Arquivos:

Saúde

Governo do RN pagou R$ 250 milhões em bloqueios judiciais em 2018

Vice-governador, Antenor Roberto (PC do B)

O governo do Rio Grande do Norte já soma mais de R$ 9 milhões em bloqueios judiciais nos primeiros 15 dias de gestão Fátima Bezerra, segundo informações do vice-governador, Antenor Roberto (PC do B), que defende a adoção de medidas para reduzir a Judicialização dos recursos públicos estaduais. Somente em 2018, o Estado pagou mais de R$ 250 milhões em ações judiciais relacionadas com a Saúde.

“O orçamento sofre com as decisões judiciais. Não estou criticando aqui a Justiça, mas o efeito da decisão individual, a entrega de insumos, medicamentos, serviços, fora da estrutura da Secretaria Estadual de Saúde, afeta o orçamento estadual”, relata ele, durante entrevista ao programa Agora Debate, da rádio Agora FM (97,9), que é apresentado pelo jornalista Roberto Guedes.

Segundo Antenor Roberto, os bloqueios registados estes anos são de ações relacionadas com pedidos de medicamentos e insumos em saúde. O vice-governador reforça que o Governo tomará novas medidas quanto a esta questão. “Vamos fazer a partir deste ano que a lei seja cumprida. Se há o direito constitucional de determinado insumo, a defesa do Estado não será apenas de negar o pedido, mas de fazer a ação dentro das políticas do SUS”, explica.

As medidas, segundo ele, serão tomadas em razão da atual crise financeira que é enfrentada pelo Executivo. “Estamos em situação de calamidade financeira. O orçamento de 2019 apresentou um déficit de R$ 1,8 bilhão. Durante a relatoria na Assembleia Legislativa, nós identificamos que as receitas estão superestimadas e que dificilmente se realizariam. O fato é que é as despesas são maiores que as receitas. O déficit mensal é de R$ 100 mil”, explica.

Ainda de acordo com Antenor Roberto, a previsão é de que o exercício financeiro do Estado seja aberto em março. Antes disso, ele espera receber o resultado do balanço financeiro de órgão da administração direta, algo que não foi concluído pela gestão anterior. “É um regime de guerra. Cada pedaço, cada recurso economizado está se somando para buscar o equilíbrio do mês”, diz.

Ele também falou sobre as ações do Governo para quitar os débitos salariais. Antenor defendeu as ações tomadas para o pagamento dos vencimentos dentro do mês – 30% até o dia 16 de janeiro e os 70% restantes até o dia 31. “Estamos trabalhando para que cada recurso extraordinário, desde que não tenha impedimento legal para o pagamento de servidor, seja canalizado para a folha salarial. Quando assumimos, em janeiro, algumas categorias não tinham recebido nem mesmo o 13º de 2017. Esta desorganização nos levou a criar um sistema de isonomia. Todos precisam receber, mesmo que não seja a totalidade dos vencimentos. Isso para que os servidores tenham recursos para o mínimo de sobrevivência. Se não fizéssemos isso, eles poderiam passar mais 45 dias sem receber”, encerra.

Agora RN
Saúde

Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

O Ministério da Defesa autorizou o emprego das Forças Armadas em apoio a parte logística do Programa Mais Médicos. A decisão, publicada no Diário Oficial da União (DOU) de hoje (16), vale para todo o território nacional e detalha a atuação do Exército, da Marinha e da Aeronáutica.

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo, estará no comando das ações envolvendo os médicos militares no programa, de acordo com o texto publicado no Diário Oficial.

Na portaria publicada, na seção 1, página 19, os militares atuarão para a recepção, hospedagem, transporte e distribuição dos médicos intercambistas e supervisores nos municípios de atuação em apoio ao programa.

Haverá um oficial de cada Força para assumir a função de ligação entre os demais e assim trocar informações e definir ações.

De acordo com os coordenadores do programa, os militares participam do Mais Médicos na recepção dos integrantes do programa em aeroportos e no deslocamento aéreo para capitais e centros de capacitação.

O apoio logístico será feito de forma integrada com os ministérios da Saúde e da Educação e Casa Civil.

Agência Brasil
Judiciário » Saúde

Plano de saúde é condenado por negar atendimento de urgência a paciente no RN

Em ação ajuizada pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte condenou o plano de saúde Amil ao pagamento de R$ 30 mil por dano moral coletivo, em razão da omissão no atendimento de urgência coberto por plano odontológico.

A decisão foi proferida em acórdão pela 3ª Câmara Cível à unanimidade, que negou o recurso feito pelo plano de saúde à sentença proferida pelo Juízo da 6ª Vara Cível da comarca de Natal.

Para chegar à decisão, os desembargadores consideraram que a Amil apresentou uma conduta omissiva no plano odontológico ao negar atendimento de urgência a clientes, ainda mais tratando-se de pessoa portadora de paralisia cerebral.

Tal conduta enseja dano moral coletivo, pois a instituição descumpriu dispositivos legais que irradiam efeitos prejudiciais para todas as pessoas que estejam em situação semelhante, colocando em risco todos os clientes-consumidores.

A Constituição Federal assegura que o Ministério Público pode atuar em defesa de um direito individual indisponível, principalmente quando se trata de questão envolvendo saúde e vida de criança ou adolescente carente de recursos financeiros.

No caso concreto, a decisão do TJRN reforça que “a conduta omissiva do plano odontológico de negar atendimento de urgência enseja dano moral coletivo, pois a instituição está descumprindo claro dispositivo legal”.

Na audiência realizada perante o MPRN, a empresa admitiu a recusa, tanto é que se comprometeu a autorizar a realizar o tratamento dentário, condicionado à quitação das prestações em atraso. Na ocasião, a ré disse que faria a regularização do atendimento em uma semana.

Saúde

Vírus mais perigoso que zika para grávidas é identificado, diz estudo

O mosquito Aedes aegypti é transmissor da zika e também da febre do Rift Valley. Foto: Pexels

Uma outra doença transmitida pelo Aedes aegypti, a febre do Rift Valley, comprovou-se ser ainda mais prejudicial às grávidas do que a zika, segundo um estudo da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, publicado na revista científica Science Advances.

A febre do Rift Valley também pode ser transmitida pelo Cúlex, o mosquito doméstico, e até o momento a circulação do vírus se restringe ao continente africano e ao Oriente Médio.

Mas, segundo o infectologista Artur Timermann, presidente da Sociedade Brasileira de Arborivores (SBA), existe risco de a doença chegar ao Brasil.

Atualmente, a febre do Vale do Rift ocorre principalmente na pecuária da África subsaariana, onde em 90% dos casos leva ao aborto espontâneo do rebanho contaminado. Há casos também em humanos. Os sintomas lembram uma gripe, além de gerar graves problemas ao fígado.

No ano 2000, a doença infectou mais de 100 mil pessoas na Arábia Saudita, levando ao menos a 700 mortes, segundo o jornal norte-americano The New York Times.

Como se trata de um vírus transmitido por um mosquito também disseminado em outros continentes, como Américas e Europa, existe uma preocupação de que ele se expanda rapidamente, de acordo com o jornal.

Não há vacina ou tratamento para a febre do Vale do Rift. A Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu a doença como de grande potencial de emergência de saúde pública, segundo o jornal.

Como os sintomas da doença são inespecíficos, muitos casos de anomalias e de natimortos podem não ter sido notificados, segundo o The New York Times.

No estudo com camundongos, 65% dos filhotes nascidos de mães infectadas morreram. Cada mãe infectada perdeu ao menos um filhote e todos os filhos das mães infectadas contraíram o vírus.

Camundongos prenhes também foram mais suscetíveis à morte por febre do Vale do Rift do que animais não prenhes.

Para os pesquisadores, o mais surpreendente foi que as placentas de mães infectadas abrigaram mais vírus do que qualquer outro tecido do corpo, até mesmo que o fígado, onde o vírus costuma causar danos.

Testes em tecido placentário humano mostraram que, diferentemente do vírus zika, o vírus da febre do Vale do Rift tem uma capacidade única de infectar a camada de células da placenta por onde nutrientes fluem, de acordo com o estudo.

Bolsonaro Presidente » Brasil » Currais Novos » Parelhas » Saúde

O seridoense que operou o Presidente da República

O “parelhense/curraisnovense” Dr. Flaubert Sena, foi um dos responsáveis pelo processo de recuperação do Presidente Jair Bolsonaro.

Dr. Flaubert, que também é da equipe de gastroenterologia do Hospital Onofre Lopes, foi convocado pelo Hospital Albert Ainstein para corrigir uma fistula que apareceu no paciente, o Presidente da República.

A técnica do médico, que já foi apresentada até em Harvard, solucionou o problema e permitirá a Bolsonaro submeter a uma nova cirurgia para retirada da bolsa de colostomia, o que deve acontecer brevemente.

Modesto e discreto, o sucesso da cirurgia feita por Dr. Flaubert foi comemorado pelas equipes de gastroenterologia do Estado.

Dr. Flaubert é um médico respeitadíssimo no RN. O mesmo mantém uma clínica (Humanitare), em Currais Novos e outra na cidade de Parelhas, município onde nasceu.

Informações, TN
Currais Novos » Saúde

Prefeitura de Currais Novos emite nota sobre contratação de médico que usava carimbo de outro profissional

A Prefeitura Municipal de Currais Novos e a Secretaria Municipal de Saúde informam à população que, diante do incidente ocorrido no Pronto Socorro do Hospital Regional “Mariano Coelho” administrado pelo município, esclarece que toda a escala de plantão foi feita com profissionais que atuam ou já atuaram no Pronto Atendimento. Contudo, de forma eventual, o médico que estava na escala deste final de semana pediu desligamento por motivos pessoais, e a coordenação responsável pela escala entrou em contato com vários profissionais, mas não obteve êxito, pois muitos já tinham compromissos. Diante desta ausência de médicos, um homem entrou em contato com a coordenação após ser informado de que a Unidade necessitava de um profissional para cobrir o plantão, e foi chamado. O mais grave é que, mesmo sendo médico, o homem usou o carimbo de outro profissional, o que não é permitido. Desta forma, ele já foi afastado do Hospital.

A Assessoria Jurídica da Prefeitura de Currais Novos irá representar uma ação contra o profissional e a Secretaria Municipal de Saúde já providenciou outro médico para assumir o plantão deste domingo, 13. A Prefeitura Municipal de Currais Novos lamenta o ocorrido e informa que nenhum incidente grave aconteceu e, o município na tentativa de manter a regularidade do serviço de urgência e emergência, foi vítima desta pessoa que agiu de má fé.

João Bezerra Júnior - Assessor de Comunicação
Currais Novos » Saúde

Usando CRM de um outro profissional, médico é detido pela Polícia após atender pacientes no hospital de Currais Novos

Um médico foi detido pela Polícia Militar de Currais Novos neste domingo (13) e conduzido à Delegacia de Polícia Civil, plantão na cidade de Caicó, para prestar esclarecimentos à autoridade policial.

O médico teria enganado a Secretaria de Saúde do Município usando o CRM de um outro profissional.

Profissionais em saúde teriam achado estranho alguns procedimentos feitos pelo suposto médico e acionaram a polícia, que conduziu o investigado à DP de Caicó. O médico também chegou a entregar a alguns pacientes o cartão de visita. A Prefeitura de Currais Novos também irá denunciá-lo.

Saúde

Mais de 1,4 mil vagas do Mais Médicos ainda não foram preenchidas

O programa Mais Médicos continua com 1.462 vagas abertas segundo o levantamento do Ministério da Saúde feito nesta sexta-feira (11). O número representa 17,2% dos 8.517 postos de trabalho abertos desde que os profissionais cubanos deixaram o país, no dia 14 de novembro.

O prazo para que médicos brasileiros com registro profissional no país se apresentassem nos endereços onde escolheram trabalhar foi encerrado nesta quinta-feira (10). De acordo com o G1, dos 1.707 profissionais que foram selecionados, 1.087 compareceram aos municípios escolhidos. Outras 842 já não haviam sido ocupadas nesta primeira fase de seleção do programa.

Saúde

Brasil registra 90 mil acidentes com escorpiões e número deve aumentar; em 2018, foram os animais peçonhentos que mais mataram

O Brasil teve 99 mortes e mais de 90 mil acidentes com escorpiões em 2018, segundo o Ministério da Saúde.

Mais de 40 mil deles ocorreram no Sudeste. E esse número deve aumentar, de acordo com o biólogo Claudio Maurício Vieira, do Instituto Vital Brazil, órgão vinculado à Secretaria Estadual do Rio de Janeiro referência na área de soros antipeçonhentos.

“Os acidentes com escorpião estão em franco crescimento, principalmente no interior de São Paulo, onde ocorre a maioria dos acidentes graves”, afirma.

O crescimento do número de acidentes envolvendo escorpiões no país colocou o Ministério da Saúde e o Instituto Butantan em alerta. Os órgãos estão desenvolvendo um projeto conjuntamente para instruir a população a como lidar com o problema.

O número de acidentes diminuiu em relação à 2017, quando houve registro de 124 mil casos, mas o de mortes subiu, de 90 para 99. Em 2018, os escorpiões foram os animais peçonhentos que mais mataram, ultrapassando serpentes (74), aranhas (24), lagartos (7) e abelhas (47). Já em 2017, as serpentes provocaram mais óbitos – 101 contra 74.

Devastação, e não o calor, aumenta a proliferação

O biólogo explica que a alta incidência de ataques está relacionada à devastação da Mata Atlântica e não ao aumento da temperatura. “Está ligado ao modelo de ocupação que o país sofreu em áreas dominadas pela Mata Atlântica. Entre as espécies perigosas que temos no Brasil, há duas que são endêmicas da faixa Oeste brasileira que se favoreceram dessa remoção e chegaram às áreas urbanas”, explica.

“O escorpião era um animal de campo aberto do interior de Minas Gerais. Ele se dispersou pelo país seguindo a trilha do desmatamento de forma ativa e passiva. Como está próximo ao homem, toda vez que o homem se movimenta, ele se movimenta junto”, completa.

Vieira faz uma analogia ao Aedes aegypti, pois assim como o mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, o escorpião tem facilidade de adaptação ao ambiente modificado pelo homem. “Esses escorpiões não são da Mata Atlântica, são de ambiente modificado. As galerias de esgoto são seu maior ponto de proliferação. Daí a importância do saneamento básico”.

Ele ressalta que os acidentes com escorpiões tendem a se intensificar no verão, mas que não se compara ao que ocorre com os acidentes com cobras. “Os acidentes ofídicos acontecem majoritariamente no verão. Já os acidentes com escorpiões, especialmente no Sudeste e no Nordeste, ocorrem o ano inteiro”, afirma. Depois do Sudeste, o Nordeste é a região com o maior número de casos, 39 mil, de acordo com o Ministério da Saúde.

Espécie do Sudeste é a mais perigosa

A espécie mais incidente no Nordeste é a Tityus stigmurus e, no Sudeste, a Tityus serrulatus, – também chamada de escorpião-amarelo. “Esta é muito mais perigosa. Concentra-se mais no Sudeste, mas também está invadindo o Nordeste”, afirma.

Vieira explica que todo escorpião é venenoso, o que difere é a toxidade do veneno. Atualmente há 150 espécies conhecidas no Brasil. A maioria das picadas causa apenas manifestações dolorosas, como inchaço e vermelhidão e, no máximo, febre.

“Já os escorpiões chamados de perigosos podem levar uma criança de até 14 anos a um quadro moderado ou grave, ocasionando até a morte. Trata-se de um veneno complexo que se instala em velocidade muito grande, o que faz do envenenamento por escorpião diferente do envenenamento de outros animais peçonhentos”, explica.

De acordo com o biólogo, estudos mostram que crianças que são atendidas após 3 horas da picada têm maior probabilidade de morte. Isso significa que é preciso tomar o soro antiescorpiônico, nos casos de quadros moderados e graves, antes desse período.

“Como o envenenamento dá muita dor, serve de alerta para as pessoas acelerarem a procura por atendimento médico. É importante que o acidente seja diagnosticado e classificado se é leve, moderado ou grave, da forma correta”, afirma.

Prevenção vai além da galinha d´angola

A prevenção inclui uma série de intervenções ambientais como diminuir a oferta de abrigo ao animal, como pedras, madeiras e folhas, impedir o acesso às casas por meio do controle de frestas, ralos e janelas, e valorização de predadores naturais, como aves, lagartos e sapos, além do controle do alimento do escorpião, que são os insetos domésticos, principalmente a barata.

“Tem se falado em galinha d´angola como predadora do escorpião, mas todas as galinhas comem escorpião. Mas trata-se apenas de mais uma medida, não de uma solução definitiva. Muitas pessoas adquirem a galinha, mas acabam se desfazendo do animal por conta do barulho e da sujeira. Além disso, o escorpião é um problema urbano e, na cidade, não é permitida a criação de galinha”, diz.

Os escorpiões não são exclusivos de áreas pobres. “Há infestações em comunidades rurais bem pobres e também em condomínios de alto luxo. Para cada situação, é preciso fazer um diagnóstico de área e avaliar quais os fatores de risco para propor soluções”, explica.

Segundo ele, a informação de que inseticidas não funcionam contra escorpiões é um mito. “No laboratório, sabe-se que o inseticida é uma ferramenta muito útil. Mas falta realizar teste em campo. O Brasil ainda não tem um ensaio que permita saber quais são os aspectos positivos e negativos da aplicação desses produtos”, conclui.

R7
Saúde

CURRAIS NOVOS: Em parceria, moradores, entidades e Prefeitura constroem UBS do Povoado Maxinaré

Um desejo antigo dos moradores do Povoado Maxinaré, zona rural de Currais Novos, se tornou realidade na noite desta quarta-feira, 09, com a inauguração da Unidade Básica de Saúde da comunidade, construída através da parceria entre os moradores do povoado, Igreja Metodista, Prefeitura Municipal e Vereadores. O Prefeito Odon Jr, Vice-Prefeito Anderson Alves, vereadores Celinha, Zefinha Moura e Sebastião, além de secretários municipais e moradores do Maxinaré e comunidades adjacentes, participaram da solenidade.

“Uma iniciativa da Comunidade através da Agente de Saúde Vitória que contou com o apoio dos moradores, da Igreja Metodista, Vereadora Celinha, vereadores, Sr. Dedé do Café que doou o terreno, e a Prefeitura Municipal que foi parceira e equipou toda a Unidade de Saúde com equipamentos de emenda parlamentar de Fátima Bezerra”, comentou o Prefeito Odon Jr.

A Nova UBS conta com sala de espera, sala de atendimento médico e dentista, sala de enfermagem e vacinas, além de banheiros e cozinha. Após a inauguração, houve uma benção ecumênica da UBS e homenagens aos profissionais que atuam na Unidade.

Últimos Eventos

06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube
08/07/2017
Parque Exposições - Fotos: Mazilton Galvão
08/07/2017
Parque Exposições - Fotos: Mazilton Galvão

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!