Opinião

‘Estado deveria congelar salários’, sugere ex-coordenador de Robinson Faria

Estancar o crescimento das despesas é a prioridade número um de ajuste fiscal que já deveria estar sendo deflagrado nos primeiros dias de governo da recém-eleita governadora Fátima Bezerra.

A opinião é do empresário e administrador Renato Cunha, ex-coordenador da Região Metropolitana, cargo da Secretaria de Planejamento e Finanças ocupado por ele durante o governo Robinson Farias.

Em entrevista ao programa “Agora é Show”, da Rádio Agora 97,9 FM, Cunha disse que essa medida extrema teria como companhia um reordenamento de cargos e valores das remunerações respectivas.

O administrador acredita que, diante de evidências crescentes de uma retomada da economia brasileira, o RN já deveria estar se preparando para colher frutos de um crescimento da arrecadação em 2019.

“Medidas como aumento da alíquota da contribuição previdenciária, além de privatização de estatais, como a Caern e a Potigás, também deveriam figurar entre as medidas mais urgentes do governo de Fátima”, acrescentou.

Para Cunha, no entanto, se os gastos não forem contidos com vigor e de forma enérgica imediatamente, a situação financeira do RN, que já é bastante grave, tenderá a piorar muito mais daqui para frente.

Ainda segundo ele, a solução do congelamento dos salários “é a única medida amarga” capaz de começar a solucionar os atrasos na folha de pagamento. “Quando você aumenta o salário do professor, por exemplo, aumenta também o do professor aposentado, o que é muito justo, mas impacta diretamente as finanças públicas”, argumenta.

Seria, acrescenta, uma medida extensiva não só para o Executivo, como também para os poderes Legislativo e Judiciário.

No ano passado, durante a tentativa do governo Robinson de aprovar medidas de ajuste fiscal, Renato Cunha criticou deputados e senadores do Rio Grande do Norte que, segundo ele, estavam na ocasião “de camarote assistindo e torcendo” pelo agravamento da crise generalizada no estado.

Na ocasião, ele isentou o governador de responsabilidade pelas dificuldades econômicas e creditou a outros governos a implementação de medidas que prejudicaram a saúde financeira do estado.

O empresário criticou, por exemplo, o reajuste no repasse dos duodécimos para os demais poderes. “Não foi Robinson quem aumentou (…), mas foi este governo quem ajuizou no CNJ e no STF ação para que os poderes devolvam os recursos que receberam a mais ao longo dos anos”

Agora RN

Últimos Eventos

21/09/2019
São Vicente/RN
03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!