Notícias

Apenas 35% dos casos de estupro no Brasil são notificados

A história aterradora de um estupro coletivo de uma jovem de 16 anos no Rio de Janeiro tomou conta do país. Os autores publicaram vídeos e fotos nas redes sociais da menina à mercê de seus agressores. Quatro deles já foram identificados pelas autoridades que investigam o caso. O crime aconteceu no sábado (21), mas só foi notificado na quinta-feira (26). O caso dela poderia ter entrado para o pior lado das estatística dos casos de violência contra a mulher: o daqueles que não são registrados. Entre os motivos estão a vergonha das vítimas, o sentimento de culpa e o medo de ser julgada e maltratada por aqueles de quem deveria receber apoio e ajuda – em casa, na delegacia ou no hospital.

Segundo dados do 9º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, em 2014, 47.600 pessoas foram estupradas no Brasil. A cada 11 minutos alguém sofreu esse tipo de violência no país. Esse número pode ser ainda maior, pois a pesquisa só consegue levar em conta os casos que foram registrados em boletins de ocorrência – estimados em apenas 35% do montante real. Estamos falando de outros 65% que nem sequer entram nas estatísticas.

A Pesquisa Nacional de Vitimização (2013) verificou que, no Brasil, somente 7,5% das vítimas de violência sexual registram o crime na delegacia. A mais recente pesquisa do gênero, Estupro no Brasil: uma radiografia segundo os dados da Saúde, produzida pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), fala em 10% de casos notificados e estima que, no mínimo, 527 mil pessoas sejam estupradas por ano no país.

Isso não acontece só no Brasil. O Departamento de Justiça dos Estados Unidos produziu um estudo e verificou que, em 2010, apenas 35% das vítimas nos EUA reportaram o crime à polícia. Já o Instituto de Criminologia Australiano divulgou, num estudo sobre segurança feminina (The women’s safety survey), que 15% das vítimas de violência sexual australianas reportaram o incidente à polícia no período de 12 meses anterior à pesquisa. O crime de estupro é aquele que apresenta a maior subnotificação. Como consequência, é mais difícil de combater.

Mapa do estupro

No ranking estadual, Roraima lidera, com a maior taxa de estupros registrados – 55,5 casos a cada 100 mil habitantes. Em seguida vêm Mato Grosso do Sul, com 51,3, e Amapá, com 45 (a maior taxa de registros não quer dizer que sejam os Estados com a maior taxa de estupros). No outro extremo, com o menor número de registros, estão Espírito Santo (6,1), Minas Gerais (7,1) e Rio Grande do Norte (8,7) (da mesma forma, a menor taxa de registros não significa que esses Estados tenham menor taxa de estupros). Em números absolutos, São Paulo, com a maior população, está em primeiro lugar. Foram mais de 10 mil relatos de estupros no período de um ano – mais de 20% do total de casos registrados em todo o Brasil. O Rio de Janeiro responde por 12% dos casos registrados.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Época

Últimos Eventos

21/09/2019
São Vicente/RN
03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!