Arquivos:

Saúde

Drauzio Varella chama fala de Bolsonaro sobre HIV de “desumanidade” e “grosseria”

Médico Drauzio Varella – Foto: Divulgação

O médico Drauzio Varella esteve no programa de entrevistas da TV Cultura, Roda Viva, nesta segunda-feira (10). Durante a entrevista ele criticou a fala do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e elogiou o Sistema Único de Saúde (SUS). As informações são do Congresso em Foco.

Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que pessoas que vivem com HIV representam grande despesa para o país. “Qualquer pessoa com HIV é uma pessoa que, além do problema de saúde gravíssimo, que temos pena, é custoso para todo mundo. Vocês focaram que o aidético é oneroso no Brasil. Estou levando porrada de tudo quanto é grupo de pessoas que têm este problema lamentavelmente”, afirmou o presidente no sábado (8).

O médico afirmou ao Roda Viva que quando se trata do HIV, ainda há muito “preconceito e desumanidade”. “A sociedade sempre fez isso, [atirou no doente] a culpa da doença que ele tem. Na idade média, [quanto] a hanseníase, eles diziam que eram os impuros, aqueles que eram os ímpios, os que não acreditavam em Deus, os que ofendiam a Deus. A tuberculose, quem eram? Eram os devassos, os devassos que pegavam tuberculose, e na AIDS, os promíscuos. Essas pessoas não pensam que isso pode acontecer com alguém da família delas”, explica o Varella que classifica esse tipo de comentário como “uma desumanidade inqualificável. Uma grosseria que não merece nem comentário.”

Saúde

Aids e outras DSTs: riscos de transmissão aumentam no carnaval

Melhor forma de prevenção é o sexo protegido

O carnaval, que neste ano acontece no fim de fevereiro, é um período de comemoração de uma festa já tradicional no Brasil. Os foliões frequentam bloquinhos, shows e desfiles, aproveitando para conhecer pessoas novas.

No entanto, uma estatística que preocupa os profissionais da saúde é a do HIV, vírus causador da Aids, que vem aumentando no país. Uma pesquisa realizada pela DKT International aponta que 47% dos brasileiros entre 14 e 24 anos de idade não usam camisinha nas relações sexuais.

No ano passado, o slogan da campanha de carnaval do Ministério da Saúde foi: “Pare, pense e use camisinha”, que visou conscientizar os foliões.

De acordo com Sátyro Neto (CRM 5474, RQE 2063) médico especialista em urologia, estima-se que 870 mil pessoas vivem com HIV no Brasil e cerca de 40 mil novos casos são diagnosticados a cada ano.

“É importante lembrar que é possível contrair HIV através de compartilhamento de agulhas infectadas, por exemplo. Mas o motivo principal [da transmissão] ainda é o sexo desprotegido”, afirmou.

Números

Segundo Sátyro, é importante atentar também para o Sífilis. Em 2018, foram diagnosticados mais de 150 mil casos no Brasil. No Rio Grande do Norte, foram registrados 1.700 casos, um aumento de 300 casos em relação a 2017.

Também em 2018, foram 43 mil novos casos registrados de Hepatites A, B, C e D no país.

Prevenção

Ainda de acordo com Sátyro, o sexo com camisinha é a principal forma de prevenção. “Além disso, nesse momento de carnaval e de descontração na sociedade, também pode ser orientado o uso de lubrificantes que minimizam as lesões na mucosa, diminuindo a possibilidade de contaminação”, disse.

Beijo

Algumas doenças podem ser transmitidas através do beijo, como o vírus da Herpes. É importante evitar o compartilhamento de copos, escovas de dentes e narguiles, além de verificar a presença de feridas e bolhas na boca.

Agora RN
Saúde

Maternidade da Grande Natal tem 900 pacientes esperando cirurgia, apura MP

Maternidade Divino Amor, em Parnamirim – Foto: Divulgação

Mais de 900 pacientes estão aguardando cirurgias eletivas na Maternidade Divino Amor, em Parnamirim. Foi o que apurou o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), em inspeção realizada pela 4ª Promotoria de Justiça da Comarca, na Central de Regulação.

A situação, de acordo com o MP, comprova o descumprimento de Decisão Judicial exarada no final de 2018, quando o Poder Judiciário determinou que a Prefeitura de Parnamirim, no prazo de 90 dias, adotasse as providências administrativas e orçamentárias para garantir a retomada das cirurgias eletivas na Maternidade Divino Amor (MDA), com a compra de insumos, medicamentos e materiais médico-hospitalares necessários ao restabelecimento de tais cirurgias.

O descumprimento da decisão judicial perdurou durante todo o ano de 2019, visto que somente realizaram, em número reduzido, vasectomias e cirurgias proctológicas no primeiro semestre de 2019, o que motivou a designação de audiência judicial na qual restou definida a realização do quantitativo de 70 cirurgias eletivas mensais na maternidade enquanto durar a sua ampliação e reforma. Contudo, desde novembro de 2019 as cirurgias eletivas foram suspensas em razão do desabastecimento de medicamentos e insumos, visto que faltam antibióticos para profilaxia cirúrgica (cefalotina e cefazolina).

“Com 912 pacientes na fila, fica evidente que o prefeito de Parnamirim vem descumprindo decisão judicial. Desde novembro não realiza regularmente cirurgias eletivas na Maternidade Divino Amor, e muitas pessoas estão esperando para realizar procedimentos como histerectomias, hernioplastias e colecistectomias”, reclama a 4ª Promotora de Justiça de Parnamirim, Luciana Maciel de Melo.

Na inspeção, restou incontroversa a inação administrativa, ou, no mínimo, a insuficiência das ações levadas a efeito até o momento pela gestão do município, que não são suficientes para atender as listas de espera, ou pelo menos, estacioná-las.

Para tratar sobre a longa fila para realização das cirurgias eletivas, a 4ª Promotoria de Justiça de Parnamirim agendou a realização de uma audiência para o dia 12 de fevereiro, na sede do MPRN em Parnamirim, com a Coordenadoria da Central de Regulação, Diretores da Maternidade Divino Amor e Secretária de Saúde de Parnamirim.

O Ministério Público aguarda que o Gestor Municipal apresente um plano com prazo e tempo de execução para atender a demanda reprimida e futura por cirurgias eletivas que são realizadas na Maternidade Divino Amor (Hospital Maternidade do Divino Amor – CNES 2473380).

Por Grande Ponto

Currais Novos » Saúde

CURRAIS NOVOS: Começa hoje (10) a primeira etapa da campanha de vacinação contra o Sarampo

Tem início nesta segunda-feira (10) a Campanha Nacional contra o Sarampo, com foco nas crianças e jovens com idades entre 5 e 19 anos.

A Secretaria Municipal de Saúde informa a população que pode procurar as unidades de saúde mais próximas até o dia 13 de março para tomar a dose da vacina.

De acordo com Secretária Municipal de Saúde, Alana Moraes, “a rede básica de saúde está preparada para receber a população. Mesmo as pessoas que ainda não tenham tomado a primeira dose da vacina, ou que estejam com o cartão vacinal incompleto, devem procurar a UBS mais próxima de sua casa para se vacinarem”, afirma Alana.

A população com a faixa etária indicada (5 a 19 anos) deve procurar as unidades de saúde a partir desta segunda, ou no Dia “D” de Mobilização Nacional da Campanha, que acontece no próximo sábado, dia 15 de fevereiro, portando documento de identificação e o cartão de vacina.

O Ministério da Saúde estabelece, em seu esquema vacinal, que duas doses da vacina devem ser aplicadas para homens e mulheres com idade entre 12 meses e 29 anos de idade, sendo a segunda dose com intervalo de 30 dias. Para a população entre 30 a 49 anos é necessária apenas uma dose da vacina.

Sarampo

A doença infectocontagiosa é causada pelo vírus Measles morbillivirus e pode ser letal se não tratada adequadamente. Sua transmissão ocorre pelo contato com secreção expelida pelas vias respiratórias dos pacientes que possuem a doença, como espirro ou tosse. Entre os seus sintomas os pacientes podem apresentar febre, tosse e aparecimento de manchas avermelhadas pelo corpo e rosto. A única forma de evitar a doença é pela vacinação, que já se encontra disponível nas unidades de saúde do município.

Saúde

Zika já vitimou quase 3,5 mil pessoas no Brasil desde 2015

Foto: Divulgação

O novo coronavírus monopoliza as atenções da mídia, no Brasil, mas há outros vírus por aqui que exigem preocupação.

Entre 2015 e 2019, por exemplo, o Ministério da Saúde registrou 18.578 casos suspeitos do vírus Zika; 3.496 confirmados. Em 2019 houve queda acentuada, mas o Zika continua ativo: dos 1.462 casos suspeitos, só 72 ratificados.

Recém-nascidos (77%) foram a maioria das suspeitas ano passado. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Em 2019 registraram-se dez mortes associadas ao vírus Zika no País, mas a taxa de mortalidade é bem menor que no coronavírus: 0,006%.

Saúde

Campanha de vacinação contra o sarampo começa na segunda (10) no RN

Vacinação contra sarampo no Rio — Foto: Mariana Ramos

Começa na próxima segunda-feira (10) a campanha nacional contra o Sarampo, com foco nas crianças e jovens com idades entre 5 e 19 anos. A população pode procurar as unidades de saúde mais próximas até o dia 13 de março para tomar a dose da vacina.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Natal, a intenção é imunizar cerca de 12 mil de pessoas contra a doença no município. Para isso, a rede básica de saúde, conta com cerca de 70 salas de vacinação preparadas para receber a população que ainda não tenha tomado a primeira dose da vacina, ou com o cartão vacinal incompleto.

A população com a faixa etária indicada deve procurar as unidades de saúde a partir desta segunda, ou no Dia “D” de Mobilização Nacional da campanha, que acontece no próximo sábado dia 15 de fevereiro, portando documento de identificação e o cartão de vacina, como ressalta Vaneska Gadelha, chefe do Núcleo de Agravos Imunopreveníveis (NAI).

O segundo momento da campanha acontecerá entre os dias 03 e 31 de agosto tendo como foco o público com faixa etária entre 30 e 59 anos.

O Ministério da Saúde estabelece, em seu esquema vacinal, que duas doses da vacina devem ser aplicadas para homens e mulheres com idade entre 12 meses e 29 anos de idade, sendo a segunda dose com intervalo de 30 dias.

Para a população entre 30 a 49 anos é necessária apenas apenas uma dose da vacina. “O objetivo é resgatar os não vacinados ou as pessoas com o cartão de vacina incompleto”, explica Vaneska Gadelha, chefe do Núcleo de Agravos Imunopreveníveis (NAI), sobre esse primeiro momento da campanha.

Saúde

Campanha de vacinação contra gripe será em março de 2020, diz ministro da Saúde

Campanha contra a gripe deste ano deve começar em março – Foto: Divulgação

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou nesta quinta-feira (6) que a campanha contra a gripe deste ano deve começar em março – um mês antes do que no ano anterior, quando teve início em abril. De acordo com Mandetta, a antecipação já estava prevista antes mesmo de o surto de coronavírus surgir no mundo. Entretanto, a imunização pode ajudar a descartar casos suspeitos – uma vez que os sintomas das duas doenças são parecidos –, e a evitar que os serviços de saúde fiquem sobrecarregados de pacientes com sintomas respiratórios.

“A vacina confere grau de imunidade. Se você tomou a vacina, você tem alguns vírus que estão no componente dessa vacina e vão alcançar 95, 97, 98% de não ser [infectado] porque estavam na vacina. Isso ajuda o profissional de saúde”, afirmou Mandetta.

A declaração foi dada durante a 1ª Reunião Ordinária da Comissão Intergestores Tripartite 2020, com secretários de Saúde dos Estados e capitais de todo o país para discutir estratégias de um plano de contingência caso o coronavírus chegue ao Brasil.

Saúde

Número de suspeitas de infecção por coronavírus no Brasil cai para 11

O secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, confirmou que 21 casos em território brasileiro foram analisados e totalmente descartados

Boletim atualizado do Ministério da Saúde informa que 11 pessoas ainda estão com suspeita de infecção por coronavírus no país. De acordo com Julio Croda, diretor do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis, são duas pessoas a menos que o número divulgado no último dia 4.

O secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, confirmou que 21 casos em território brasileiro foram analisados e totalmente descartados.

Boletim
De acordo com o boletim, o Rio Grande do Sul lidera o número de casos investigados, com cinco pessoas em isolamento, e São Paulo em seguida com quatro suspeitas de infecção por coronavírus.

Blog do Ismael Medeiros
Saúde

Ômega-3 reduz morte de neurônios pelo vírus Zika, diz pesquisa

Foto: Robson Moura/TV Brasil

Testes clínicos realizados no Laboratório de Imunologia e Inflamação (Limi) da Universidade de Brasília (UnB) indicam que o ômega-3 – um ácido graxo normalmente encontrado em peixes que reduz o colesterol ruim no organismo – combate a inflamação dos neurônios causada pelo vírus Zika. A substância também auxilia na redução da carga viral nas células do sistema nervoso humano.

O vírus Zika acarreta em complicações neurológicas, como encefalites, Síndrome de Guillain Barré e microcefalia. Com a infecção do vírus Zika, as mitocôndrias das células nervosas, que capturam energia e funcionam como uma espécie de “pulmão celular”, são atacadas e sofrem estresse oxidante. O desfecho é a morte dos neurônios.

“Quando o Zika infecta um neurônio, ele faz com que esse neurônio produza série de moléculas inflamatórias, citotóxicas e radicais livres que vão causar dano ao DNA”, descreve a coordenadora do Limi/UnB e professora do Depastamento de Biologia Celular Kelly Magalhães.

“O pré-tratamento do ômega-3 faz com que a célula produza outras moléculas que têm atividade antagônica ao que o Zika faz”, detalha professora que orientou a pesquisadora Heloísa Braz-de-Melo, estudante de mestrado, responsável pelo estudo recentemente publicado em revista científica internacional. Com o ômega 3, os neurônios produzem moléculas neuro protetoras e anti-inflamatórias.

A investigação sobre os efeitos do ômega-3 sobre na prevenção e tratamento aos efeitos do vírus Zika foi feita a partir de amostra do vírus isolado de um paciente infectado em Pernambuco no ano de 2015, quando houve surto da doença em alguns estados brasileiros. Pesquisadores da Universidade de Brasília também realizaram testes com camundongos, os resultados deverão ser divulgados ainda neste semestre. O Limi/UnB participa de rede internacional com laboratórios do Canadá, Escócia e Estados Unidos para pesquisar o vírus Zika.

Infertilidade masculina

Além de identificar novos benefícios do ômega-3 contra o Zika, o laboratório também identificou que o vírus pode acarretar infertilidade masculina. “A gente está demonstrando que a infecção do zika vírus também causa a infertilidade masculina. Quando o camundongo é infectado, o vírus se aloja no testículo, causa morte de espermatozoides ou anormalidades morfológicas de movimento”, assinala Kelly Magalhães.

O Zika Vírus é transmitido por picada do mosquito Aedes Aegypti, relação sexual, e da mãe para o feto durante a gravidez. Os sintomas mais comuns são vermelhidão no corpo e coceira depois de alguns dias. Pode ocorrer febre baixa, nem sempre percebida, conjuntivite sem secreção, dor de cabeça, dor muscular e até dor nas juntas.

As medidas de controle são semelhantes às da dengue e chikungunya. Conforme o Ministério da Saúde, “a melhor forma de prevenção, e a mais eficaz, é evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, eliminando água armazenada que pode se tornar um possível criadouro, como em vasos de plantas, lagões de água, pneus, garrafas plásticas, piscinas sem uso e manutenção, e até mesmo em recipientes pequenos, como tampas de garrafas e pratos de plantas”.

O ômega-3 é encontrado no óleo de peixes de águas frias e profundas (salmão, atum, bacalhau, cação) e óleos vegetais e linhaça. O nutriente é vendido em cápsulas por farmácias e lojas de suplementos alimentares. A compra não exige prescrição médica, a orientação especializada, no entanto, é recomendada pelos pesquisadores. O preço do produto varia conforme a concentração da substância.

Agência Brasil
Rio Grande do Norte » Saúde

Planos de saúde perderam 28 mil usuários em quatro anos no RN

Na Unidade Básica de Saúde São João, referência na rede de assistência básica de saúde em Natal, a diretora Ana Lúcia Monteiro vivenciou uma mudança nos últimos cinco anos: se antes a distribuição semanal das fichas para consultas médicas se esgotavam em quatro dias, hoje levam apenas dois. O aumento da demanda da unidade coincide com a saída de 24,2 mil pessoas dos planos de saúde em Natal, entre os anos de 2015 e 2019. A situação reverbera em toda rede do Sistema Único de Saúde (SUS): no mesmo período, os registros mostram um aumento de 58% de procedimentos clínicos na rede de saúde pública municipal de Natal.

Em Natal, o número de pessoas com plano de saúde passou de 318 mil para 294 mil em quatro anos. A cidade concentra a maior parte dos beneficiários do Rio Grande do Norte. Atualmente, o número de pessoas com plano de saúde em todo estado é de 496 mil, 28 mil a menos que em 2015 (525 mil). Segundo especialistas em gestão de saúde, parte dessas pessoas passaram a procurar o SUS para receber assistência médica, o que contribui para o aumento na quantidade de atendimentos realizados.

Tribuna do Norte

Últimos Eventos

21/09/2019
São Vicente/RN
03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!