informações, os criminoso modificam as conexões USB e transferem tudo o que precisam sem dificuldades, já que a porta permite isso. O processo funciona de forma semelhante a conectar o cabo do celular a um computador para descarregar ou fazer o download de arquivos.

Em entrevista à Forbes, o vice-presidente da X-Force Threat Intelligence, da IBM Security nos EUA, Caleb Barlow, aconselhou que as pessoas evitem carregar seus celulares e tablets nessas estações. “Conectar-se a um USB público é como encontrar uma escova de dentes na beira da estrada e decidir colocá-la na boca. Você não tem ideia de onde por onde essa coisa passou”, alerta.

Ainda segundo o especialista, outra solução pode ser levar um power bank com bateria completa para carregar o aparelho enquanto não é possível encontrar uma forma mais segura de alimentar a bateria. Mas, caso não haja outra alternativa, uma dica é comprar um Juice-Jack Defender. O dispositivo custa US$ 10 (R$40) e permite bloquear a transferência de dados. “Você pode colocar na frente do seu cabo de carga e ele deixa passar apenas a voltagem”, explica.

Globo, via Techtudo e Forbes
Tecnologia

Conheça o Translatotron, o tradutor capaz de imitar a voz humana

Esse tradutor foi possível por meio do investimento do Google em melhorar a forma como as pessoas de diferentes idiomas se comunicam

Que o Google vem há anos aperfeiçoando os meios de tradução não é uma novidade. Através de seu blog oficial, a empresa apresentou sua mais nova aposta no campo da tradução. O Translatotron é uma ferramenta capaz não só de traduzir o que é dito em um idioma e pronunciá-lo em outro, mas também imitar a voz de quem disse a frase.

Com esse novo sistema, o Google planeja melhorar a comunicação entre pessoas que falam idiomas diferentes. O recurso funciona de uma forma distinta do conhecido sistema de cascata que conhecemos, em que a frase é traduzida na forma como está escrita, sem respeitar regras linguísticas, por exemplo. Com a nova ferramenta, ele passará a funcionar de sequência em sequência, com isso, haverá uma melhora na velocidade, nos erros provenientes dessas traduções e na tradução em si.

Com esse sistema, a empresa pretende mostrar que a fala pode ser traduzida de uma língua para a outra sem a necessidade de uma representação intermediária de texto em qualquer um dos dois idiomas – como o sistema de cascata necessita. Para que isso seja possível, é usado um Vocoder Neural, que se encarrega de sintetizar a voz humana e dar a forma desejada para as ondas de saída, esse codificador é capaz de preservar as características da voz gravada.

Em resumo, o Translatotron consegue registrar as características do discurso de um interlocutor, além de sua voz. Com isso, ele consegue gerar um áudio traduzido para o idioma de destino, mantendo as características de fala. O grande objetivo do Google é fazer com que os assistentes do futuro busquem a naturalidade da conversação desses sistemas.

Como forma de comparação, o Google mostrou como o Translatotron funciona em modelo de cascata, basicamente o que é utilizado pela maioria dos assistentes de hoje, que apresentam uma linguagem meio travada e sequencial. Em seguida, o teste foi feito com a nova tecnologia, e a diferença é bastante clara.

A empresa está transformando a fala travada e muitas vezes robótica, em algo natural e com características de pronúncia próprias. Os testes com o tradutor ainda estão em andamento, mas já podemos prever que a tecnologia avança em passos largos para a criação assistentes cada vez mais humanos.

A tecnologia do Translatotron

O surgimento desse modelo de tradução de fala começou em 2016, quando foi demonstrado a sua viabilidade de uso como modelo de tradução de fala para texto. Em 2017, foi demonstrado que esses modelos de tradução de um idioma para outro em formato de voz pode substituir o modelo de cascata.

Agora, o Translatotron está se consolidando como o único modelo de tradução que pode traduzir diretamente a fala de uma linguagem para outra, sem depender de um intermédio. No próprio blog da empresa, é possível se ter uma ideia de como funciona esse sistema por meio dos áudios de comparação que foram disponibilizados pelo Google.

Olhar Digital, com Blog do Google e Genbeta
Judiciário » Tecnologia

TCE-RN terá 100% de processos eletrônicos até o final de 2019

O Tribunal de Contas do Estado (TCE/RN) vai alcançar a cobertura de 100% de processos eletrônicos até o final de 2019. A previsão foi anunciada durante reunião gerencial, nesta segunda-feira (14/05), em que secretários e diretores apresentaram ao presidente Poti Júnior o Plano de Diretrizes Anual de cada setor, com objetivos e metas para o biênio 2019-2020.

Atualmente, todos os processos abertos no TCE já começam e terminam em formato eletrônico. No entanto, ainda há cerca de 3% de processos antigos que permanecem em documento físico. A expectativa da Diretoria de Expediente, embora o Plano e Diretor aponte o prazo de fevereiro de 2020, é concluir a digitalização plena até o final de 2019.

Desde que foi aprovada a Resolução 24/2012, que prevê a conversão de processos físicos em eletrônicos, o TCE já alcançou 97% de cobertura. Atualmente, nenhum processo sai mais em formato físico da Diretoria de Expediente, que conta com equipamentos e equipe exclusiva para o processo de digitalização.

O trabalho é realizado por equipe própria do TCE. Em dois anos, foram digitalizados mais de 20 mil processos. Além da economia com papel, a conversão melhora a comunicação processual, deixa a tramitação mais célere, evita o extravio de documentos e processos e contribui com a questão da sustentabilidade da instituição.

“Alcançar os 100% de processos eletrônicos é uma das nossas prioridades dentro do leque de metas e objetivos traçados no nosso Plano de Diretrizes. Desta forma, estamos avançando e modernizando a tramitação processual do Tribunal”, destaca o presidente Poti Júnior, que definiu prioridades para o alcance efetivo dos objetivos institucionais traçados ao aprovar no início do ano o Plano de Diretrizes do TCE para o exercício de 2019-2020.

A apresentação dos planos setoriais, coordenada pelo Assessor de Planejamento e Gestão, Gláucio Torquato, foi dividida em três grupos: primeiro, as diretorias vinculadas à Presidência; depois aquelas ligadas à Secretaria de Controle Externo; por fim as que são comandadas pela Secretaria de Administração Geral.

As unidades responsáveis por ações previstas no plano devem promover sua execução sob a coordenação e monitoramento da Assessoria de Planejamento e Gestão, observando o desdobramento das ações em etapas, tais como projetos e atividades, e a fixação dos prazos de início e término para implementação de cada etapa.

A Assessoria de Planejamento e Gestão, com a colaboração das unidades diretamente envolvidas na execução das ações contidas no plano, promove o monitoramento dos resultados alcançados e a implementação das medidas previstas, preferencialmente por meio de reuniões com periodicidade mensal.

O Plano de Diretrizes poderá ser revisto a partir do final do primeiro quadrimestre do exercício, caso haja a superveniência de fato que justifique a necessidade de ajustes. As informações para efeito de aferição do grau de alcance das ações devem ser extraídas das bases de dados do Sistema de Apoio ao Planejamento Estratégico do TCE/RN, assim compreendidos os Sistemas Channel e de Processos.

Blog do BG
Tecnologia

Empresa lança máquinas que embalam pedidos e substituem funcionários

A Amazon está implementando máquinas para automatizar um trabalho mantido por milhares de trabalhadores: encaixotar pedidos de clientes. Essas instalações normalmente empregam mais de duas mil pessoas – a automação do trabalho resultaria em um corte de mais de 1,3 mil funcionários da empresa. Com a mudança, a Amazon pretende gastar US$ 1 milhão por máquina, mais as despesas operacionais.

“Estamos testando essa nova tecnologia com o objetivo de aumentar a segurança, acelerar os prazos de entrega e adicionar eficiência em toda a nossa rede”, disse uma porta-voz da Amazon em comunicado. “Esperamos que a economia de eficiência seja reinvestida em novos serviços para os clientes, onde novos empregos continuarão a ser criados.”

A tecnologia escaneia mercadorias que chegam por uma esteira e as embala segundos depois em caixas personalizadas para cada item, disseram à agência de notícias Reuters duas pessoas envolvidas no projeto. A ideia da Amazon é instalar duas máquinas em dezenas de armazéns, removendo pelo menos 24 funções em cada local.

A empresa espera recuperar os custos da automação em menos de dois anos. As mudanças não foram concluídas ainda porque a verificação da tecnologia antes de uma implementação importante pode levar muito tempo.

O plano mostra como a Amazon está tentando reduzir mão-de-obra e aumentar lucros, já que a automação da tarefa mais comum do armazém – que é pegar um item – ainda está fora do seu alcance. A Amazon é famosa por sua iniciativa de automatizar o maior número possível do seu negócio, seja no preço de mercadorias ou no transporte de itens em seus depósitos. Mas a empresa está em uma posição precária ao considerar a substituição de empregos que lhe renderam subsídios e boa vontade pública.

LINK / ESTADÃO
Tecnologia

Tecnologia 4G está disponível a mais de 95% dos brasileiros

A cobertura de telefonia 4G já está em 4.485 dos 5.570 municípios brasileiros. Segundo a Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil), a tecnologia está disponível a 95,7% da população brasileira.

Ainda de acordo com a Telebrasil, 6 milhões de novos celulares com a tecnologia 4G foram ativados nos primeiros três meses de 2019. No período de um ano, março de 2018 e março de 2019, 25,5 milhões de novos chips 4G foram ativados no país. Isso representa um aumento de 23% no número de chips 4G.

O 4G permite maior velocidade de navegação na internet, com até 100 megabits por segundo (Mbps) de download. A tecnologia chegou ao Brasil em 2013, tendo as primeiras antenas instaladas nas cidades que receberiam a Copa das Confederações (Fortaleza, Salvador, Recife, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Brasília). O torneio antecedeu a Copa do Mundo, realizada no Brasil no ano seguinte.

O número de municípios conectados à rede 3G também cresceu no Brasil, chegando a 5.407 municípios em março. O Brasil agora tem 207 milhões de acessos à internet pela rede móvel. Ao se considerar também os acessos fixos, o número sobe para 238,2 milhões no país.

Agência Brasil
Jornalismo » Tecnologia

Sites do governo vão migrar para portal único e economia pode chegar a R$ 100 milhões

Em menos de dois anos, o governo federal deverá ter apenas um canal na internet, o portal único GOV.BR. É o que institui o Decreto 9.756/2019, publicado em edição extra do Diário Oficial de quinta-feira (11).

O texto, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro durante a cerimônia que marcou os primeiros 100 dias de governo, define regras de unificação dos canais digitais englobando os portais na internet e os aplicativos móveis, e estabelece prazos para que o GOV.BR esteja completamente disponível ao cidadão.

“Nós temos também nos ministérios, cada um tem lá um portal, um site. Nós queremos que exista apenas um, que o cidadão em qualquer cantinho do Brasil acesse e resolva todo e qualquer problema. É assim que as Nações mais modernas funcionam. A gente vem com esse espírito de renovar confiança e principalmente fazer a vida das famílias brasileiras mais simples”, afirmou o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorezoni, ao comentar a medida ontem, após a cerimônia de 100 dias de governo.

O portal único de governo é uma medida que tem sido adotada por outros países, como Reino Unido e México. A ideia é que seja uma plataforma com serviços e informações úteis ao cidadão, atualmente descentralizadas em milhares de endereços eletrônicos.

“A dispersão dos canais dificulta e encarece a busca por serviços públicos”, afirma Luis Felipe Salin Monteiro, secretário de Governo Digital, do Ministério da Economia.

Atualmente, o governo federal possui mais de 1,5 mil sites com serviços e informações dispersos, de diversos órgãos.

Segundo o governo, a economia estimada após a desativação dos sites é de R$ 100 milhões ao ano, que são gastos apenas a manutenção dos portais na rede.

Implantação

A primeira fase de implantação do projeto deverá ser concluída até 31 de julho deste ano, quando a plataforma do GOV.BR deverá estar disponível para adesão dos demais órgãos e entidades da administração pública direta, além de autarquias e fundações do Poder Executivo federal.

O portal brasil.gov e o site do Palácio do Planalto deverão ser os primeiros a migrar, segundo apurou a Agência Brasil.

O prazo final para que todos os órgãos migrem os conteúdos de seus portais é 31 de dezembro de 2020.

Depois disso, os os endereços eletrônicos serão desativados.

A articulação com os gestores públicos e o monitoramento da unificação será de responsabilidade da Secretaria Especial de Modernização do Estado (Seme), que é vinculada à Secretaria-Geral da Presidência da República.

Agência Brasil
Tecnologia

Senado decide que consumidor tem direito a celular reserva enquanto o seu estiver na assistência técnica

O Senado aprovou ontem (11) uma lei que garante ao consumidor o direito de receber um telefone celular reserva enquanto o seu estiver na assistência técnica para reparos. O texto se refere apenas a aparelhos ainda na garantia. O texto veio da Câmara, mas, como sofreu alterações no Senado, volta para apreciação dos deputados.

O projeto inicial, de 2015, previa que o aparelho reserva deveria apenas fazer e receber ligações. O Senado incluiu a obrigatoriedade de acessar a internet, usando o plano de dados do consumidor. A sessão foi realizada na manhã desta quinta-feira e foi presidida por Eduardo Gomes (MDB-TO).

Segundo o texto aprovado hoje, basta o consumidor apresentar o aparelho defeituoso na assistência técnica autorizada. O aparelho reserva deverá ser oferecido gratuitamente. O consumidor deverá devolvê-lo nas mesmas condições em que o recebeu.

“Já consideramos aqui o celular como instrumento e ferramenta de trabalho. Essa iniciativa é uma importante conquista do consumidor brasileiro”, disse o senador Eduardo Gomes. Caso a Câmara confirme as alterações do Senado, o projeto vai à sanção presidencial, alterando o Código de Defesa do Consumidor.

Agência Senado
Tecnologia

Para achar crianças desaparecidas, Damares quer usar sistema semelhante ao que ajuda a encontrar carros roubados

O Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, liderado pela ministra Damares Alves, planeja utilizar o sistema integrado de cadastro de carros roubados usado pela polícia para reformular o cadastro nacional de pessoas desaparecidas.

Segundo a coluna do jornalista Domingos Fraga, do portal R7, a ideia é substituir o Cadastro Nacional de Pessoas Desaparecidas por um sistema semelhante ao Sinal (Sistema Nacional de Alarmes), mantido pela Polícia Rodoviária Federal.

O Sinal é um sistema integrado de cadastro de carros roubados que permite ao dono do veículo registrar o roubo no site da PRF. Os dados ficam à disposição dos policiais por meio de um aplicativo de celular. Assim, durante abordagens pelas estradas do país, os agentes podem identificar mais facilmente veículos roubados em circulação.

A ministra Damares Alves pediu um estudo para avaliar se esse sistema pode ser adaptado e implantado na busca por crianças desaparecidas. “Temos um sistema que localiza carros roubados, mas nenhum que se dedique a encontrar crianças desaparecidas”, disse a ministra em uma postagem no Twitter. “Já conversei com a PRF para utilizarmos essa tecnologia em prol da vida e da família.”

Além disso, Damares diz que conversou com Facebook e Google sobre uma possível parceria no desenvolvimento de um sistema para localizar pessoas desaparecidas. Segundo a ministra, as empresas “se mostraram dispostas” a ajudar. O Olhar Digital apurou que uma reunião entre representantes do ministério e das empresas ocorreu na última semana, mas nenhuma parceria com o governo federal foi concretizada neste encontro.

Nos Estados Unidos, o Google oferece um mecanismo chamado de “Amber Alerts”. Ao pesquisar por uma região no buscador ou no Google Maps, o usuário recebe um alerta caso naquele local uma criança tenha sido reportada como desaparecida. O Facebook também tem um serviço de “Amber Alerts” com base na localização do usuário. Para isso, as empresas utilizam uma base de dados fornecida pelo governo norte-americano.

Em nota, a rede social disse, por meio de sua assessoria de imprensa: “procuramos dialogar frequentemente com diferentes autoridades governamentais, organizações da sociedade civil e acadêmicos para apresentar os recursos e programas que criamos para garantir a segurança da nossa comunidade”. Mas também afirmou que “não tem novidades para anunciar”.

O Google também confirmou que “teve uma conversa com a equipe da ministra Damares Alves para discutir pautas em comum sobre segurança digital”. Por meio de sua assessoria de imprensa, a empresa também diz: “mantemos o diálogo aberto com diversos setores sobre nossas ferramentas e iniciativas que têm potencial de contribuir para o país nesta área. No momento, não temos nada para anunciar”.

Olhar Digital
Tecnologia

Carteira de Trabalho digital: saiba como funciona aplicativo

Aprenda a usar o CTPS Digital para ter a sua carteira de trabalho no celular — Foto: Helito Beggiora/TechTudo

O CTPS Digital é o app que reúne informações de sua Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) na tela do celular. Disponível grátis para smartphones Android e iPhone(iOS), o serviço oferece todos os dados do documento físico em formato digital. Por meio dele, o usuário pode consultar o número do seu PIS/PASEP, checar o seu contrato de trabalho atual e até mesmo solicitar segunda via da caderneta – em caso de perda, por exemplo.

A plataforma é útil, pois otimiza o processo de verificar informações dispostas na carteira de trabalho, além de dispensar ter em mãos a versão física do documento. No tutorial a seguir, confira como se cadastrar e usar o app CTPS Digital, no celular, para ter sua carteira de trabalho quando quiser. O procedimento foi realizado em um iPhone 8com o iOS 12, da Apple, mas as dicas também valem para usuários de aparelhos com o sistema operacional do Google.

Passo 1. Instale o CTPS Digital pela página do TechTudo. Ao abrir pela primeira vez, será necessário fazer login em sua conta ou se cadastrar no site do Governo. Para isso, deslize a tela para o lado e vá em “Entrar”;

Passo 2. Entre com o seu CPF e senha ou, caso não possua cadastro no portal Cidadão.br, toque em “Cadastre-se”. Em seguida, selecione novamente “Cadastre-se”;

Passo 3. Um aviso informa sobre a necessidade de confirmar os dados da sua Carteira de Trabalho e Previdência Social. Toque em “Continuar” e preencha com as informações solicitadas – CPF, data de nascimento, nome, e-mail, celular e nome da mãe;

Passo 4. Na próxima etapa, responda a cinco perguntas pessoais para confirmar a sua identidade. Uma senha provisória será gerada e exibida na tela. Anote os números;

Passo 5. De volta à tela de login do app CTPS Digital, digite o seu CPF e insira a senha provisória. Você deve fornecê-la novamente em “Senha atual” e criar um novo código de proteção. Feito isso, vá em “Alterar senha”;

Passo 6. Autorize o acesso do app CTPS Digital aos seus dados pessoais pelo portal Cidadão.br. Após isso, serão exibidos na tela inicial os dados básicos da sua carteira de trabalho;

Passo 7. Na segunda aba, visualize o seu contrato de trabalho atual. Toque sobre ele para ler os detalhes;

Passo 8. A aba seguinte exibe o QR Code, que serve para comprovar a autenticidade das informações. Por fim, na última guia, você pode acessar a política de privacidade, ver perguntas frequentes, solicitar segunda via da sua carteira de trabalho ou sair do aplicativo.

Pronto. Aproveite as dicas para usar o app CTPS Digital para ter sempre à mão a sua Carteira de Trabalho e Previdência Social.

Globo, via Techtudo

Últimos Eventos

03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube
08/07/2017
Parque Exposições - Fotos: Mazilton Galvão

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!