Arquivos:

Saúde

Rede hospitalar de Natal está saturada e sofre com déficit de leitos

O Rio Grande do Norte tem, atualmente, um déficit de quase mil leitos nas redes pública e privada de Saúde, de acordo com cálculo baseado em recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde (OMS). O problema da falta de leitos, que até pouco tempo era exclusivo do sistema público, também atinge, hoje, parte da população que pode pagar pelos serviços de saúde. Nos últimos meses, os hospitais privados da capital potiguar estão trabalhando no limite da capacidade de internação, de acordo com diretores de unidades consultadas pela reportagem. O atendimento está saturado.

Nelson Solano afirma que planejamento teria ajudado a regular leitos.

Nelson Solano afirma que planejamento teria ajudado a regular leitos.

Enquanto a OMS recomenda 2,5 a 3 leitos hospitalares disponíveis para cada 1000 habitantes, o Estado tem bem menos que isso. Dos 8.434 ideais, com base na estimativa do IBGE para a população em 2013, o Estado conta com 7.454 leitos clínicos e cirúrgicos. O déficit maior é para os casos de UTI.

A maior parte dos hospitais privados do Estado se concentra em Natal. Enquanto algumas dessas unidades planejam investir numa ampliação de leitos em médio prazo, outras relatam falta de condições para isso. De acordo com o médico Guilherme Maia, diretor da Promater, a demanda de pacientes dobrou nos últimos anos, enquanto a oferta ainda é a mesma do passado.

“A população de plano de saúde aumentou muito e a quantidade de leitos é praticamente a mesma de uma década atrás. Nesse tempo, nenhum órgão municipal, estadual, ou federal criou  dispositivos que facilitasse crédito para aquisição de novos leitos”, coloca. “Para se ter uma ideia, somente um dos planos com que temos contrato tinha 20 mil vidas [como são chamados os clientes] há cinco anos. Hoje são 120 mil”, aponta.  O médico ainda confirmou que, em alguns dias da semana, não é difícil que um paciente não encontre internação nos hospitais particulares por falta de vagas.

O hospital declinou de uma proposta da Fifa para atender ao público de  jogadores, cartolas ou repórteres estrangeiros que precisassem de atendimento durante o mundial, por falta de capacidade para atender um possível aumento da demanda. Para ele, os 154 leitos, entre quais estão os de UTI, não seriam suficientes para atender à demanda da Fifa e os pacientes habituais. A organizadora da Copa consultou hospitais localizados no raio de até dois quilômetros da Arena das Dunas – que receberá quatro jogos da primeira fase do mundial.

Alas fechadas

Mesmo contando 30 leitos de UTI, além de outros 25 para internação de curto prazo e 75 para casos clínicos e cirúrgicos, o Natal Hospital Center vem, há mais de um ano, funcionando praticamente com 100% sua capacidade atual, de acordo com o diretor geral da unidade, Adalberto Bezerra Filho. O hospital possui estrutura de outros 100 leitos que poderiam entrar em funcionamento num prazo de 90 dias. “Mas isso ainda não faz parte do planejamento. Acreditamos que ainda não há demanda”, coloca.
O diretor acrescenta que a abertura dos novos leitos, em dois andares, deve ocorrer em médio prazo, mas não há data definida. Ainda de acordo com ele, quando a unidade foi inaugurada, 12 anos atrás, havia dois andares para leitos de internação. Faz quatro anos que mais um andar foi aberto.

O planejamento é a alternativa encontrada por alguns dos hospitais, como o Hospital do Coração, para atender toda a demanda. O hospital, que tem vários atendimentos cirúrgicos, organiza os agendamentos para evitar transtornos e considera uma média diária para demais atendimentos. São 112 leitos, sendo que 26 são de UTI. Até 2015, o hospital deve implantar mais 7 leitos de UTI. No ano seguinte, novos 40 leitos de internação devem ser entregues.

“A Fifa apresentou a possibilidade de demanda para atendermos durante a Copa. Achamos que não vai ser diferente de 2008, quando recebíamos muitos turistas. Temos contratos com empresas que vão trazer pessoas, mas não aceitamos contrato de exclusividade ou bloqueio de leitos para a Fifa”, coloca o diretor do hospital, Nelson Solano, para quem seria inviável fechar leitos, sendo que parte dos pacientes ficaria sem atendimento.

Tribuna do Norte
Descaso » Saúde

Médicos operam pé errado e paciente se revolta

Francisco se revolta por ter sido vítima de erro médico.

Francisco se revolta por ter sido vítima de erro médico.

O autônomo Francisco Ferreira de Melo Junior, de 50 anos, teve o pé esquerdo operado mas, na verdade, ele estava com o dedão do outro pé, o direito, quebrado. O suposto erro médico aconteceu na Santa Casa de Santos, no litoral de São Paulo.

Segundo Francisco, o problema começou em abril. “Eu acabei quebrando o dedão do pé direito no dia 22 do mês passado. Fui ao Pronto-Socorro da Zona Noroeste e logo depois fui encaminhado para a Santa Casa. No dia 27, fui internado e realizei a operação. Quando acordei, já estava com o pé saudável operado”, lembra.

Após a cirurgia, o autônomo diz que ficou com medo. “Eu não sabia o que fazer. Os médicos disseram que me dopariam e arrumariam o erro, mas eu não botava fé. Cheguei a pensar que seria uma ‘queima de arquivo’ para encobrir o erro. Só aceitei fazer a cirurgia depois de avisar a minha família sobre o ocorrido”, explica.

Francisco explica que o problema maior não foi a operação errada. “O pior de tudo foi o mau tratamento que recebi. Não me deram nenhuma satisfação, não me pediram desculpas. Fui tratado como um lixo”, finaliza.

A vítima do incidente prestou queixa na Polícia Civil e fez exame de corpo de delito, no qual foi constatado que haviam dois pinos no pé esquerdo dele. Por meio de nota, a Santa Casa de Santos afirma ter conhecimento do caso e que irá apurar os fatos.

 

 

Saúde

Terceirizados da SESAP passarão a usar ponto eletrônico

Uma das manobras mais polêmicas criada pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap)  para tentar controlar e moralizar a frequência dos médicos estatutários será estendida aos profissionais terceirizados da pasta. A secretaria começou o processo de implantação do ponto eletrônico para os médicos cooperados de, pelo menos, duas cooperativas e estuda a ampliação do controle para todos os profissionais ligados às entidades que mantém contrato com a administração estadual. A intenção é ter controle mais rígido sobre os mais de dois mil plantões contratados, mensalmente, junto às cooperativas.

O ponto eletrônico no âmbito da Sesap foi definido através da Portaria 218/2013, publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) do dia 7 de junho de 2013. A norma foi a continuidade de um processo iniciado em abril de 2012. O sistema de monitora mento através da biometria está “linkado” com o sistema Ergon que gerencia a folha de pagamento dos servidores da pasta. As faltas registradas são traduzidas em descontos no salário do servidor.

O mesmo procedimento será obrigatório, ainda neste ano, para os médicos terceirizados. Segundo a Cooperativa Médica do Rio Grande do Norte (Coopmed/RN), a fiscalização eletrônica é bem-vinda. De acordo com Luiz Roberto Fonseca, o setor de recursos humanos da Sesap está realizando o cadastramento dos profissionais. “Estamos na fase de coleta de digitais dos médicos”, disse.

Tribuna do Norte
Saúde

Estado perde 316 médicos em quatro anos

A secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) vai perder, até o fim deste ano, 316 médicos. Esta quantidade é suficiente para atender a demanda dos hospitais Tarcísio Maia, em Mossoró, e Santa Catarina, na zona Norte de Natal. O montante também é quase o necessário para operacionalizar o maior hospital de urgência e emergência do Estado, o Walfredo Gurgel – que necessita de 352 médicos –, e corresponde a mais de 17% do efetivo atual na Sesap. O déficit na secretaria é de 578 profissionais.

A perda é sinalizada pela Coordenação de Recursos Humanos (CRH) do órgão. Até dezembro, pelo menos 45 profissionais serão exonerados e outros 97 vão atingir o tempo de serviço e poderão pedir aposentadoria. Atualmente, 1.800 médicos compõem o quadro de pessoal na Sesap. Entre janeiro de 2011 e março passado, 174 profissionais foram exonerados a pedido ou através de ofício, ou seja, foram demitidos. A debandada da classe médica atinge principalmente áreas sensíveis como a ortopedia e anestesiologia.

Além de dificultar o atendimento à população, a fuga de profissionais eleva os gastos públicos. O valor dos contratos com cooperativas aumentou 92% no intervalo de quatro anos.

A Sesap já chegou a contar com 2.100 médicos no seu quadro. No entanto, nos últimos três anos, a secretaria assistiu a maior fuga desses profissionais que se intensificou na atual administração comandada pelo médico Luiz Roberto Fonseca. Desde que assumiu a pasta – há pouco mais de um ano –, o secretário implantou medidas  consideradas “antipáticas” por boa parte da classe médica. “Podem ser antipáticas, mas são necessárias para arrumar a casa”, disse o titular da CRH, Carlos Roberto Pinto Lopes.

Tribuna do Norte
Família » Saúde

Após passar toda a vida em hospital, menino vai para casa pela 1ª vez

Lágrimas de tristeza pela despedida e de alegria pelo recomeço. Assim foi o último dia do menino Roger Inácio Dutra da Silva, de seis anos, em um hospital de Porto Alegre. Após passar a vida inteira internado, ele foi para casa pela primeira vez na última sexta-feira (25). E emocionou familiares e também a equipe médica que tratou dele, como mostra a reportagem do Teledomingo.

Roger é portador de síndrome de Down e tinha uma doença que afetava os nervos do intestino. Ele precisou ser submetido a uma cirurgia em outro hospital, mas uma complicação durante esse procedimento fez o menino perder quase todo o intestino: restou apenas 10% do órgão. “Ele tinha a doença de Hirschspring, em que o intestino não tem a enervação adequada”, explicou o médico José Vicente Spolidoro.

Como o intestino do menino não tinha capacidade de absorção, ele só conseguia se alimentar diretamente pela veia. Por isso, nunca havia saído do hospital. Mas o que ninguém esperava aconteceu. Devido ao progresso de Roger, os médicos decidiram dar alta a ele.

“Está aqui a alta formalmente, simbolicamente, para vocês, essa folha tão importante”, disse a médica residente do Hospital São Lucas da PUCRS Natália Correa, ao anunciar a liberação de Roger à família. “A gente está muito feliz com essa evolução, com ele podendo comer pela boca nesse ultimo mês”, comentou.

Foi mesmo uma vitória para Roger e também para a mãe dele, Eva Flores Dutra. Durante todos esses anos, ela esteve ao lado do filho, dormindo na poltrona do quarto dividido com outros pacientes. “Vou te dizer que eu estou bem nervosa porque eu vou ter que acostumar de novo a ter uma casa e a cuidar dele sozinha. Vai ser eu, ele e um pouco de medo, mas eu estou feliz. Estou feliz por ele, porque ele precisa viver”, destacou mãe.

De fato, a vida será diferente para Roger. Fora do quarto do hospital, poderá conhecer um mundo totalmente novo para ele. “Ele não sabe a diferença do dia e da noite, ele vive dentro do quarto do hospital, não conhece os animais, não conhece as ruas, os carros, pessoas em geral. Então ele vai ter um impacto bem importante que a gente vai ter que acompanhar de perto. Mas eu tenho certeza que ele vai tirar de letra e ser muito feliz lá fora”, aposta a médica Ana Paula Vaz.

Junto coma expectativa de uma vida nova, veio também a gratidão. Foi o que Eva demonstrou em uma carta entregue à equipe médica. “Com certeza sem vocês eu não teria conseguido superar todos esses momentos”, diz a carta. Ao ler o texto, o médico João Carlos Santana se emocionou e deu um abraço e um beijo em Eva.

Na hora de ir embora do hospital, Roger pediu pra brincar na grama. No carro, um olhar assustado acompanhou o trajeto até Canoas, na Região Metropolitana, onde eles vão morar. Mas logo na chegada o abraço da irmã, de 19 anos, trouxe força à família.

Uma casa nova foi alugada para poder receber o menino, que precisa de cuidados especiais. E grande parte dos recursos que a família dispõe foi doada por meio de uma campanha feita por funcionários do hospital. Para a família de Roger, no entanto, as dificuldades não assustam. Conviver com o menino é uma grande lição de vida.

“O Roger me ensinou tudo, tudo. Não interessa se você não tem alguma coisa, ou se tem alguma coisa. Na verdade, tu não precisa de dinheiro para sobreviver. Só o fato de ter e olhar pra ele já chega, já é uma grande alegria. Não precisa de mais nada”, concluiu a mãe.

Apesar das doações recebidas, a família não tem condições financeiras de arcar com o tratamento financeiro do menino. Por isso, a campanha de ajuda continua. Qualquer coisa é importante, mas principalmente o leite especial que ele usa pra se alimentar. Quem estiver disposto a ajudar, pode entrar em contato com a família pelo telefone (51) 9194-0716.

Globo.com
Currais Novos » Saúde

Em C. Novos, Prefeitura convoca aprovados em concurso público na área da saúde

O Diário Oficial do Município publicou na última quarta-feira (16), o edital de convocação dos aprovados e classificados em Concurso Público Municipal (conforme abaixo relacionados), realizado em 05 de dezembro de 2010, HOMOLOGADO através da Portaria nº 0025, de 03 de janeiro de 2011, publicado no Diário Oficial do Município em 03 de Janeiro de 2011. Os convocados devem comparecer à Secretaria Municipal de Administração – Subcoordenadoria de Recursos Humanos, situada na Rua Teotônio Freire – Terminal Rodoviário – 1º Andar – 3º Bloco, Santa Maria Gorete, Currais Novos/RN, no horário das 08 às 12 horas, no prazo de 05 dias úteis, contados da publicação, para tratar de assunto do seu interesse. O candidato que não comparecer no prazo determinado, será automaticamente desclassificado. OS CONVOCADOS SÃO:

CARGO ENFERMEIRO – PSF – ZONA URBANA

Sem título1

CARGO AUXILIAR DE ENFERMAGEM – PSF – ZONA URBANA

Sem título2

CARGO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE – PSF – ZONA URBANA
Área do Bairro Manoel Salustino

Sem título3

CARGO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE – PSF – ZONA URBANA
Área do Bairro Parque Dourado II

Sem título4

CARGO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE – PSF – ZONA URBANA
Área do Bairro Santa Maria Gorete II

Sem título5

ODONTÓLOGO – PSF – ZONA URBANA

Sem título6

Assecom - João Bezerra
Currais Novos » Saúde

Com recursos próprios, Prefeitura de C. Novos repassa por mês R$ 60 mil para urgência do HRMC

Hospital recebe R$ 60 mil mensais da Prefeitura de Currais Novos.

Hospital recebe R$ 60 mil mensais da Prefeitura de Currais Novos.

Uma das prioridades para a Prefeitura Municipal de Currais Novos é o investimento em ações que tragam melhorias para a saúde da população, buscando oferecer a todos os munícipes atendimento e serviços de qualidade, seja nas Unidades Básicas de Saúde, Policlínica, NASF, ou nos projetos da atenção básica. Os procedimentos de média e alta complexidade, de responsabilidade do Hospital Regional “Mariano Coelho”, são garantidos pelo Estado, porém, a Prefeitura Municipal reforça com recursos próprios – R$ 60 mil por mês – os pagamentos dos plantões da urgência. Além desta contribuição, a Prefeitura também repassa mensalmente, via convênio com o Governo do Estado, R$ 110 mil para o pagamento dos plantões extras. Dessa forma, o município cumpre mais do que um dever, mas uma obrigação constitucional, e cabe à unidade hospitalar, oferecer atendimento de qualidade à população.

Os serviços públicos gratuitos de saúde no Brasil estão dentro de um sistema onde existem “portas” de entrada dos usuários de acordo com a classificação de risco. As Unidades Básicas de Saúde (UBS) são, portanto, destinadas ao atendimento de consultas de baixa e média complexidade, curativos, tratamento odontológico, vacinas, além de encaminharem os usuários para consultas especializadas na Policlínica, por exemplo. Em Currais Novos, a população tem garantia de atendimento nas 7 UBS da zona urbana e nas 3 da zona rural. Para maio, a Prefeitura e Secretaria Municipal de Saúde devem abrir uma UBS no bairro JK para atender uma das maiores comunidades do município.

Currais Novos » Saúde

Equipe do Esquadrão Resgate volta a atuar em Currais Novos

Equipe presta um ótimo serviço à população curraisnovense.

Equipe presta um ótimo serviço à população curraisnovense.

A ambulância tipo Sprinter (pertencente a Fundação Pe. João Maria) foi liberada na última terça-feira (08/04) por decisão Judicial para atender a comunidade de Currais Novos. A decisão foi uma ação do Ministério público através da Promotora Dra. Mariana Barbalho juntamente com o Juiz da Comarca de Currais Novos Dr. Marcos Vinicius.

O Dr. Marcos Vinícius deferiu para que a ambulância seja usada somente no serviço do Esquadrão Resgate.

O Esquadrão Resgate é um grupo de socorristas que trabalham de forma voluntária e está paralisado desde janeiro deste ano.

A coordenadora do Grupo Esquadrão Resgate, Maria Liliane, informou que o grupo irá se organizar e a previsão é que na Semana Santa o grupo já esteja atendendo a comunidade. No entanto, para voltar a ativa e atender a comunidade, o Esquadrão Resgate precisa neste momento de uma base e de patrocínios.

Esquadrão Resgate
Rio Grande do Norte » Saúde

Após 24 dias, chega ao fim greve dos servidores estaduais da saúde

Após 24 dias, os servidores da saúde estadual decidiram em assembleia na tarde desta sexta-feira (11), pela suspensão da greve nos hospitais e unidades da saúde do estado. A decisão foi tomada após a sanção da governadora à lei que revisa o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR), assinada na manhã de hoje, e o compromisso do governo sobre outros pontos da pauta deste ano (em anexo).

“No ano passado, nós saímos da greve com um acordo, mas o governo descumpriu. Desta vez, a categoria decidiu só sair de greve com a lei assinada pela governadora”, afirmou Manoel Egídio Jr, vice-coordenador-geral do Sindsaúde-RN. A lei aprovada na Assembleia Legislativa no dia 03 garante o principal compromisso assumido na greve de 2013, que é a tabela correta, com a diferença de 3% entre os níveis, a ser implantada em abril (nível elementar), maio (nível médio) e junho (nível superior), com extensão aos aposentados. No entanto, deixa de lado cerca de dois servidores municipalizados, legalizando a segregação de parte da categoria.

Além da revisão dos salários, os servidores conseguiram o compromisso do governo em implantar a mudança de nível, atrasada desde 2012, e a revisão da portaria que regulamenta os plantões, permitindo um aumento na quantidade de trocas entre os funcionários e a redução dos descontos em caso de falta.

Segundo o Sindsaúde, há um aumento da quantidade de faltas e adoecimento da categoria, provocados pela sobrecarga de trabalho e pelo déficit de 2.950 servidores nos hospitais. “O TCE já permitiu a convocação de novos  servidores nas vagas dos que se exoneraram. Esperamos que o governo convoque imediatamente os concursados para os hospitais, para que a categoria pare de adoecer”, afirma Egídio.

Os servidores retornam ao trabalho na manhã deste sábado, na troca do plantão. Eles prometem novas mobilizações durante a Copa do Mundo, contra os gastos nos jogos e a crise na saúde pública.

BG
Prefeitura » Saúde

“Acontece em Currais Novos” desta sexta destacou o atendimento de média complexidade

Prédio da Unimed onde funciona a Policlínica

Prédio da Unimed onde funciona a Policlínica

Não permitir que a população espere horas em filas e até dormir nas calçadas de postos de saúde para marcar uma consulta com especialistas. Esse foi um dos avanços que a gestão municipal promoveu na saúde de Currais Novos no último ano e que está trazendo inúmeros benefícios para a população. Através da implantação do sistema de regulação, que auxilia na marcação de consultas e exames via Unidades Básicas de Saúde (UBS), o curraisnovense tem agora mais facilidade para marcar seus exames com médicos e profissionais especialistas a partir do encaminhamento do clínico geral de qualquer uma das 10 UBS do município. Este assunto foi destaque principal do programa “Acontece em Currais Novos” desta sexta-feira (11), transmitido pelas rádios 95 FM, Currais Novos e Antena 3, às 07h. O prefeito Vilton Cunha ressaltou a importância da atenção básica e de média complexidade para a população. “Temos compromisso com a população, oferecendo serviços de qualidade para o bem da saúde de todos”, disse o prefeito.

A atenção básica é realizada nas 10 UBS do município, e além desse atendimento com o clínico geral, a população dispõe de profissionais especialistas na Policlínica “Mosenhor Ausônio Araújo”, no Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), e nos núcleos de apoio à saúde do homem e da mulher na antiga policlínica. Entre as especialidades que a atenção básica do município dispõe estão: nutrição, urologia, neurologia, ultrassonografia, gastroenterologia, oncologia, angiologia, dermatologia, psicologia, otorrinolaringologia, pediatria, geriatria, cardiologia, fisioterapia, mastologia, psiquiatria, entre outros. O programa dos diabéticos, que teve seus trabalhos encerrados com a saída da Fundação Pe. João Maria do Hospital Regional foi mantido pela Prefeitura Municipal com atendimentos aos pacientes na Policlínica. A descentralização do agendamento das consultas especializadas e exames de média complexidade trazem maior agilidade e qualidade no acesso à saúde pública.

Assecom - João Bezerra

Últimos Eventos

06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube
08/07/2017
Parque Exposições - Fotos: Mazilton Galvão
08/07/2017
Parque Exposições - Fotos: Mazilton Galvão

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!