Água » Notícias » Tecnologia

Tecnologia que reutiliza água para plantio no RN vence prêmio nacional

O sistema que reutiliza água servida para irrigação rendeu a um assentamento rural de Upanema, cidade da região Oeste do Rio Grande do Norte, o prêmio de melhor tecnologia social criada por mulheres do país. O projeto Água Viva, criado pelo Centro Feminista 8 de Março no assentamento Monte Alegre, receberá R$ 50 mil da Fundação Banco do Brasil, que promove o evento. E o recurso já tem destino certo: será reinvestido na ampliação do projeto para outros municípios potiguares. Veja o vídeo do projeto aqui.

“A proposta inicial era a organização das mulheres e nesse processo percebemos a necessida de algo para construir a participação delas no processo produtivo do assentamento. Era uma autonomia muito demandada por elas”, explica a agrônoma Ivi Dantas, assessora técnica do centro feminista, que esteve em Brasília nesta terça-feira (10) para receber o prêmio.

Os imóveis instalaram tubos que captam a água servida, utilizada para práticas domésticas como lavagem de roupas, louça e banho. O líquido passa então por um processo de filtragem, chegando a um reservatório e sendo reaplicado na plantação de hortaliças e árvores frutíferas.

Criado como projeto piloto em 2013, o sistema de filtragem foi aplicado inicialmente nas casas de três moradoras, que além de reaproveitar água e plantar para consumo próprio, já produzem o suficiente para comercializar os alimentos com as cerca de 70 famílias do assentamento.

A cientista social Rejane Medeiros, também assessora técnica do centro feminista, detalha que as cidades de Tibau, Grossos e Porto do Mangue, todas na região Oeste, foram escolhidas como locais para reaplicação do projeto. “A ideia é reaplicar em novos espaços para apoiar a organização das mulheres na luta por autonomia. A geração de renda se mostrou fundamental nesse processo. Nos locais pretendemos implantar uma formato de capacitação autônoma”, avalia Medeiros.

Com o dinheiro da premiação, o centro feminista também planeja aprimorar a tecnologia social. Inicialmente a ideia é trocar o material de alvenaria usado no sistema por placas, as mesmas usadas na construção de cisternas.

Vencedor na categoria Mulheres, o Água Viva disputou o prêmio com os projetos Gente da Maré: Melhorando as condições de vida das marisqueiras do Nordeste, da Universidade Federal do Semi-Árido (Ufersa) na cidade de Mossoró, e Metodologia de Gestão de Empreendimentos Solidários por Meio de Indicadores, Instituto Consulado da Mulher (ICM), de São Paulo. Os dois demais finalistas receberam R$ 25 mil em premiação cada um.

A Fundação Banco do Brasil também entregou prêmios nas categorias comunidades tradicionais, agricultores familiares e assentados da reforma agrária; gestores públicos; universidades e instituições de ensino e pesquisa; juventude; e meio urbano. Além do prêmio, o Água Viva foi certificado e passou a integrar o banco de tecnologias sociais da Fundação Banco do Brasil, que pode ser consultada no site da instituição.

G1 RN

Últimos Eventos

21/09/2019
São Vicente/RN
03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!