Arquivos:

Política

Ministro da Educação nega saída do governo e faz análise positiva da gestão

Foto: Agência Brasil

Em meio a boatos de que sairia do governo, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou categoricamente que não deixará o cargo. “Eu não vou pedir demissão e meu relacionamento com o presidente está ótimo”, disse, em entrevista ao iG . Ele afirma que os boatos sobre sua saída são mentirosos e têm o objetivo de desestabilizar seu trabalho.

Blog do BG
Política

Estudante do RN é primeira negra a presidir Senado Jovem

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

A aluna Laila Cristina de Paiva Soares, do Centro Estadual de Educação Profissional Professor Francisco de Assis Pedrosa, localizado em Mossoró, foi eleita presidente da Mesa Diretora do Jovem Senador. A eleição, realizada na terça-feira (26) no plenário do Senado Federal, contou com a participação de 27 jovens senadores, vencedores do concurso de redação do Programa Jovem Senador.

De acordo com a senadora potiguar, Zenaide Maia, Laila é a primeira jovem senadora negra a presidir a Mesa Diretora.

Antes de conquistar os votos dos colegas, Laila disse que pretendia estimular a diversidade entre os participantes do projeto. “Estou me candidatando com o intuito de propagar a diversidade e a empatia para saber ouvir a opinião contrária. Nós vamos debater muitas ideias aqui e isso é muito importante”, ressaltou.

Laila Cristina terá como vice-presidente Thalita Pacher, de Santa Catarina; primeira-secretária Maria Adellaide, da Paraíba, e o segundo-secretário, Pedro Henrique de Araújo, é do estado de Alagoas. Durante toda a semana, os jovens senadores, cada um representando uma unidade da federação, participarão de uma simulação na qual serão eles os legisladores jovens do país.

O tema da redação do concurso de redação desse ano foi “Cidadão que acompanha o orçamento público dá valor ao Brasil”, e para a estudante Laila, o diferencial do Programa Jovem Senador é dar oportunidade de expressão aos estudantes. “Minha principal bandeira é fazer com que a voz do jovem seja ouvida, porque muitas vezes nós falamos, mas não somos levados a sério”, enfatiza a jovem.

O Projeto Jovem Senador foi criado em 2011 e dá aos estudantes do ensino médio de escolas públicas estaduais com idade até 19 anos a chance de conhecer de perto o processo legislativo brasileiro. Para concorrer, os jovens fazem redações sobre um assunto determinado a cada ano.

Etapas de seleção

No âmbito estadual, o processo de seleção para o programa é coordenado pela Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC), através da Subcoordenadoria de Educação Profissional, que selecionou 45 redações do estado potiguar, oriundas das Diretorias Regionais de Educação e Cultura (DIRECs). Esses textos foram enviados ao Senado Federal e analisados por especialistas, que classificaram os três primeiros colocados de cada estado.

Além da redação de Laila, que atingiu o primeiro lugar a nível estadual, o segundo e o terceiro lugar são ocupados, respectivamente, pelos alunos Alice Dayara Baracho e Francisco Fernando Café, alunos, nessa ordem, da Escola Estadual Padre Sinval Laurentino de Medeiros, localizada no município de Tenente Laurentino Cruz, e da Escola Estadual de Ensino Médio em Tempo Integral Tristão de Barros, situada na cidade de Currais Novos.

Como última etapa do processo de seleção que define os participantes do programa, o Senado Federal escolhe dentre as 81 redações submetidas (1º, 2º e 3º colocados de cada estado), uma de cada unidade federativa, totalizando 27 redações escolhidas.

Portal no Ar
Política

Garibaldi cobra medidas para cortar despesas: “Isso se faz no começo”

Segundo o emedebista, a situação econômica do Estado “não é fácil” e exige ação do governo

O ex-governador e ex-senador Garibaldi Alves Filho, vice-presidente do MDB no Rio Grande do Norte, cobrou nesta terça-feira, 26, da governadora Fátima Bezerra, medidas que contribuam para a redução de gastos do Estado e controle das finanças. Segundo o emedebista, a situação econômica do Estado “não é fácil” e exige ação do governo.

Em entrevista à rádio Cidade, Garibaldi comparou o momento econômico atual do Rio Grande do Norte à situação que ele enfrentou ao assumir o governo, em meados da década de 1990 – ele governou entre 1995 e 2002. “Eu não queria estar na pele de Fátima. Mas quando eu assumi, também não encontrei uma situação fácil. Encontrei muitas dificuldades e deixei o Estado investindo, uma coisa que hoje a gente não vê”, disse o ex-governador, referindo-se à restrição orçamentária para investimento público no RN.

Garibaldi manifestou, ainda, preocupação com o atraso no pagamento dos servidores. O governo Fátima Bezerra tem priorizado os salários vencidos em 2019, condicionando o pagamento das folhas em atraso (novembro, dezembro e 13º salário de 2018) à obtenção de receitas extraordinárias. “O estado impõe que ela pense no ‘para trás’. O servidor tem direito de receber em dia”, emendou.

“Eu não vejo que medidas de economia, saneadoras dessa situação, tenham sido tomadas até agora. Pelo menos eu não conheço. Se faz necessário que essas medidas já tivessem sido tomadas. Isso se faz no começo do governo, quando o governo dispõe de um crédito muito grande junto à população e há toda uma expectativa para que isso seja tomado”, argumentou.

PARNAMIRIM

Também em entrevista à rádio Cidade, Garibaldi disse que “é bem provável” que o partido apoie a candidatura de Andréa Ramalho Alves, mulher do ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves, à Prefeitura de Parnamirim nas eleições de 2020.

Segundo Garibaldi, o apoio a Andréa nas eleições de Parnamirim poderá ser resultado de uma ampla aliança entre o MDB e o partido dela, o PDT. O ex-senador explicou que existe a possibilidade de uma espécie de uma “reciprocidade” de apoios. Segundo esse entendimento, em Natal, o PDT apoiaria o candidato do MDB (Álvaro Dias); enquanto que, em Parnamirim, o MDB apoiaria o nome do PDT (Andréa Ramalho).

Nas últimas eleições para prefeito de Parnamirim, o MDB apoiou a candidatura de Rosano Taveira (Republicanos), que acabou eleito. Em troca, o atual prefeito fez campanha na cidade para Garibaldi nas eleições de 2018 para o Senado. O então senador tentava a reeleição, mas conquistou apenas o 4º lugar (376 mil votos). Considerando apenas os votos de Parnamirim, Garibaldi foi ainda pior: terminou em 5º lugar.

Para 2020, a avaliação de Garibaldi Filho é que o contexto político mudou em relação a 2016. Ele afirmou que, agora, existe a perspectiva real de uma aliança entre MDB e PDT em Natal, com o ex-prefeito Carlos Eduardo Alves apoiando a candidatura à reeleição do atual prefeito, o emedebista Álvaro Dias. “As circunstâncias se impõem. Com a aliança com o PDT em Natal, e levando em conta a realidade de Parnamirim e o seu grande eleitorado, isso pode levar a uma reciprocidade à pretensão de Andréa”, comentou o ex-senador, em entrevista à rádio Cidade.

Na opinião do ex-senador, a eventual candidatura de Andréa Ramalho à Prefeitura de Parnamirim pode ser impulsionada pela memória que a população do município tem do ex-prefeito Agnelo Alves, que era sogro na ex-primeira-dama de Natal. Agnelo administrou Parnamirim entre 2001 e 2008 e morreu em 2015, durante o exercício do mandato de deputado estadual.

“O ex-prefeito Agnelo Alves tem uma memória muito cultuada, reverenciada pela população. Isso deve ter levado Andréa a pensar que realmente poderia ter na memória de Agnelo o apoio do próprio Carlos Eduardo para levar sua mensagem de renovação, já que ela é jovem e está ingressando na política. Todo esse contexto tem que ser visto por nós do MDB”, continuou o ex-senador.

De acordo com Garibaldi, o apoio do MDB a Andréa ainda não está definido. Ele explicou que o assunto será discutido no momento oportuno, mas ressaltou que a aliança “é bem provável”. A ex-primeira-dama da capital, segundo o ex-senador, tem “qualidades” para “trazer uma nova perspectiva para Parnamirim”.

Agora RN
Política

Bolsonaro cria nova estatal para substituir Infraero

Em uma vitória da ala militar do governo frente a uma equipe econômica de viés privatizante, o presidente Jair Bolsonaro sancionou a criação da primeira estatal federal desde 2013: a NAV Brasil Serviços de Navegação Aérea, responsável pelo controle do espaço aéreo do País.

É a primeira empresa pública federal desde 2013, quando a ex-presidente Dilma Rousseff criou a Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias (ABGF). Até agora, nenhuma estatal federal de controle direto da União foi privatizada durante o governo Bolsonaro.

Com uma proposta relatada pelo senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), o “filho 01” do presidente, a NAV resulta da cisão da Infraero, que administra aeroportos públicos, e ficará com a receita das tarifas de navegação aérea. Ela será vinculada ao Ministério da Defesa e herdará cerca de 2 mil empregados da Infraero que já atuam na área de controle de tráfego aéreo.

Mas as transferências de empregados da Infraero para a NAV poderão superar esse número. Apesar da recomendação do Ministério da Economia, comandado por Paulo Guedes, o presidente Bolsonaro manteve o artigo 23 da lei, que permite a transferência de todos os empregados da Infraero em caso de “extinção, privatização, redução de quadro ou insuficiência financeira”. Para isso, bastará a solicitação de “qualquer órgão da administração pública direta, indireta ou autárquica, mantido o regime jurídico”. Hoje, a Infraero conta com quase 9 mil funcionários em seu quadro.

Os empregados da Infraero são selecionados por concurso, mas cumprem o regime de CLT e não possuem estabilidade, como servidores públicos. Mas um acordo coletivo firmado em 2011, quando o governo começou a privatizar aeroportos, conferiu estabilidade a eles até o fim de 2020.

Com a intensificação das concessões de aeroportos à iniciativa privada nos últimos anos, os funcionários temiam ficar sem emprego a partir de 2021. Por isso, atuaram para emplacar uma emenda que protegesse a categoria, durante tramitação da proposta no Congresso Nacional.

A equipe econômica defendeu o veto a essa proposta. O secretário especial de Desestatização, Salim Mattar, chegou a dizer que a empresa era “coisa do governo passado” e que sua criação não estava garantida. Mas o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, venceu a disputa.

Freitas foi o responsável por evitar o veto do artigo que permitia a transferência dos empregados. O Estadão/Broadcast apurou que, em sua visão, isso poderia gerar uma “pressão desnecessária” sobre o quadro de funcionários da Infraero.

Transferências

Na estrutura atual do governo, a Infraero está subordinada ao ministério de Freitas. Com mais empregados do que precisa, a empresa tem cedido funcionários para outros órgãos públicos mais necessitados, como o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Mas eles não podem ser transferidos de forma definitiva para nenhum outro órgão público. A lei da NAV, agora, abre essa possibilidade – o que atenderia a uma necessidade do governo de pessoal, já que não há novos concursos públicos programados e, por outro lado, há previsão de aumento de aposentadorias no curto prazo.

Procurado, o Ministério da Infraestrutura informou que “estuda diversos cenários para o fomento da política pública no setor de aviação civil para os próximos anos, incluindo a possibilidade de utilizar mecanismos que estão citados no texto sancionado”.

Hoje, já são 22 aeroportos privados, entre eles Guarulhos, Campinas, Brasília, Galeão e Confins, dos quais 12 foram leiloados no governo Bolsonaro. Outros 22 aeroportos devem ser vendidos no ano que vem e mais 20 até 2022 – inclusive Congonhas e Santos Dumont.

Os empreendimentos privados têm liberdade para contratar empregados que não sejam da Infraero, e o governo já havia sinalizado que esses funcionários poderiam ser dispensados ao fim do acordo coletivo. Esse cenário pode mudar com a sanção da lei da NAV.

A medida provisória (MP) que criava a NAV foi enviada ao Congresso Nacional pelo ex-presidente Michel Temer em 20 de dezembro. Assinaram o texto os titulares da equipe econômica (na época, Fazenda e Planejamento), além de Transportes e Defesa. Hoje, o texto sancionado traz a chancela dos Ministérios de Infraestrutura e Defesa, sem nenhum nome da equipe econômica.

Política

Direita aprendeu a usar as redes sociais mais que nós, diz Lula

Para Lula, o PT tem que aprender a usar as redes sociais

Em entrevista dada nesta quarta-feira, 20, ao blog Nocaute, o ex-presidente Lula disse que o PT ainda tem que aprender a utilizar as redes sociais, e que o partido tem perdido esta disputa para a direita brasileira.

“O PT tem clareza de que a direita tem um papel e que aprendeu a utilizar as redes sociais melhor do que nós”, disse Lula. O petista ainda disse que há necessidade de combate a “mentiras disseminadas nas redes”.

Segundo o ex-presidente, a direita teve nas eleições de 2018 “mais recursos” investidos em redes sociais, com “empresário financiando. E isso vai continuar”, previu.

Segundo Lula, a ascensão de Donald Trump à Presidência dos Estados Unidos em 2016 foi um marco importante para o uso político da internet. “Eu jamais esperei que o Trump fosse eleito. Uma parte da humanidade foi transformada em algoritmo. Não é você que utiliza a internet, é ela quem te usa”, disse.

Para Lula, o “PT ainda está engatinhando quando deveria ter redes imbatíveis”, considerando que o partido tem mais de dois milhões de filiados. “Não temos nem o ‘zap’ dessa gente. Isso hoje é uma preocupação do partido”, explicou.

Agência Estado
Política » Rio Grande do Norte

RN será governado pelo vice de Fátima até 4 de dezembro

FOTO: DIVULGAÇÃO

A governadora Fátima Bezerra transferiu o comando do Governo do Estado do Rio Grande do Norte ao vice-governador Antenor Roberto. A assinatura do termo de transmissão de cargo foi realizada, nesta sexta-feira (15), no Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, antes de Fátima embarcar para a missão internacional que cumprirá com outros membros do Consórcio Nordeste. O vice-governador assume o exercício do cargo até o dia 4 de dezembro.

“Recebemos o cargo com muita responsabilidade, sobretudo, pela própria autoridade e liderança que a governadora tem. Nós estaremos a todo momento dialogando para que os encaminhamentos fiscais e orçamentários, bem como as iniciativas de legislação que serão encaminhadas à Assembleia Legislativa, sigam rigorosamente o planejamento realizado com Fátima. Serão dias de muito trabalho”, enfatizou Antenor Roberto.

Na ocasião do ato protocolar, Fátima enfatizou a confiança no trabalho de seu interino. “Entrego o Rio Grande do Norte em excelentes mãos. Antenor tem governado comigo ao longo desses onze meses, temos total sintonia”, disse.

Durante o período de 18 a 22 de novembro, Fátima estará na Europa e, em seguida, irá para a China, a convite do Bank of China, onde participa do seminário de comunicação e cooperação financeira internacional “Um Cinturão, Uma Rota”. As agendas têm como objetivo atrair novos investimentos para os estados nordestinos.

Fátima Bezerra lembrou que a viagem é uma continuidade do trabalho que o Consórcio Nordeste vem desenvolvendo. “Os governadores do Nordeste estão buscando alternativas para, juntos, enfrentar o momento de dificuldade financeira. O Consórcio já mostra resultados, como por exemplo, a perspectiva de economia de R$ 58 milhões na licitação das compras coletivas de materiais hospitalares. Isso é só o começo, vamos ter mais resultados. Nossa região precisa ser vista de forma diferente, mais atrativa e com todo seu potencial.”

A missão na Europa terá início na segunda-feira (18) e conta com uma série de reuniões em busca de investimentos para áreas integradoras da região, como sustentabilidade, infraestrutura, turismo, saúde, segurança pública, saneamento e energias limpas. A comitiva visitará a França, a Itália e a Alemanha com o objetivo de apresentar o funcionamento do Consórcio e as potencialidades do Nordeste, inclusive com a perspectiva de abertura de parcerias público-privadas (PPP). A programação conta com eventos e reuniões com setores econômicos e governamentais em Paris, nos dias 18 e 19, em Roma, no dia 20, e em Berlim, nos dias 21 e 22.

Portal no Ar
Política

Brasil reconhece Jeanine como nova presidente da Bolívia

Jeanine Áñez anunciou que decidiu “assumir imediatamente” a presidência da Bolívia

O governo brasileiro reconheceu a senadora Jeanine Áñez como nova presidente da Bolívia. Em publicação no Twitter, o Ministério das Relações Exteriores saudou a determinação de Jeanine em trabalhar pela realização de novas eleições e diz que quer aprofundar a “fraterna amizade” entre Brasil e Bolívia.

“O governo brasileiro congratula a senadora Jeanine Áñez por assumir constitucionalmente a Presidência da Bolívia e saúda sua determinação de trabalhar pela pacificação do país e pela pronta realização de eleições gerais. O Brasil deseja aprofundar a fraterna amizade com a Bolívia”, diz a publicação.

A senadora do partido oposicionista Unidad Demócrata declarou-se presidente da Bolívia nesta terça-feira (12). “Assumo imediatamente a Presidência”, disse Jeanine, embora a bancada do MAS, partido liderado pelo ex-presidente Evo Morales, não estivesse presente no Congresso. Morales chegou ontem ao México, país que lhe concedeu asilo político após a renúncia à Presidência da República.

Jeanine Áñez anunciou que decidiu “assumir imediatamente” a presidência da Bolívia, em seu novo status de líder do Senado, depois de considerar que no país havia uma situação de vacância, devido à renúncia do ex-chefe de Estado, Evo Morales, e do vice-presidente Álvaro García Linera.

Também renunciaram aos cargos os presidentes do Senado e da Câmara e o primeiro vice-presidente do Senado. Como segunda vice-presidente da Casa, Jeanine Áñez entendeu que cabia a ela assumir o posto deixado vago por Morales.

Agência Brasil
Política

‘Perseguição política é um álibi construído’, diz Moro sobre Lula

Imagem: Arte/UOL

Em entrevista ao jornal paranaense Gazeta do Povo, Sergio Moro afirmou que as críticas de Lula à Lava Jato não enfraquecem a operação e que sua alegação de “perseguição política” “é absolutamente um álibi que foi construído”.

“É o mesmo discurso que ele já falava antes [de ser solto]. E as pessoas avaliam os fatos, têm condições de avaliar os fatos que aconteceram. Essa questão da perseguição política (…) não tem nenhuma procedência no mundo real”, declarou o ministro da Justiça.

Questionado se ficou frustrado com a soltura do petista, o ex-juiz da Lava Jato afirmou não ter sentimento pessoal envolvido.

“Quando eu proferi as decisões contra o presidente Lula, assim como qualquer outro réu, durante toda a minha carreira judiciária, isso sempre foi algo imparcial, objetivo”, disse Moro.

“Na verdade, quando o juiz condena alguém à prisão, o sentimento normalmente é de pesar. Puxa, mandar alguém para a prisão sempre é algo negativo, é fazer o mal para uma pessoa. Mas isso é uma consequência de um crime que a pessoa cometeu. E juiz tem que cumprir o dever legal. Não pode pensar só no acusado; tem que pensar também nas vítimas. É um sistema que precisa, acima de tudo, afirmar o império da lei”, acrescentou.

O Antagonista com Gazeta do Povo
Política

Bolsonaro busca 490 mil apoios em 9 estados para criar o ‘Aliança pelo Brasil’

O partido que Jair Bolsonaro vai criar ao deixar o PSL já tem nome: Aliança Pelo Brasil. Decidido a deixar a legenda pela qual se elegeu, o presidente da República vai encampar a empreitada de fundar uma sigla do zero. O anúncio será feito em uma reunião nesta terça-feira, com os deputados do PSL, a partir das 16h, em Brasília.

Para garantir a criação em tempo recorde, o grupo pretende lançar mão, inclusive, de um aplicativo para amealhar apoios. Para empreitada ir adiante, são necessários cerca de 490.000 apoios em pelo menos nove estados.

A assessoria jurídica de Bolsonaro também trabalha para evitar que os parlamentares leais ao presidente deixem o partido sob risco de perderem seus mandatos, além de garantir a transferência dos recursos partidários e tempo de TV que o PSL passou a ter direito depois que se tornou a segunda maior banca da Câmara dos Deputados.

A alegação comum nessas situações para que deputados não percam seus mandatos é a de que o partido rompeu com seus próprios compromissos. Legenda mais votada em 2018, o PSL recebe cerca de 100 milhões por ano do Fundo Partidário. Nas eleições municipais de 2016, ainda irá receber cerca de 400 milhões de reais para gastar em campanhas.

Veja
Economia » Política

Ministro de Bolsonaro divulgou valor errado e RN não receberá R$ 770 milhões do pré-sal

MINISTRO LUIZ EDUARDO RAMOS COM A GOVERNADORA FÁTIMA BEZERRA. FOTO: CLAUDIO OLIVEIRA

O Ministro Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo do Presidência, divulgou ontem (7) a informação errada para a imprensa potiguar de que o Rio Grande do Norte irá receber R$$ 770 milhões do leilão do petróleo que serviria para pagar os salários atrasados. O valor correto deve ficar bem abaixo, em R$ 160 milhões.

A Secretaria da Previdência já enviou comunicado à governadora Fátima Bezerra comunicando o erro e informando os valores corretos, além, claro, de desculpar-se pelo equívoco. “No entanto, na manhã desta sexta-feira (08), recebi a informação de que os dados estavam equivocados.
O repasse correto após o leilão da última quarta-feira (06) é de quase R$160 milhões para o Estado do Rio Grande do Norte e R$131 milhões para os municípios.
Pelos motivos citados, peço desculpas publicamente à governadora Fátima Bezerra e ao povo potiguar pelo equívoco e aproveito a oportunidade para ressaltar que o Governo Federal tem como a transparência uma das principais diretrizes de trabalho”, escreveu o ministro nesta sexta-feira (8).

Segundo o ministro, a administração estadual iria receber a maior parcela, com cerca de R$ 423 milhões. Já os municípios receberiam algo em torno de R$ 341 milhões. No entanto, o ministro não deu mais informações sobre como será feito o repasse da verba, nem como se chegou a esse valor, já que o leilão do pré-sal ficou bem abaixo do que se esperava. O Governo Fátima imediatamente duvidava desse valor e esperava um comunicado oficial do Governo Bolsonaro. O comunicado que chegou foi da própria Secretaria do Governo corrigindo a informação divulgada à imprensa potiguar.

Confira a nota enviada pelo Ministro á governadora Fátima Bezerra

Esclarecimento sobre repasses da cessão onerosa

Com relação ao repasse financeiro para o Governo do Estado e municípios potiguares relativo ao leilão da cessão onerosa do petróleo, o Ministro-Chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira, emitiu nota retificando as declarações dadas após reunião na Governadoria nesta quinta-feira (7). Segue a íntegra do texto abaixo:

“Durante visita ao Rio Grande do Norte para tratar de novos investimentos do Governo Federal à toda região Nordeste, me reuni com a governadora Fátima Bezerra na última quinta-feira (07).
Durante o amistoso e agradável encontro, pudemos trocar informações acerca das principais conquistas e necessidades do Estado. Um dos temas discutidos foi o resultado do leilão da cessão onerosa, que arrecadou R$70 bilhões nesse primeiro momento. Como grande entusiasta que sou, quis transmitir mais uma boa notícia ao Rio Grande do Norte e resolvi fazer contato com o Ministério da Economia, que me informou valores de repasse ao Estado e municípios potiguares no que tange o resultado do leilão. No entanto, na manhã desta sexta-feira (08), recebi a informação de que os dados estavam equivocados.
O repasse correto após o leilão da última quarta-feira (06) é de quase R$160 milhões para o Estado do Rio Grande do Norte e R$131 milhões para os municípios.
Pelos motivos citados, peço desculpas publicamente à governadora Fátima Bezerra e ao povo potiguar pelo equívoco e aproveito a oportunidade para ressaltar que o Governo Federal tem como a transparência uma das principais diretrizes de trabalho.

Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira
Ministro-Chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República”

Portal no Ar

Últimos Eventos

21/09/2019
São Vicente/RN
03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!