Saúde

Repasse do governo federal para a saúde do RN caiu R$ 180 milhões em 2019, diz secretário

De acordo com o secretário, enquanto as despesas cresceram 3,1% em 2019, as receitas subiram 5,38%

O secretário de Planejamento e Finanças do Governo do Estado, Aldemir Freire, afirmou que as transferências do governo federal para o Rio Grande do Norte na área da saúde caíram drasticamente em 2019, com relação ao ano passado. Segundo o auxiliar da governadora Fátima Bezerra, a diferença foi de R$ 180 milhões apenas nos quatro primeiros meses do ano.

Em prestação de contas na Assembleia Legislativa nesta terça-feira, 27, Aldemir Freire ressaltou que o Estado segue um processo de recuperação de receitas, que as despesas foram controladas de forma rígida no atual governo e revelou que, mesmo com os recentes esforços, os gastos com pessoal ainda continuam acima do limite permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

De acordo com o secretário, enquanto as despesas cresceram 3,1% em 2019, as receitas subiram 5,38%, o que demonstra que a gestão caminha para o equilíbrio das contas.

“É preciso que a economia continue crescendo para que as receitas continuem se recuperando, as despesas precisam passar por um controle rígido, limitando sobre tudo o crescimento das despesas com pessoal, visto que essas despesas estão acima do limite permito por lei. É preciso trazer isso para dentro do limite nos próximos anos. Além disso, buscar um apoio maior da união nos repasses de recursos para a saúde, visto que esse é um dos pontos que está travando a execução orçamentária do setor”, destacou o secretário.

Líder do governo na Assembleia, o deputado estadual George Soares (PL) destacou que a aprovação, pela Casa, de um teto de gastos para o Estado vai contribuir com o controle das finanças. “Se essa PEC (Proposta de Emenda à Constituição) existisse anos atrás, nós teríamos um controle no crescimento da despesa”, frisou o parlamentar.

Segundo a PEC, que ainda precisa ser promulgada, o Governo do Estado não poderá gastar, a partir de 2020, mais do que a despesa orçada no ano anterior acrescida de até 70% do crescimento da receita ou a correção pela inflação, o que for maior. Estão fora da regra de restrição de gastos as despesas com saúde, educação e segurança pública e os gastos com transferências constitucionais para os municípios, emendas parlamentares e transferências.

Agora RN

Últimos Eventos

21/09/2019
São Vicente/RN
03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!