Arquivos:

Petrobras

Petrobras reduz novamente preços da gasolina e do diesel em refinarias

Foto: Divulgação

A Petrobras anunciou, nesta terça-feira (14), uma nova redução nos preços médios dos combustíveis vendidos nas refinarias. A gasolina ficará 8% mais barata e o diesel terá queda de 6%. No acumulado do ano, o preço da gasolina já caiu 48,2% e o do diesel (tipos S10 e S500) caiu 35,4%.

Os preços valem a partir desta quarta-feira (15) e são referentes ao valor vendido pelas refinarias para as distribuidoras. O valor final ao motorista dependerá do mercado, já que cada posto tem sua própria política de preços, sobre os quais incidem impostos, custos operacionais e de mão de obra.

Petrobras » Rio Grande do Norte

Petrobrás vai paralisar pelo menos 45 plataformas; RN é o estado mais atingido

Pelo menos 45 plataformas de produção de petróleo e gás natural instaladas em estados do Nordeste e Sudeste vão ser desligadas neste mês. O Rio Grande do Norte é o mais atingido, com 24 unidades. Em carta a sindicatos de petroleiros, a Petrobrás informou a paralisação das unidades, o que vai significar demissões e remanejamento de pessoal.
Ainda assim, essas medidas pouco contribuem para a meta de corte de 200 mil barris por dia (bpd) anunciadas para enfrentar a crise. O esperado é que muitas plataformas ainda entrem em hibernação e que centenas de funcionários deixem a empresa nos próximos meses por falta de espaço para recolocação interna.

O corte de produção faz parte da série de medidas que estão sendo tomadas pela empresa para fazer frente à atual crise do petróleo, em que o barril baixou ao patamar dos US$ 20. Segundo a empresa, com essa cotação, muitos dos seus ativos passaram a ser inviáveis e, mais do que nunca, o foco da companhia passou a ser o pré-sal.

Nem mesmo a Bacia de Campos, que já respondeu por 80% do desempenho do País e onde ainda existem áreas gigantes em operação, está fora do radar de corte da diretoria da petroleira. Por enquanto, os cortes no litoral fluminense foram pequenos, mas especialistas e fontes internas da empresa dizem que a redução vai ser mais profunda no Rio de Janeiro, até que os 200 mil bpd sejam alcançados.

Estados atingidos

As 45 plataformas paralisadas até agora, instaladas em águas rasas, somam pouco mais de 10 mil bpd de produção, o equivalente a 5% da meta de corte. Na Bacia de Campos, foram paralisadas seis unidades que, juntas, somam produção de 5,4 mil barris por dia (bpd), segundo dados do boletim divulgado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Na bacia do Ceará-Piauí,, mais nove vão ser desligadas em quatro campos, o que representa menos 2,4 mil bpd. Em número de plataformas, o estado mais atingido foi o Rio Grande do Norte, com 24 unidades, que somam 2,4 mil bpd.

Os cortes nas três bacias – Campos, Ceará-Piauí e Potiguar – representam, portanto, 10,3 mil bpd de produção. Há ainda seis unidades de produção na Bacia de Sergipe-Alagoas, mas não há dados oficiais dos volumes produzidos por essas unidades. Ao todo, são extraídos 3,6 mil bpd na região.

Trabalhadores relatam ainda a parada de duas plataformas na Bacia de Campos, a P-43 e P-48, instaladas no campo de Barracuda, que somam 43,5 mil bpd. Mas a paralisação dessas unidades ainda não foi formalizada pela empresa.

Na carta, a empresa oferece três opções aos empregados das unidades que vão ser temporariamente desligadas: a realocação interna de acordo com a necessidade da empresa, a adesão ao plano de demissão voluntária e o desligamento individualmente por acordo. O questionamento dos sindicatos é sobre a capacidade da empresa de reter o grande número de funcionários que ficaram sem atividade, um volume de pessoas que tende a crescer ainda mais.

Estadão
Petrobras

Petrobras vai reduzir produção em 200 mil barris diários e cortar gastos

Foto: Petrobras

A Petrobras adota, a partir desta quarta-feira (1o), novas medidas necessárias para assegurar a sustentabilidade da companhia nesta que se configura a pior crise da indústria do petróleo nos últimos 100 anos. O cenário atual é marcado por uma combinação inédita de queda abrupta do preço do petróleo, excedente de oferta no mercado e uma forte contração da demanda global por petróleo e combustíveis. Estas novas medidas envolvem redução da produção de petróleo, postergação de desembolso de caixa e redução de custos.

A partir de hoje a produção de petróleo passa a sofrer corte de 200.000 barris diários, volume que inclui a redução anunciada em 26/03/2020. Para definição dos campos que terão sua produção diminuída, a Petrobras levará em consideração condições mercadológicas e operacionais. A duração da restrição, assim como potenciais aumentos ou diminuições, será continuamente avaliada.

Petrobras

Petrobras reforça abastecimento de gás de cozinha em todo o país

Foto: Divulgação

A Petrobras informou que está reforçando o abastecimento do gás liquefeito de petróleo (GLP), através de compras adicionais já efetuadas dentro do seu programa de importação. As importações adicionais se somarão às produções atuais das refinarias da região Sudeste, com a chegada de três navios no porto de Santos, o primeiro nesta segunda-feira (30) e os outros dois, nos dias 6 e 10 de abril.

Segundo a Petrobras, cada navio tem capacidade adicional de 20 milhões de quilos de GLP, equivalente a 1,6 milhão de botijões de 13 quilos.

Nos últimos dias, houve uma corrida às distribuidoras para estocar botijões de gás de cozinha. De acordo com a companhia, “não há qualquer necessidade de estocar GLP neste momento, pois não haverá falta de produto para abastecer a população”.

Redução no preço do GLP

A Petrobras vai reduzir a partir de amanhã (31) em 10%, o preço dos botijões de 13 quilos do gás liquefeito de petróleo (GLP), mais conhecido como gás de cozinha. A estatal informou que o preço médio nas refinarias será equivalente a R$ 21,85 por botijão de 13 kg. No acumulado do ano, a redução é de cerca de 21%.

A Petrobras diz que conta com as distribuidoras e revendedores para que essas reduções do preço do botijão de gás cheguem ao consumidor final.

Por Agência Brasil

Petrobras

Petrobras reduz valor da gasolina, mas preço no RN vai depender de cada posto

Queda vem em resposta à drástica redução do preço do petróleo no mercado internacional

A Petrobras informou nesta quinta-feira (12) que reduziu o preço da gasolina em 9,5%, ou R$ 0,1600 o litro, e do diesel em 6,5%, em R$ 0,1250 o litro em todas as praças. A queda vem em resposta à drástica redução do preço do petróleo no mercado internacional.

Segundo o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Rio Grande do Norte (Sindipostos/RN), Antonio Cardoso Sales, a diminuição do valor não significa a mudança dos preços cobrados em postos de gasolina, pois “a redução dada pela Petrobras é para as refinarias, que produzem a ‘Gasolina A’, que são vendidas para as distribuidoras produzirem a ‘Gasolina B'”.

O presidente detalha que as distribuidoras são responsáveis pela venda da gasolina aos postos e que, por isso, o valor cobrado ao consumidor final pode manter-se sem variação negativa. “As distribuidoras podem ser beneficiadas com a redução, mas os postos de gasolina podem não sentir a redução, já que não compram diretamente das refinarias”, explica.

Outra justificativa apresentada pelo presidente para o valor cobrado seguir sem mudanças, é o fato da gasolina representar 30% do preço do produto, sendo os outros 70% de carga tributária. “A redução não foi no valor total, mas no produto em si. Por isso, não posso falar se o valor cobrado ao consumidor final vai diminuir ou aumentar, pois depende da escolha individual de cada empresário”, esclarece.

Agora RN
Petrobras

Em meio a greve, Petrobrás inicia contratações

Em decorrência disso, afirma a empresa, o Tribunal autorizou a contratação emergencial para evitar impactos à operação e à produção

A Petrobrás informou em nota que iniciou a contratação imediata de pessoas e serviços, de forma emergencial, para garantir a continuidade operacional em suas unidades durante a paralisação dos petroleiros. A categoria está em greve desde o dia 1.º deste mês.

Até a sexta-feira, trabalhadores de 84 unidades da estatal do petróleo, em 13 Estados, haviam aderido ao movimento, segundo informação da Federação Única dos Petroleiros (FUP).

A estatal afirma que a medida foi autorizada pela Justiça, uma vez que a ordem judicial de manter em serviço o mínimo de 90% do efetivo – determinada na semana passada pelo ministro Ives Gandra Martins Filho, do Tribunal Superior do Trabalho (TST) – não vem sendo cumprida pelos sindicatos.

Em decorrência disso, afirma a empresa, o Tribunal autorizou a contratação emergencial para evitar impactos à operação e à produção.

O ministro considerou que a greve possui “conotações políticas” e determinou também o bloqueio das contas dos sindicatos envolvidos nas paralisações e a suspensão das mensalidades dos empregados da estatal.

A Petrobrás diz ainda que as contratações serão feitas garantindo que os profissionais atendam a requisitos de qualificação técnica e possuam as certificações necessárias para exercício das atividades.

Os sindicatos afirmam que a greve é contra o anúncio de demissões em decorrência do fechamento da Araucária Nitrogenados (Ansa), subsidiária da Petrobrás no Paraná que fabrica fertilizantes. Para os sindicatos, quase mil pessoas, entre contratados diretos e indiretos, vão ficar desempregados – a direção da empresa se refere em comunicados a 396 empregados diretos atingidos pela decisão de fechamento da unidade. Os empregados também questionam o cumprimento de termos de Acordo Coletivo de Trabalho (TAC).

A diretoria da estatal argumenta ser impossível manter a subsidiária funcionando após sucessivos prejuízos financeiros e diz também não ser viável, do ponto de vista jurídico, incorporar os funcionários ao seu quadro, porque a subsidiária possui autonomia estatutária. Os sindicatos reclamam por não terem sido avisados previamente da demissão em massa e pedem uma solução alternativa ao desligamento dos trabalhadores.Maria As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Blog do Ismael Medeiros
Petrobras

Petrobras aumenta litro do diesel em R$ 0,081 a partir desta terça-feira

O litro do óleo diesel vai ficar mais caro nas refinarias da Petrobras a partir desta terça-feira, 2. O reajuste médio será de R$ 0,0810, de R$ 2,0664 para R$ 2,1474. Já o valor da gasolina não sofreu revisão. O reajuste foi divulgado no site da Petrobras, onde a empresa detalha as mudanças nos principais pontos de entrega às distribuidoras.

O litro do diesel mais caro sairá de Uberaba (MG), a R$ 2,1764 o S500, mais poluente, e a R$ 2,2211 o S10, produzido com menos enxofre. Em contrapartida, o combustível mais barato será vendido em Itacoatiara (AM), a R$ 1,9406, no caso do S500, e em Ipojuca (PE), a R$ 1,9602, no caso do S10.

Por Fernanda Nunes
Petrobras

Petrobras anuncia redução de 3% no preço da gasolina nas refinarias

A Petrobras anunciou que, a partir desta terça-feira, o preço da gasolina em suas refinarias vai ter uma queda de aproximadamente 3%, com uma redução de R$ 0,0549 por litro do combustível. No Rio de Janeiro, por exemplo, a gasolina é comercializada por R$ 1,8333. Com a redução anunciada para esta terça, o preço será reduzido para R$ 1,7784.

Em São Paulo, na refinaria de Paulínia, a redução também será na casa dos 3%. O combustível passará dos atuais R$ 1,8528 para R$ 1,7979: queda de 2,96%.

O óleo diesel nas refinarias da Petrobras, entretanto, não terá reajuste.

Embora a estatal tenha reduzido o preço em suas refinarias, a redução depende das políticas das distribuidoras e dos postos de combustíveis para que o consumidor pague menos pelo combustível.

O último reajuste no preço da gasolina nas refinarias tinha sido em 31 de maio. Na ocasião, o preço do combustível apresentou queda de 7,15%, passando de R$ 1,9543 para R$ 1,8144.

No fim de maio, o diesel também foi reajustado, apresentando queda de 6%. Ele foi de R$ R$ 2,3047 para R$ 2,1664.

O GLOBO
Petrobras

Justiça Federal suspende processo de venda de ativos da Petrobras

Estatal informou, em nota, que foi intimada da decisão e tomará as medidas cabíveis em favor de seus interesses e dos seus investidores

A Justiça Federal no Rio de Janeiro concedeu liminar, em ação popular, determinando a suspensão do processo de venda de 100% da participação acionária da Petrobras na Araucária Nitrogenados S.A. (Ansa) e de sua Unidade de Fertilizantes Nitrogenados III (UFN-III).

A estatal informou, em nota, que foi intimada da decisão e tomará as medidas cabíveis em favor de seus interesses e dos seus investidores.

Para a estatal, o programa de desinvestimentos é importante para a redução do seu nível de endividamento. “A companhia reforça a importância dos desinvestimentos através da gestão de portfólio para a redução do seu nível de endividamento e geração de valor, em linha com seu Plano de Negócios e Gestão 2019-2023 e Plano de Resiliência”.

Agência Brasil
Petrobras » Rio Grande do Norte

Petrobras vai investir mais de R$ 790 milhões no RN

Petrobras vai investir mais de R$ 790 milhões (US$ 198 milhões) no Rio Grande do Norte em 2019

A Petrobras vai investir mais de R$ 790 milhões (US$ 198 milhões) no Rio Grande do Norte em 2019. A garantia foi dada nesta terça-feira, 28, pelo presidente da empresa, Roberto Castello Branco, que confirmou ainda
a presença em cerca de 60% dos campos terrestres e a reestruturação da refinaria Clara Camarão, em Guamaré.

O anúncio foi feito à governadora Fátima Bezerra, na sede da Petrobras, no Rio de Janeiro, na reunião foi discutir quais os planos de investimento da empresa no Rio Grande do Norte nos próximos anos.

“A audiência foi muito positiva, na medida em que viemos conversar com o presidente sobre a presença da Petrobras no Rio Grande do Norte, partindo do princípio de que ela desempenha um papel muito importante na promoção do desenvolvimento social e econômico do estado”, ressaltou Fátima.

A Petrobras também anunciou estudos para delimitar a área de reserva real do campo marítimo de Pitu, próximo a fronteira do Rio Grande do Norte com o Ceará. Sobre a Clara Camarão, a intenção da empresa é investir diretamente na refinaria ou através de parcerias com grupos privados.

“Saímos muito otimistas, o presidente da Petrobras garantiu não apenas a manutenção, mas a ampliação de investimento no setor de petróleo e gás, que é um dos principais da economia do RN’’, disse o secretário de Estado de Planejamento, Aldemir Freire.

O senador Jean Paul Prates (PT) disse que evento garantiu a presença da Petrobras no RN, apesar de a política de desinvestimentos no plano nacional concentrar investimentos na área marítima.

Agora RN

Últimos Eventos

21/09/2019
São Vicente/RN
03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!