Arquivos:

Notícias » Segurança » Sistema Prisional

“Estado deve entrar de imediato em Alcaçuz”, declara ex-secretário nacional de Segurança

Ricardo Balestreri, ex-secretário nacional de Segurança.

No cenário de tensão na penitenciária Estadual de Alcaçuz com a rebelião que já dura quatro dias, Ricardo Balestreri, ex-secretário nacional de Segurança e atual professor de Gestão de Segurança Privada na Estácio Natal, afirma que o Estado não pode ficar inerte à situação como espectador e precisa agir de imediato no espaço interno do presídio. “O Estado precisa ‘invadir’ o presídio de Alcaçuz com uso das tecnologias corretas. Não se pode assistir ao motim sem fazer nada”, alerta.

Para ele, o Governo não pode temer a ocorrência de um “segundo Carandiru”, e usar como motivo para a não atuação. “Só vão repetir a chacina no Carandiru se não fizerem da maneira correta. Uma coisa é invadir e controlar, outra é entrar para fuzilar”, coloca o professor. Na opinião dele, para esta invasão, como solução em curto prazo para o controle da penitenciária, devem ser utilizadas “armas não letais com a utilização progressiva e funcional da força”.

Após a entrada e controle da situação, conforme Balestreri, é necessário realizar um esvaziamento do presídio, em uma força tarefa com a atuação do Ministério Público, Tribunal da Justiça do RN, Defensoria Pública. “É preciso estabelecer um método rápido, retirando de imediato os presos provisórios e os de menor periculosidade”, afirma.

Em longo prazo, mas como prioridade, é necessário o Estado formar “grupos táticos de intervenção imediata para presídios”. “É preciso criar esses grupos especializados no controle de manifestações, e não precisar chamar a Policia Militar – que não possui essa especialidade. Invadir uma casa, não é mesmo que invadir uma penitenciária”, considera Balestreri. Outra solução, já em ação futura, de acordo com o especialista, é fazer uso do método APAC (Associação de Proteção e Assistência aos Condenados) para gestão das penitenciárias, contando com a parceria da sociedade organizada. “O Governo não pode achar que vai resolver tudo sozinho, sem o apoio da sociedade”, alerta.

Chacina em Alcaçuz

“São mortes anunciadas aqui no Rio Grande do Norte, e no Brasil inteiro”, afirma Ricardo Balestreri, sobre o massacre que ocorreu neste último sábado (14), na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, maior do Estado. Vinte e seis homens foram assassinados na ocasião e há o risco de uma chacina maior, já que a rebelião continua, acumulando quatro dias de tensão no presídio.

O motim foi motivado pela disputa de mercado entre facções rivais que atuam no Estado: o Sindicato do Crime (SDC), facção aliada ao Comando Vermelho que foi alvo do ataque de sábado (14) e o Primeiro Comando da Capital (PCC), autor dos homicídios. “Além do problema da superpopulação, temos uma luta entre facções por domínio de mercado. A luta por este domínio se trava nas ruas, e também se trava dentro dos presídios que são os grandes escritórios do crime no País”, coloca Balestreri.

De acordo com Ricardo Balestreri, é um erro comemorar a guerra e morte entre os presos, como se estivesse diminuindo o número de criminosos. “O leigo pode não saber, pode achar que é interessante que os bandidos se matem. Mas essas mortes fortalecem e tornam maiores as facções. Elas criam monopólios”, afirma o professor.

Rio Grande do Norte » Segurança

Governo Federal prorroga presença da Força Nacional no Rio Grande do Norte por mais 60 dias

Agentes da Força Nacional trabalhando no RN.

Portaria assinada pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, prorrogou, por mais 60 dias, a presença da Força Nacional no Estado do Rio Grande do Norte. Segundo portaria publicada hoje no Diário Oficial da União (DOU), a decisão considerou a manifestação do governador do Estado do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, quanto à necessidade de continuidade da presença da Força Nacional no Estado para a preservação da ordem pública.

A portaria informa que o uso da Força Nacional, em “caráter episódico e planejado”, em consonância com os órgãos de Segurança Pública do Rio Grande do Norte, foi prorrogado por mais 60 dias “para exercer ações de polícia ostensiva, com o objetivo de conter a criminalidade, em conjunto com a Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Norte”.

A operação terá o apoio logístico do Estado, nos termos do Convênio de Cooperação firmado entre as partes, bem como a permissão de acesso aos sistemas de informação, inteligência, disque-denúncia e ocorrências, no âmbito da Segurança Pública. O número de profissionais que será disponibilizado pelo Ministério da Justiça obedecerá ao planejamento definido pelos entes envolvidos na operação.

Por Valor Econômico
Policial » Reforço » Segurança

REFORÇO: Manaus terá mais policiais nas ruas e segurança reforçada em presídios

Policiais reforçarão segurança após rebeliões.

O remanejamento dos policiais que atuam nos setores administrativos e o retorno de parte dos policiais cedidos para outros órgãos estão entre as ações definidas em reunião pelos Órgãos de Segurança Pública do Amazonas para reforçar a segurança em Manaus e nas unidades prisionais do estado.

As medidas preveem o aumento do policiamento em todas as zonas da capital amazonense, com reforço de aproximadamente 300 policiais. As ações foram anunciadas ontem (6) à noite. Outra medida é o reforço nos armamentos dos policiais que estão nas muralhas dos presídios. Eles receberão pistolas e espingardas calibre 12.

O governo do Amazonas também instalará uma base fixa no quilômetro 8 da BR-174, onde ficam a maioria das unidades prisionais do estado. A base abrigará policiais de prontidão, que poderão ser acionados em caso de necessidade. Os policiais que forem convocados nas folgas receberão gratificação extra.

A reunião que definiu as ações ocorreu ontem (6) à noite na sede da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) e contou com a participação de representantes da Corregedoria-Geral do estado, da Polícia Militar, da Polícia Civil, do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), do Departamento de Polícia Técnico-Científica e do Corpo de Bombeiros.

A Secretária de Segurança Pública do Amazonas também criou uma central de denúncias, por meio do telefone 181, para agilizar as informações recebidas sobre os foragidos. Todas as informações recebidas serão repassadas ao grupo especial que atua nas buscas, formado pelas tropas especiais da Polícia Militar, pelas forças especiais da Polícia Civil e por policiais da Secretaria-Executiva-Adjunta de Operações Integradas da SSP-AM (Seaop). A central será coordenada pela Secretaria-Executiva-Adjunta de Inteligência (Seai).

Agência Brasil
Finanças » Segurança » Uber

Funcionários do Uber vão passar a cobrar R$ 0,75 como “taxa de segurança”

O Uber não informou quais são as iniciativas de segurança.

O Uber passou a cobrar uma taxa de R$ 0,75 para cada viagem feita em todo o Brasil. A nova tarifa, que começou a valer anteontem, tem como objetivo “apoiar iniciativas de segurança” para motoristas e usuários e outros custos operacionais, segundo a empresa.

O Uber não informou quais são as iniciativas de segurança e também não quis comentar se a nova tarifa seria cobrada para implementar ações para coibir assaltos aos motoristas.

Em novembro, levantamento feito pelo Estado mostrou que ao menos três motoristas do Uber são assaltados por dia em São Paulo. De janeiro a outubro, os motoristas e passageiros do aplicativo sofreram pelo menos 271 roubos. Desses, 50 aconteceram até 29 de julho, data em que o aplicativo passou a aceitar dinheiro como pagamento – média de 7 casos por mês. De 30 de julho a 16 de outubro, a polícia contou 221 crimes, média de 88,4 por mês, ou 1 caso a cada 8 horas – um aumento de 1.162% em relação ao período anterior.

Como comparação, é possível verificar que o crescimento dos casos envolvendo o Uber é bem maior do que o de roubos no Estado De janeiro a julho de 2016, a média mensal de roubos paulista foi de 26.666. Em agosto e em setembro, esse número ficou em 28 041 – aumento de 5,1% em relação à média anterior registrada.

A empresa informou apenas que os investimentos na plataforma ajudam a melhorar a confiabilidade e sustentabilidade. “Ao longo do último ano, cada vez mais pessoas utilizaram o Uber para conseguir transporte confiável e rápido nas cidades. Para manter o crescimento saudável da plataforma no Brasil, vamos implementar uma cobrança fixa de R$ 0,75 a cada viagem”, disse.

Além da nova tarifa, em São Paulo há também uma cobrança de R$ 0,10 por quilômetro rodado, recolhida pela Prefeitura.

Morte

Na madrugada de ontem, um motorista do Uber foi morto a facadas no bairro da Saúde, na zona sul da capital. O celular da vítima foi levado pelos autores do crime, mas a carteira foi achada no local.

O crime aconteceu na Alameda dos Ubiatans e o Uber nega que o motorista estivesse trabalhando no momento. O delegado Julio César de Almeida Teixeira, do 16.º DP (Vila Clementino), disse que testemunhas relataram que a vítima estava no carro com uma transexual, quando começaram a discutir e entraram em luta corporal.

Um homem, que estava na rua e presenciou a cena, abordou os dois e se identificou como policial. Ele deu ordem para que a transexual saísse do carro. O homem então entrou no veículo e começou a discutir com a vítima. “Segundo as testemunhas, o homem estava com um objeto que aparentava ser uma faca”, disse Teixeira.

O motorista saiu do veículo e foi seguido pelo homem, que o agrediu com a faca. O motorista caiu ao lado do carro e foi encontrado por policiais militares e encaminhado ao Pronto-Socorro Saboya, onde morreu.

“Trabalhamos com duas possibilidades, latrocínio ou homicídio. Ainda não podemos dizer se levaram o celular da vítima porque foi um crime patrimonial ou se levaram o celular para subtrair uma prova que pudesse levar à identificação do autor do crime”, disse o delegado.

Teixeira disse que solicitou ao Uber as corridas feitas pela vítima no dia do crime, mas até a tarde de ontem a empresa não havia fornecido as informações, apesar de afirmar que o motorista não trabalhava no momento da abordagem.

Estadão Conteúdo
Rio Grande do Norte » Segurança » Sistema Prisional

RN está fora da lista de intervenções federais em presídios, informa Virgolino

Wallber Virgulino, secretário de Justiça e Cidadania do RN.

O sistema prisional do Rio Grande do Norte saiu da lista das intervenções do Governo Federal.

O titular da Secretaria de Justiça e Cidadania, Wallber Virgolino, comemorou agradecendo aos companheiros de trabalho da Sejuc. Além disso, lembrou o esforço do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Estado (Sindasp/RN).

“Agradecer primeiramente ao Supremo Arquiteto do Universo (Deus), ao governador Robinson Faria e ao esforço diário dos valorosos homens e mulheres que compõe todo o corpo da Sejuc, incluindo o Sindasp/RN. O sistema prisional do RN saiu da lista do Governo Federal das intervenções federais”, falou Virgulino.

O secretário recordou, inclusive, que em 2015, o Estado sofria até com denúncias dos Direitos Humanos quanto a situação nos presídios potiguares, o que foi superado. “Isso mostra que estamos superando a crise”, afirmou o titular da Sejuc.

Ontem quinta-feira (5), a Procuradoria Geral da República informou ter aberto investigação nos sistemas penitenciários de Amazonas, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Roraima para solicitar ao Supremo Tribunal Federal (STF) a intervenção com o objetivo de restabelecer a ordem nos presídios.

Segurança

Autoridades sabiam de plano de fuga e presença de metralhadora em presídio

Foto: Divulgação

Apenas 24 horas antes do início do massacre que vitimou 56 pessoas no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, o serviço de inteligência da Secretaria estadual de Segurança Pública do Amazonas identificou a presença de armas pesadas nas celas e a iminência de uma fuga de presos de regime fechado com apoio de detentos da ala do regime semiaberto. As informações estão em documento oficial produzido dentro do Sistema Integrado de Comando e Controle do Amazonas, central que reúne representantes de todos os órgãos de Segurança estaduais e federais em atuação no estado. Ainda assim, foi ignorado pelas autoridades, e nada foi feito para evitar a tragédia.

“O interno Francis Olumuyiwa Olufunwa Ou Adekunle – vulgo ‘Nigéria’ estaria em posse de 01 (uma) metralhadora (calibre desconhecido), e 02 (duas) pistolas (calibres desconhecidos). O referido interno teria cumprido 1/6 (um sexto) de sua pena no Compaj Fechado, sendo de conhecimento da Seap que em todas as tentativas de fuga os internos do Fechado teriam obtido apoio operacional e logístico do semiaberto”, escreveram os técnicos do serviço de inteligência no documento oficial, obtido pelo GLOBO.

O relato cita ainda a entrada no Compaj de “pelo menos 08 (oito) armas de fogo na semana que antecedeu o Natal, através de visitantes, com apoio de Agentes de Socialização, que já foram identificados. Tais armas seriam utilizadas como suporte durante a fuga”.

 

O Globo
Notícias » Política » Rio Grande do Norte » Segurança » Sem categoria

PURO MARKETING: concurso da Polícia Militar do RN não deve sair do papel

Desde que assumiu o governo do estado, em janeiro de 2015, Robinson Faria já colocou três comandantes à frente da Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Norte, e como frisou o Coronel Ângelo, “Fui usado como Bode Expiatório”, os demais passaram e passarão pela mesma situação, respectivamente. O concurso da PM é instrumento de marketing político, destacou o ex-comandante da PM/RN, coronel Azevedo.

É governador, o que vale do homem é a palavra, como se diz aqui no nosso nordeste, “3 é burro”! Enquanto isso a população padece com a criminalidade do estado no “governo da segurança”.

Rio Grande do Norte » Segurança

RN é o 4° estado com maior taxa de homicídio e 16° lugar no ranking de mais perigoso do País

São Paulo lidera a lista de estados com as melhores taxas de segurança do Brasil. Em 10 anos, 19 estados pioraram seu desempenho no estudo.

São Paulo lidera a lista de estados com as melhores taxas de segurança do Brasil. Em 10 anos, 19 estados pioraram seu desempenho no estudo.

De acordo com estudo da consultoria Macroplan, São Paulo é o estado com o melhor índice de segurança do Brasil. Para chegar a essa conclusão, e formar o ranking, a consultoria cruzou informações da taxa de homicídios com a taxa de óbitos por acidente de trânsito das 26 unidades federativas e o Distrito Federal em 2014. Quanto mais próximo de 1 for o índice do local, melhor é o seu desempenho.

Na capital paulista, que ficou com índice de 0,866, cerca de 13 pessoas são assassinadas por ano a cada grupo de 100 mil habitantes – a taxa é duas vezes menor do que a média nacional, de 29 mortes a cada cem mil.

Quem encabeça a segunda colocação no ranking dos estados mais seguros é o Amazonas, que ficou com o saldo de 0,761. O Rio Grande do Sul aparece em terceiro, com índice de 0,745.

Do outro lado, Mato Grosso foi o que recebeu o título do local mais perigoso do Brasil. A taxa de homicídio do estado está entre as 10 maiores do país: 42 mortes a cada 100 mil habitantes. O Rio Grande do Norte ocupa a 16° colocação. Em compensação, a taxa de homicídios no RN é classificada como a quarta maior do Brasil. No quadro geral, boa parte dos estados brasileiros deixou a desejar. Em dez anos (2004-2014), 19 das 27 unidades da federação reduziram a sua nota no estudo. Ou seja, houve uma piora na área.

Agora RN
Rio Grande do Norte » Saúde » Segurança

Judiciário vai liberar até R$ 100 milhões para hospitais e segurança

Desembargador, Cláudio Santos

Desembargador, Cláudio Santos

O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Cláudio Santos, anunciou a disposição para a liberação de, pelo menos R$ milhões de recursos do judiciário para o governo do Estado pagar dívidas operacionais da Policia Militar e mais de mil cirurgias  de urgência e emergência de adultos e crianças, além da aplicação dos recursos em melhorias nos Hospitais Walfredo Gurgel o Maria Alice Fernandes e reabrir o hospital da Mulher em Mossoró.

O presidente destacou que irá conversar com os demais desembargadores e deputados estaduais sobre esta medida. “É dinheiro para o essencial, custeio, medicamentos, material para melhorar às condições de atendimento à população”, frisou o desembargador. O anuncio foi feito pelo dirigente do Poder Judiciário estadual durante entrevista.

Tribuna do Norte
Segurança

Forças Armadas é a instituição em que a população mais confia, diz pesquisa.

forcas-armadas

As Forças Armadas é a instituição em que a população brasileira mais confia, segundo o Índice de Confiança na Justiça, produzido pela Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, divulgado hoje (28), mostrou que, 59% dos entrevistados dizem confiar nas Forças Armadas.

Atrás das Forças Armadas, estão a Igreja Católica (57%),  imprensa escrita (37%),  Ministério Público (36%),  grandes empresas (34%) e  emissoras de TV (33%). Para o índice, foram entrevistadas 1.650 pessoas residentes nas capitais e regiões metropolitanas do Distrito Federal, Amazonas, Bahia, Minas Gerais, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo durante os primeiros seis meses deste ano. Apenas 29% do total de entrevistados acreditam no Poder Judiciário e 25% na polícia, seguido pelos sindicatos (24%) e redes sociais (23%). A Presidência da República é acreditada por apenas 11% da população, o Congresso Nacional por 10% e os partidos políticos por 7%.

Últimos Eventos

06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube
08/07/2017
Parque Exposições - Fotos: Mazilton Galvão
08/07/2017
Parque Exposições - Fotos: Mazilton Galvão

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!