Notícias

Todo Carnaval Tem Seu Fim (Ainda Bem)

Ainda bem que todo carnaval tem seu fim, como disseram meus queridos Hermanos de barba. Esse carnaval então, me trouxe uma visão ainda menos poética do Carnaval. Culpa da decadência da moralidade na nossa sociedade contemporânea. Parafraseando Humberto Gessinger, lhes digo que nós, homens de ideias tão modernas, ainda somos como os mesmos homens das cavernas em alguns sentidos.

 

Vamos por partes, como o estripador. Carnis vallis, em grego refere-se aos prazeres da carne. É esse o significado do Carnaval, e isso talvez justifique toda a depravação que anualmente ocorre de maneira ainda menos moderada. Me perdoem o conservadorismo quase que ortodoxo, mas certas coisas são exageros em demasia, pra não dizer que são total perda de senso moral e estupidez anacrônica.

 

O Carnaval virou reduto de estereótipos em sua maioria anencéfalos: o rapaz forte e sem camisa que, cedo ou tarde, ficará impotente por causa dos anabolizantes, e a moça distinta que usa microssaias e esquece de colocar a calcinha, o que em alguns casos prolonga o Carnaval até novembro.

 

As músicas carnavalescas então, essas sim é que estão cada vez mais raras. Os paredões da playboyzada transformam a folia num baile funk em movimento onde a palavra de ordem sonora é sexo. O som é impróprio, ou pelo menos deveria ser, para as crianças que estão na folia, mas ninguém se importa.

 

A maioria das drogas da moda no Carnaval são inaláveis. Uma mistura de clorofórmio e éter, popularmente conhecida como loló, faz a cabeça da maioria. Mas tem gente mais ousada usando lança-perfume, ou ainda cocaína. A polícia faz a parte dela: procura os traficantes e faz vista grossa pros usuários, esquecendo que sem usuário o tráfico não existe.

 

Agora alguém pode estar pensando: "Que cara mais idiota! Se não gosta do Carnaval, respeite quem gosta!"

 

Se pra não ser idiota eu precisar respeitar todas as idiotices em massa que eu presenciei – e em certos casos, até pratiquei -, me perdoem, mas eu serei idiota por muito tempo ainda. Mas pensem assim, se até a Mulher Maravilha e o Super-Homem fugiram no Carnaval, idiota mesmo é quem ficou.

 

Abraço. Boa leitura.

Postado por: Fahad Mohammed

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!