Sérgio Moro

Lava Jato: Telegram afirma que não há evidência de que sistema foi “invadido”

Ministro Sérgio Moro

O aplicativo de mensagens Telegram revelou nesta terça-feira, 11, que não há evidências de que o sistema de comunicação foi hackeado. A empresa repercutiu o caso envolvendo das trocas de mensagens entre o ex-juiz federal e atual ministro da Justiça, Sergio Moro, e os integrantes da força-tarefa da Operação Lava Jato no Paraná. As conversas foram divulgadas no último domingo, 9, pelo site “The Intercept Brasil”.

Segundo o Telegram, em publicação feita no Twitter, “não há evidência de nenhuma invasão”. “É mais provável que tenha sido malware [uma espécie de vírus] ou alguém que não esteja usando uma senha de verificação em duas etapas”.

O site da empresa de comunicação informa que, ao longo de seis anos de existência, o Telegram não compartilhou dados com terceiros. Além disso, China, Irã e Rússia bloquearam o aplicativo porque não puderam acessar os dados do usuário.

“Nenhuma maneira de minar a criptografia do Telegram foi descoberta, apesar de pesadas tentativas. Os aplicativos do Telegram são de código aberto, o que permite que os pesquisadores verifiquem que não há backdoors”, detalhou a empresa.

O ministro Sérgio Moro também o Twitter para se defender. Ele indicou acreditar que a conta no Telegram havia sido hackeada. Ele disse que, “além de juízes e procuradores, jornalistas também tiveram celulares hackeados pelo mesmo grupo criminoso”.

Agora RN

Últimos Eventos

21/09/2019
São Vicente/RN
03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!