Arquivos:

Política

Deputados aprovam prorrogação de decretos de calamidade em municípios do RN

Os deputados estaduais do Rio Grande do Norte votaram, nesta quarta-feira (07), durante sessão remota da Assembleia Legislativa, decretos que prorrogam a vigência do estado de calamidade pública e dispõe sobre as medidas temporárias de prevenção, controle e enfrentamento ao contágio da covid-19.

Os municípios contemplados foram Lucrécia, Areia Branca, Barcelona, Bom Jesus, Caicó, Dr. Severiano, Jardim de Angicos, Olho D´Água do Borges, Riachuelo, Serra Negra, Upanema e Carnaúba dos Dantas.

“A aprovação desses decretos possibilita que os gestores municipais continuem adotando medidas no combate à proliferação do novo coronavírus”, disse o deputado George Soares (PL).

Outras matérias

Durante a sessão, também foi aprovado à unanimidade o Projeto de Lei Nº 367/2019, de autoria do deputado Francisco do PT que obriga as concessionárias de telefonia fixa e móvel a cancelarem a multa de fidelidade para o usuário que comprovar que perdeu seu vínculo empregatício após a adesão do contrato. “Estamos passando por um momento ímpar e é preciso proteger essas pessoas que estão perdendo seus empregos com leis que as ajudem a passar por essa fase difícil sem sofrer prejuízos como essas multas aplicadas por essas empresas de telefonia”, explicou Francisco.

Ainda de sua autoria foram votados e aprovados à unanimidade os projetos Nº 173/2020 que determina prioridade na realização de testes de diagnóstico da Covid-19 para as pessoas doadoras de sangue durante a emergência de saúde pública decorrente do novo coronavírus e o Projeto de Lei Nº 214/2020 que institui, no calendário oficial do Estado, o “Dia Estadual da Juventude”.

Ainda na pauta do dia, os deputados votaram o Projeto de Lei 399/2019 que dispõe sobre a garantia de atendimento diferenciado à mulher chefe de família, a mulher idosa e a mulher com deficiência, junto aos programas de habitação de interesse social. “A gente entende que, nos momentos de conflitos com seus companheiros, as mulheres ficam com a guarda dos filhos e essa será a garantia jurídica que essas mulheres terão. Ou seja, é a certeza que o imóvel ficará com a mulher e a serviço dos filhos”, justificou Isolda Dantas (PT).

Os parlamentares também aprovaram mais dois projetos de autoria da deputada Isolda Dantas. O Projeto de Lei Nº 397/2019 que dispõe sobre a política estadual de desenvolvimento e apoio às atividades das mulheres marisqueiras no Rio Grande do Norte e o Projeto de Lei Nº 40/2020 que dispõe sobre o estabelecimento de medidas extraordinárias de garantia à oferta de produtos e insumos para conter a disseminação do novo coronavírus (Covid-19), em todo o RN.

Os projetos aprovados pelos deputados, seguem para sanção da Governadora Fátima Bezerra (PT) e passam a vigorar logo após sua publicação.

Blog do Ismael Medeiros
Política

Projeto que reconhece academias e clubes como atividade essencial é aprovado por deputados do RN

Autor de um projeto com as mesmas características, o deputado George Soares (PL) declinou do projeto de sua autoria para subscrever o projeto do colega deputado

Os deputados estaduais do Rio Grande do Norte aprovaram à unanimidade, nesta terça-feira (06), durante sessão ordinária, o Projeto de Lei Nº 248/2020, de autoria do deputado Coronel Azevedo (PSC), que considera a prática de atividades esportivas em academias e clubes essencial à saúde e autoriza a abertura e funcionamento destas em período de calamidade pública em decorrência da pandemia do novo coronavírus em todo o Estado.

“A prática regular de atividades físicas em academias é importante não só para a estética, mas também para a saúde, pois acelera o metabolismo, fortalece a estrutura óssea, melhora a flexibilidade, há perda de gordura (massa gorda) e ganho de músculos (massa magra), reduz o risco de diabetes, ajuda a controlar a pressão arterial, melhora a oxigenação, a respiração, há liberação de endorfina (hormônio ligado ao bem-estar, humor e alegria) e redução de estresse. Portanto, extremamente benéfica para esse momento tão complicado que passamos”, justificou.

Autor de um projeto com as mesmas características, o deputado George Soares (PL) declinou do projeto de sua autoria para subscrever o projeto do colega deputado. “A prática de exercício é indiscutível para a nossa saúde e aqui me somo ao colega Coronel Azevedo que apresenta esse projeto de suma importância nesse momento tão delicado da saúde física e mental da nossa população”, ressaltou.

O mesmo sentimento foi destacado pelos parlamentares Albert Dickson (PROS) e Hermano Morais (PSB). “Esta Casa Legislativa está sempre em consonância com as necessidades da população e, sensível como é, estava atenta a esse apelo da população”, destacou Hermano.

De acordo com o Projeto de Lei, as academias deverão vetar a entrada em suas  dependências e participação nas atividades dos menores de 18 anos sem expressa autorização dos pais ou responsáveis, de idosos a partir de 60 anos, de  pessoas com sintomas de  gripe  ou  outra infecção, de  pessoas que convivam com infectados pelo coronavírus e de pessoas consideradas do grupo de risco para o contágio da enfermidade.

Além disso, as academias e clubes deverão observar o distanciamento mínimo de 1,5 m entre  as  pessoas para  evitar aglomeração e  contatos próximos, disponibilizar ininterrupta e suficientemente álcool gel 70% em locais fixos de fácil visualização e acesso, e manter o ambiente, aparelhos e utensílios limpos e higienizados.

O Projeto de Lei segue agora para sanção da governadora Fátima Bezerra e entra em vigor na data da sua publicação.

Blog do Ismael Medeiros
Judiciário » Política

Lula ainda pode se tornar inelegível antes de 2022, diz advogado eleitoral

A incerteza jurídica criada pela decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, de anular as condenações do ex-presidente Lula no âmbito da Operação Lava Jato de Curitiba tem reflexos na eleição de 2022, que pode ter o petista como forte candidato com a ação desta segunda-feira (8).

Para o advogado especialista em direito eleitoral, Alberto Rollo, a sentença neste momento ainda não encerra a discussão sobre a legalidade de uma eventual candidatura do ex-presidente. ASSISTA AQUI vídeo com entrevista.

O especialista afirma que, com 1 ano e 7 meses até o pleito, os casos ainda não podem ser reavaliados, agora na Justiça Federal de Brasília.

“Hoje Lula é ficha limpa, daqui há uma semana ou um mês a gente não sabe. A decisão sendo hoje é melhor do que em março de 2022. Ainda dá tempo para que a justiça se acalme e busque o melhor caminho uma vez que o novo juiz do caso pode se utilizar das provas já coletadas em Curitiba.”

A respeito da decisão tomada por Edson Fachin, Alberto Rollo afirmou que não estava prevista a possibilidade de que o ministro interferisse na competência do caso, citando apenas os julgamentos a respeito da possível suspeição do ex-juiz Sergio Moro.

“Falávamos de eventual suspeição de Moro e outras questões processuais, mas nunca se imaginou que Fachin soltasse uma decisão de incompetência da 13ª vara de Curitiba,” disse Rollo.

Bolsonaro Presidente » Covid-19 » Política » Vacina

Pacheco e Lira esperam que Bolsonaro não vete projeto que facilita compra de vacinas

Os presidentes do Senado e da Câmara, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e Arthur Lira (PP-AL), respectivamente, fizeram uma ponderação ao presidente Jair Bolsonaro para evitar vetos às propostas em vias de votação que facilitam a aquisição de vacinas, como forma de agilizar os procedimentos.

Vacinação contra Covid-19 foi o tema central da reunião de Bolsonaro com Pacheco e Lira, com a participação dos ministros Paulo Guedes (Economia), Eduardo Pazuello (Saúde), Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Governo).

Proposta de iniciativa do próprio presidente do Senado altera a lei de maneira a proteger o gestor público que assine contrato com o laboratório Pfizer, por exemplo, que exige ser previamente isentado de responsabilidade no caso de eventuais efeitos colaterais de sua vacina.

A reunião também tratou da pauta de votações no Congresso, como o próprio presidente Bolsonaro divulgou em seu Twitter. Os presidentes do Senado e da Câmara manifestaram otimismo em relação à aprovação da PEC Emergencial.

O grupo também discutiu a aprovação do novo auxílio emergencial e de projetos envolvendo estímulo ao emprego.

DIÁRIO DO PODER
Política

“Não dá para recuperar um roubo de 16 anos em apenas dois anos”, diz Onyx sobre Petrobras

Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Em entrevista ao programa Pânico, da Jovem Pan, nesta terça-feira, 23, o ministro da Secretaria Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, analisou a decisão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de mudar o comando da Petrobras. Na última sexta-feira, 19, Bolsonaro anunciou a escolha do general da reserva Joaquim Silva e Luna para ocupar o cargo de presidente da estatal.

A decisão ocorreu um dia após o ministério de Minas e Energia comunicar à Petrobras que aconteceriam mudanças em seu corpo de funcionários. O anuncio do presidente chamou a atenção da população e do mercado financeiro, que reagiu com a desvalorização das ações da estatal — até o início da semana, a Petrobrás já havia perdido cerca de R$ 100 bilhões em valor de mercado.

“Não dá para recuperar um roubo de 16 anos em apenas dois anos de governo. Houve uma roubalheira infinita na Petrobras, que contou com a omissão e conivência de muitos funcionários. Desde que Bolsonaro assumiu, a roubalheira acabou. Com muita humildade estamos recuperando o rombo deixado pelo PT, mas precisamos levar em consideração que estamos enfrentando uma pandemia, é difícil. O presidente tomou sua decisão porque aferiu que, quem estava no comando da Petrobras, não correspondia aos interesses do país. Bolsonaro tem direito de fazer essa indicação. No mercado financeiro, as ações da estatal caíram porque houve um ataque especulativo. Podemos esperar da gestão de Joaquim Silva e Luna uma Petrobras equilibrada entre os interesses dos investidores e dos brasileiros”, disse.

Segundo laudo divulgado em 2015 pela Polícia Federal, o rombo na Petrobras, provocado pela prática de crimes como pagamento de propina e cartel, varia entre R$ 6,4 bilhões e R$ 42,8 bilhões. Para os procuradores da antiga força-tarefa da Operação Lava Jato, o valor gira em torno de R$ 20 bilhões.

Reconhecendo a fragilidade da economia brasileira em meio à pandemia de Covid-19, o ministro reforçou que a estabilidade do país apenas será atingida “se todas as reformas econômicas forem realizadas”, em referência às propostas do governo de reforma tributária e administrativa. “Somos um governo que rompe com todos os anteriores e, por isso, tivemos que aprender a ser ameno. As reformas não caminharam muito porque cometemos erros e, lamentavelmente, tivemos na presidência da Câmara o deputado Rodrigo Maia, que tomou atitudes antipatrióticas. Mas isso é passado. Com Arthur Lira na presidência da Casa, tudo fluirá com maior rapidez”, disse.

Mesmo enxergando um aliado em Lira, para que as reformas sejam sancionadas, devem ser debatidas e aprovadas no legislativo. Por isso, questionado sobre a aproximação do governo federal com o “Centrão“, Lorenzoni disse que “não há um país no mundo em que o o presidente não tenha a obrigação de construir uma maioria no parlamento”. “O PT negociava cargos com o ‘Centrão’ de porteiras fechadas e aqui não existem porteiras fechadas. É preciso deixar claro que as relações partidárias acontecem no mundo todo. Antes, o PT dizia aos parlamentares: ‘nós estamos aqui para nos servir.’ Hoje, Bolsonaro diz: ‘nós estamos aqui para servir o povo brasileiro’”, concluiu.

Jovem Pan
Política » Redes Sociais

Trump continua banido do Twitter mesmo que volte à presidência, diz diretor

O ex-presidente dos EUA, Donald Trump, continuará banido do Twitter mesmo se retornar à presidência, afirmou o diretor financeiro do Twitter, Ned Segal, em entrevista à CNBC, nesta 4ª feira (10.fev.2021).

“Nossas políticas são desenhadas para que garantir que as pessoas não incitem a violência”, afirmou o executivo, dizendo que quando alguém é removido, não é possível retornar à plataforma:“Seja você um comentarista, um diretor financeiro ou funcionário público atual ou anterior”.

TRUMP BANIDO

O Twitter bloqueou permanentemente o perfil do presidente norte-americano no dia 8 de janeiro. À época, a rede social justificou a decisão pelo “risco de mais incitação à violência”.

No dia anterior, apoiadores de Trump invadiram o Capitólio (Congresso dos EUA) durante sessão que certificaria a vitória de Joe Biden sobre o republicano. O ato resultou em 5 mortes.

PODER 360
Gastos » Política

Em ano de pandemia, deputados gastam até R$ 347 mil com transporte

O ano foi de pandemia, mas, apesar das recomendações de distanciamento social, teve deputado federal que gastou até R$ 347 mil em despesas de transporte, como fretamento de jatinho, aluguel de carro, combustível e passagens aéreas. Levantamento feito pelo Estadão mostra que 12 parlamentares ainda aumentaram esse tipo de pagamento em 2020 mesmo com a Câmara funcionando em esquema remoto.

A orientação para que os deputados ficassem em casa ocorreu em março, quando a Câmara regulamentou o uso da tecnologia para reduzir o risco de contágio do novo coronavírus. Desde então, a regra é realizar sessões online, evitando o deslocamento até mesmo para Brasília. Se a aglomeração no plenário foi reduzida até a semana passada, quando os deputados voltaram presencialmente para eleger a nova Mesa Diretora, o mesmo não se pode dizer das atividades realizadas por parte dos parlamentares em suas bases.

Em dezembro, mês em que os casos de covid-19 voltaram a crescer no Brasil e, especialmente no Amazonas, o deputado Sidney Leite (PSD-AM) alugou uma aeronave, por R$ 82 mil, para rodar o interior do Estado e participar de festas natalinas. Ele é o campeão de gastos com transportes: R$ 347,1 mil.

Também do Amazonas, Silas Câmara (Republicanos) seguiu fazendo uso regular de aeronaves para visitar aliados político-partidários e também religiosos. Durante o ano, ele gastou ao menos R$ 206 mil em bimotores e até um hidroavião. Além de estar na lista dos que mais pediram reembolso com deslocamentos (é o terceiro), Silas também faz parte do grupo de 12 parlamentares que aumentaram esse tipo de despesa na comparação com 2019.

A alta foi de 47%, iniciada já em janeiro de 2020, quando ele pagou R$ 22,5 mil para cumprir, num hidroavião, agenda de dois dias com pastores das igrejas do Evangelho Quadrangular e Assembleia de Deus – ele é o líder da Frente Parlamentar Evangélica da Câmara.

Cota

Deputados do Norte têm valores de cota parlamentar maiores por causa da distância de seus Estados para Brasília. A base é o preço das passagens entre as capitais – as dificuldades de travessia, impostas pelas particularidades da região, não são levadas em conta. E, apesar de mais raros, há voos de carreira entre os principais municípios.

Mas o fato de a Câmara reembolsar quem escolhe a viagem mais curta fez com que o deputado Jesus Sérgio (PDT-AC) pagasse R$ 12,6 mil para ir, em um bimotor, de Rio Branco a Tarauacá, sua cidade natal, no mês de novembro. Distante 409 km da capital do Acre, a passagem de ônibus até lá custa cerca de R$ 200, ida e volta. De carro, são seis horas de viagem.

Jesus Sérgio ainda desembolsou R$ 50 mil para custear o aluguel de quatro veículos Gol, de agosto a novembro – mais do que o suficiente para comprar o mesmo modelo zero km.

Gasolina

A desobediência em relação ao isolamento social não ocorreu só com deputados do Norte, conforme dados da Câmara. Gurgel (PSL-RJ) usou R$ 265 mil de sua cota para custos de transporte – desse total, R$ 112 mil foram empregados em locação de carros e outros R$ 20 mil em gasolina. O restante (R$ 131 mil) foi usado em passagens aéreas, apesar de o parlamentar só ter participado de sessões virtuais desde março.

Quando se analisam apenas as notas de combustível, no entanto, ninguém supera Claudio Cajado (PP-BA). O deputado gastou R$ 71 mil em 2020, quase o limite permitido, que é R$ 72 mil por ano. Com base no preço médio do litro de gasolina na Bahia, o recurso permitira ao deputado ir de Salvador a Brasília 146 vezes em um carro popular.

No geral, o recurso empenhado pela Câmara em transportes caiu 50% de 2019 para 2020, mas mesmo assim alcançou R$ 49 milhões – suficiente para atender 81 mil pessoas com auxílio emergencial de R$ 600 por um mês.

ESTADÃO
Política

Eduardo Bolsonaro acusa governo Fátima Bezerra de politizar a pandemia

Deputado Eduardo Bolsonaro – Foto: Vinicius Loures / Câmara dos Deputados

O Rio Grande do Norte é um dos dois estados do Brasil que ainda não abasteceram a plataforma do Ministério da Saúde, que monitora o número de vacinados contra a Covid-19. Além do RN, São Paulo também não enviou dados para o Vacinômetro do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (Sipni), que organiza informações de todas as vacinas que são aplicadas no país.

Apesar do sistema nacional não apresentar informações do RN, o governo vem atualizando diariamente a plataforma RN+Vacina. Até a segunda-feira (1º), a contagem de vacinação contra a Covid-19 estava em 45.522.

A Secretaria Estadual de Saúde Pública informou que vem adotando a medida como forma de oferecer maior transparência à população com um nível maior de detalhamento, uma vez que o RN+Vacina permite filtrar o avanço da campanha por município. O Governo de São Paulo utiliza a mesma estratégia.

A falta de dados do RN no Sipni provocou reação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Pelas redes sociais, ele criticou a governadora potiguar e afirmou que a ação é “politização da pandemia”, logo após publicar uma foto do governador de São Paulo João Doria (PSDB) e uma da governadora Fátima Bezerra (PT) ao lado do ex-presidente Lula.

“Depois Dória e Fátima Bezerra farão de tudo para apontar desorganizações nos dados do governo federal que eles próprios provocaram. Resumindo, é o fortalecimento da narrativa ‘a culpa é do Bolsonaro’ em detrimento da saúde dos brasileiros”, disse o deputado.

Por meio de nota, o Governo do Rio Grande do Norte respondeu ao filho do presidente e destacou dificuldades no diálogo com o Ministério Federal para a consolidação dos dados. A Sesap disse ainda que o processo de compartilhamento com o sistema do SUS já está em fase de conclusão.

“O Rio Grande do Norte já está em fase de conclusão de compartilhamento de dados com o DataSUS e o SIPNI, para integração junto à Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS) – plataforma nacional de interoperabilidade de dados em saúde. Cabe destacar que houve demora na resposta do DATASUS ao Estado, o que contribuiu para que a nossa ferramenta ficasse mais adiantada do que a do Ministério, em todos os aspectos”, explicou a Sesap.

Agora RN
Política

Arthur Lira é eleito presidente da Câmara dos Deputados em 1º turno

Deputado Arthur Lira (PP-AL) é o novo presidente da Câmara dos Deputados. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O deputado Arthur Lira (PP-AL) é o novo presidente da Câmara dos Deputados. O parlamentar foi eleito nesta segunda-feira (1º), em primeiro turno, com 302 votos e comandará a Casa no biênio 2021-2022. Em segundo lugar ficou o deputado Baleia Rossi (MDB-SP), com 145 votos.

Ao todo, 503 deputados votaram. Oito candidatos disputaram a eleição para o cargo de presidente da Câmara. Em seu primeiro ato como presidente, Arthur Lira anulou a votação dos demais cargos da mesa diretora. O parlamentar determinou a realização de uma nova eleição para a escolha de seus integrantes nesta terça-feira (2), às 16h.

Pelo ato de Lira, a escolha dos candidatos terminará às 11h desta terça e o registro das candidaturas vai até as 13h. A definição dos nomes para os cargos segue o critério de proporcionalidade, dessa forma considera o tamanho das bancadas. A mesa diretora é composta por 11 cargos: presidente, dois vice-presidentes, quatro secretários e seus suplentes.

“Considerando que neste momento apenas o cargo de presidente foi apurado, cargo excluído da proporcionalidade partidária, permitindo a candidatura de qualquer deputado e que nenhuma candidatura apresentada a este cargo foi indeferida. Considerando que ainda não é conhecida a vontade deste soberano plenário, quanto à parte equivocada, relativas aos demais cargos, decide tornar sem efeito a decisão que deferiu o registro do bloco”, argumentou.

A decisão cancelou a formação do bloco de Baleia Rossi, formado por 10 partidos (PT, MDB, PSDB, PSB, PDT, Solidariedade, PCdoB, Cidadania, PV e Rede). Segundo Lira, o bloco foi protocolado após o término do prazo. Segundo o PT, o sistema da Câmara dos Deputados travou 20 minutos antes do fim do prazo, inviabilizando o protocolo no prazo.

Atuação harmônica

Ao iniciar seu discurso como presidente, Lira pediu um minuto de silêncio em homenagem às vítimas da pandemia de Covid-19. O parlamentar afirmou que a pandemia deve ser enfrentada com uma “atuação harmônica dos poderes sem abrir mão da independência” entre Legislativo e Executivo.

“Precisamos urgentemente amparar os brasileiros que estão em caso de desespero econômico; analisar como fortalecer nossa rede de proteção social; vacinar, vacinar e vacinar a população; e buscar o equilíbrio das contas públicas”, argumentou.

Ao discursar antes da votação, Lira afirmou que haverá reunião de líderes partidários às quintas-feiras para construir a pauta de votação. Além disso, serão definidos os relatores das propostas, respeitada a proporcionalidade partidária.

“Quando um deputado ou deputada atinge a presidência [da Casa], é imposta automaticamente a perda da mais fundamental prerrogativa parlamentar, a de votar”, disse. “Isso quer dizer que o presidente não pode ter posições pessoais.”

Votação

O deputado Fábio Ramalho (MDB-MG) ficou em terceiro lugar com 21 votos; Luiza Erundina (PSOL-SP), com 16 votos; Marcel van Hattem (Novo-RS), com 13 votos; André Janones (Avante-MG), com 3 votos; Kim Kataguiri (DEM-SP), com 2 votos; e General Peternelli (PSL-SP), com 1 voto. Também foram registrados 2 votos em branco.

Agência Brasil
Política

Rogério Marinho naturaliza possível saída do governo Bolsonaro: “Não fiz concurso para ministro”

A declaração de Rogério Marinho acontece no momento em que sua permanência no Ministério do Desenvolvimento Regional está ameaçada

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, naturalizou nesta quarta-feira 27 uma possível saída do governo Jair Bolsonaro. O ex-deputado potiguar ressaltou que sua permanência como ministro é uma decisão que cabe exclusivamente ao presidente da República e que, portanto, ele pode deixar o ministério a qualquer momento caso Bolsonaro deseje.

Eu não fiz concurso para ministro, nem tenho mandato. Se o presidente entender que eu não conto mais com a confiança dele, certamente vai me demitir ou vai me retirar do lugar em que eu estou. Não preciso nem de aviso prévio. Enquanto eu tiver a confiança do presidente, estou aqui”, destacou o ministro, em entrevista à rádio Jovem Pan.

A declaração de Rogério Marinho acontece no momento em que sua permanência no Ministério do Desenvolvimento Regional está ameaçada. Informações de bastidores apontam que a pasta estaria sendo usada como moeda de troca nas negociações em torno da eleição para a presidência do Senado.

Segundo o jornal Valor Econômico, a expectativa é que o atual presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), assuma o lugar de Rogério Marinho no Ministério do Desenvolvimento Regional como uma compensação após o Supremo Tribunal Federal (STF) o impedir de ser candidato à reeleição. A negociação seria concretizada caso o candidato de Alcolumbre e do governo, o senador Rodrigo Pacheco (DEM-RO), vença a disputa.

Agora RN

Últimos Eventos

21/09/2019
São Vicente/RN
03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!