Arquivos:

Morte

Morre no Rio ex-ministro João Paulo dos Reis Velloso

Morreu hoje (19), no Rio de Janeiro, o economista e ex-ministro do Planejamento João Paulo dos Reis Velloso, 87 anos. O consultor econômico Raul Velloso, irmão do ex-ministro, disse à Agência Brasil que ele morreu em casa, de repente. “Foi repentino. Ele estava sentado, virou a cabeça para o lado e morreu”.

A família está aguardando o laudo médico para saber o que motivou a morte do economista. Segundo Raul Velloso, seu irmão sofria de vários problemas de saúde, que se agravaram nos últimos anos, após uma cirurgia no coração.

Ainda não há informação sobre onde será o velório do ex-ministro do Planejamento dos governos Garrastazu Médici e Ernesto Geisel, e tampouco do local do sepultamento. Ele permaneceu no cargo entre 1969 e 1979. Sua gestão foi marcada pelo apogeu do chamado “milagre brasileiro” e pela “crise do petróleo de 1973”.

Reis Velloso fundou o Instituto Nacional de Altos Estudos (Inae), em 1991, que promovia, anualmente, o Fórum Nacional, para discussão de temas de relevo para o desenvolvimento econômico e social do Brasil. Sob sua presidência, o fórum completou no ano passado 30 edições.

Há cerca de dois anos, devido aos problemas de saúde, o ex-ministro foi substituído no comando do Fórum Nacional pelo irmão Raul Velloso.

Morte

Karl Lagerfeld morre aos 85 anos

Karl Lagerfeld, designer de moda alemão e um dos maiores ícones do mundo da moda, morreu na manhã desta terça-feira (19), em um hospital de Paris. Karl tinha 85 anos e, segundo a revista Purepeople, ele deu entrada em um hospital de Paris na segunda-feira (18) em uma internação de urgência. A causa da morte ainda não foi anunciada.

De acordo com a agência Reuters, uma fonte da Chanel confirmou a morte do designer, embora a empresa ainda não tenha feito nenhum comunicado oficial em suas redes sociais.

Segundo a publicação, a saúde de Karl já causava preocupações há algumas semanas. O diretor artístico da Chanel chegou a faltar em um dos desfiles da marca em janeiro. Em comunicado, a Chanel informou na ocasião que o motivo da ausência de Karl era “apenas cansaço”.

Lagerfeld começou seu trabalho na moda como freelance em 1964 para casa de moda francesa Chloé. Em 1970, também iniciou uma colaboração para a Curiel. Anos depois, entrou com um projeto ao lado da marca italiana Fendi. Na mesma época, também trabalhou como figurinista para produções teatrais. O designer de moda foi nomeado diretor artístico pelo conjunto de suas coleções de alta costura, prêt-à-porter e acessórios da casa Chanel em 1983.

Durante uma entrevista ao programa “Fantástico”, em 2013, Karl afirmou que “elegância não tem a ver só com roupas. Se você é uma pessoa elegante, você é elegante em jeans e camiseta. Se você não é, você fica vulgar em jeans e camiseta. É uma questão de atitude”.

Além de seu talento na moda, Karl também era conhecido por seu humor ácido. Em 2012, por exemplo, ao falar sobre a cantora Adele, ele citou: “Ela é um pouco gorda demais, mas tem um lindo rosto e uma voz divina”.

Em maio de 2018, o estilista alemão, que vivia em Paris, ameaçou abandonar a cidadania alemã e disse odiar Angela Merkel.

Polêmica no Oscar

Em 2017, a atriz Meryl Streep acusou o estilista Karl Lagerfeld de estragar sua noite do Oscar ao acusá-la falsamente de ser paga para usar um vestido no tapete vermelho. A afirmação de Streep foi em resposta à fala de Lagerfeld nesta semana de que a atriz de “A Escolha de Sofia” decidiu não usar um vestido da Chanel porque seria paga para vestir uma peça de outro desenhista.

“Essa história se disseminou em todo o mundo, e continua globalmente a ofuscar a minha participação no Oscar, no momento de quebra do meu recorde de 20ª indicação, para também diminuir esse feito aos olhos da mídia, dos colegas e da audiência”, disse Streep, de 67 anos, em comunicado.

Ela recusou um pedido de desculpas de Lagerfeld, que admitiu ter “entendido errado que a senhora Streep poderia ter escolhido outro estilista devido à remuneração” e disse que se arrependia pela polêmica.

G1
Acidente » Morte

Helicóptero que transportava Boechat sofreu pane mecânica, diz Polícia Civil e jornalista morreu por politraumatismo

O helicóptero que transportava o jornalista Ricardo Boechat, de 66 anos, sofreu uma pane mecânica antes de cair na Rodovia Anhanguera, em São Paulo, apontam informações preliminares da Polícia Civil. O inquérito policial não deve responsabilizar criminalmente nenhum dos envolvidos. O piloto Ronaldo Quattrucci, de 56 anos, também morreu no acidente.

A queda aconteceu na última segunda-feira, 11. “Houve uma pane mecânica. Quer dizer, não há de se falar que o cara ia por um remold lá no motor ou sei lá onde, montar na aeronave e subir”, afirmou ao Estado o delegado Luiz Roberto Hellmeister, responsável pelo inquérito na Polícia Civil. Os investigadores aguardam laudos para confirmar as circunstâncias do acidente.

Quattrucci era sócio majoritário da empresa RQ Serviços Aéreos Especializados, com sede em São Paulo. “Ele era dono da aeronave e único piloto da empresa. Ficou comprovado por profissionais da área que ele fez todo procedimento de pouso de emergência”, disse Hellmeister.

Para o delegado, as investigações, até o momento, apontam para possível responsabilidade administrativa – e não criminal – de pessoas vinculadas à empresa. Dois dias após a tragédia, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) suspendeu a RQ Serviços Aéreos por haver “indícios” que ela prestava serviços de táxi-aéreo sem autorização.

A versão foi confirmada à Polícia Civil nesta sexta-feira, 15, pelo filho e sócio do piloto, o nutricionista Rodrigo Quattrucci, de 23 anos, detentor de menos de 2% das ações da RQ Serviços Aéreos. Segundo as investigações, ele só teria ido quatro vezes na empresa desde a fundação, em março de 2004.

Na delegacia, ele informou que a aeronave não tinha seguro. Havia apenas seguro para os tripulantes, que teria sido posto à disposição de familiares das vítimas e do motorista do caminhão em que o helicóptero colidiu.

Boechat morreu por politraumatismo
Laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que Boechat morreu em decorrência de politraumatismo provocado pela queda do helicóptero. De acordo com o documento, o jornalista sofreu traumatismos torácico e abdominal, “caracterizando politraumatismo, com carbonização secundária”.

O exame não apontou indícios de que Boechat inspirou fuligem ou fumaça antes de morrer. “(Foi detectada) uma concentração abaixo de 10% de carboxihemoglobina (intoxicação por monóxido de carbono) no sangue, o que indica que a vítima já se encontrava em óbito antes da exposição ao gás”, afirma o laudo. O corpo do jornalista foi reconhecido pela arcada dentária.

ESTADÃO CONTEÚDO
Morte

Corpo de Sala chega na Argentina e será velado neste sábado

O corpo do atacante argentino Emiliano Sala, que morreu no mês passado em um acidente aéreo no Canal da Mancha, chegou nesta sexta-feira (15) a Buenos Aires, na Argentina. Agora, ele está sendo levado para a cidade de Progreso, onde o atleta será velado e cremado.

Os restos mortais de Sala estavam em voo de Londres para Buenos Aires. Logo depois de chegar ao Aeroporto Internacional de Ezeiza, o veículo de uma empresa funerária iniciou uma viagem para a cidade natal do atleta, localizada 540 quilômetros ao norte da capital argentina. O corpo do jogador foi retirado do mar no dia 6 e identificado no dia seguinte, por meio de exames de DNA. Ele estava desaparecido desde 21 de janeiro, quando o avião que o transportava de Nantes, na França, para Cardiff, no Reino Unido, caiu no Canal da Mancha.

Antes do acidente, Sala havia acabado de fechar sua transferência do time francês para o Cardiff City, por 17 milhões de euros, um valor recorde entre as negociações já feitas pelo clube britânico.

O velório do argentino será realizado amanhã (16), no clube San Martín de Progreso, onde Sala deu seus primeiros passos no futebol.

Morte » Paraíba » Policial

Na Paraíba, Policial militar é morto durante troca de tiros com policiais civis em bar

Um soldado da Polícia Militar foi morto a tiros na madrugada desta quinta-feira (14) durante um tiroteio com policiais civis, em um bar no bairro do Geisel, em João Pessoa. De acordo com a PM, que esteve no local, a vítima estava bebendo no estabelecimento com outra pessoa, que também foi atingida pelos disparos e ficou ferida.

Conforme relata tenente Marcones, da Polícia Militar, os dois policiais civis estavam sentados em uma mesa do bar e teriam achado suspeita a atitude de dois homens que também estavam bebendo em outra mesa. Então, os policiais civis foram até a mesa e abordaram os dois. Foi quando iniciou uma discussão e deu início ao tiroteio dentro do bar. No entanto, a Polícia Civil ainda investiga o que teria motivado o início do tiroteio.

O soldado Davi morreu no local com dois tiros na região torácico. O outro homem, que não é policial, ficou ferido e foi encaminhado ao Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, onde permanece em estado de saúde estável. No local, a perícia encontrou duas armas de calibre .38.

Segundo a polícia, o soldado Davi Cristiano das Neves Pereira, de 34 anos, do 5º Batalhão da Polícia Militar, respondia a processo disciplinar por dois crimes ocorridos em 2014 e 2015. Ele também foi detido no dia 26 de janeiro em uma operação da PM em uma casa de show no bairro Portal do Sol por porte ilegal de arma, já que o porte estava suspenso por conta da investigação.

Os dois policiais civis que efetuaram os disparos foram encaminhados para a Central de Polícia Civil, em João Pessoa, para prestar esclarecimentos sobre o ocorrido.

G1
Morte

Morre aos 96 anos, Bibi Ferreira, diva dos musicais brasileiros

A atriz e cantora Bibi Ferreira, diva dos musicais brasileiros, morreu nesta quarta-feira (13), aos 96 anos, no Rio. Também apresentadora, diretora e compositora, ela foi um dos maiores fenômenos artísticos do país.

Segundo Tina Ferreira, filha única de Bibi, a artista morreu no início da tarde em seu apartamento no Flamengo, Zona Sul do Rio. A atriz acordou e pediu um copo d’água. A enfermeira que a acompanhava percebeu que o batimento cardíaco estava baixo e, por isso, chamou um médico. Tina acredita que a mãe morreu dormindo.

Bibi deve ser cremada, mas ainda não há informações sobre velório e enterro.

Morte

Deise Cipriano, cantora do Fat Family morre após luta contra câncer

Morreu na tarde desta terça-feira (12) a cantora Deise Cipriano, do Fat Family. A informação foi confirmada ao portal da RedeTV! pela assessora do grupo, Suh Souza. Aos 39 anos e lutando contra um câncer no fígado, ela estava internada em coma induzido no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo.

“Infelizmente informamos nesta terça-feira dia 12/02 com muita dor o falecimento da Deise integrante do Grupo Fat Family. As informações sobre o velório e sepultamento serão divulgadas”, diz o comunicado enviado ao portal da RedeTV!.

Em nota enviada minutos antes, a assessoria informou que a cantora estava se recuperando em casa e se submetendo às sessões de quimioterapia, mas voltou a passar mal com náuseas, dificuldade para se alimentar e febre. Encaminhada ao CAIO (Centro de Atendimento de Intercorrências Oncológicas), do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, ela foi submetida a exames, que detectaram queda da imunidade e ela foi internada na UTI do local.

Na manhã desta terça, no entanto, seu estado ficou mais delicado e ela foi colocada em coma induzido, mas não resistiu. “Hoje pela manhã apresentou muita falta de ar, queda da pressão arterial, sendo necessário sedar e entubar a cantora. Sua pressão voltou ao normal e a falta de ar foi controlada”, diz o comunicado enviado mais cedo.

Internada em 21 de agosto após passar mal, a cantora foi diagnosticada com o câncer no aparelho digestivo semanas depois e iniciou as sessões de quimioterapia na mesma época. Internada por meses, sendo mais de um somente na UTI, ela chegou a comemorar seus 39 anos com uma festa surpresa no hospital. No Insta Stories, a filha dela, Talita Cipriano, mostrou a mãe falando pela primeira vez ao deixar a UTI.

Em post recente no Instagram, a irmã Simone, também do Fat Family, havia mostrado Deise cantando. “Ela está se recuperando bem graças a Deus”, dizia a legenda.

Esporte » Morte

Morre Gordon Banks, autor de ‘defesa do século’ contra Pelé

Um dos maiores goleiros da história do futebol mundial, Gordon Banks morreu na manhã desta terça-feira, aos 81 anos, depois de uma longa batalha contra um tumor nos rins. A notícia surgiu na imprensa inglesa e foi confirmada pelo Stoke City, ex-clube do arqueiro, que anunciou a morte de Banks nas redes sociais após contato com a família, que apontou que o ídolo inglês “morreu tranquilamente durante a noite”.

A Fifa logo se manifestou sobre a morte de Banks, lembrando que o goleiro foi “um dos maiores goleiros da história” e ofereceu “memórias esplêndidas” nas Copas do Mundo. A principal delas foi a chamada “Defesa do Século” protagonizada pelo inglês diante de cabeçada de Pelé no Mundial de 1970 (veja abaixo).

Uma de suas últimas aparições públicas foi durante o sorteio dos grupos da Copa do Mundo de 2018, no meio de 2017, quando foi um dos convidados pela Fifa. Na ocasião, Banks comentou uma linda defesa feita por Marcelo Grohe nas semifinais da Taça Libertadores, diante do Barcelona de Guayaquil.

Autor de defesa do século

Nascido em Sheffield, Banks iniciou a carreira no Chesterfield, onde ficou por um ano e chamou a atenção do Leicester. Com os Foxes, ganhou notoriedade ao chegar à final da Copa da Inglaterra e chegou à seleção inglesa. Depois de sete anos, rumou para o Stoky City, clube que defendeu por seis temporadas antes de se aventurar no Fort Lauderdale Strikers, dos Estados Unidos – rival, na época, do Cosmos, de Pelé.

G1
Acidente » Morte

VÍDEO: Testemunha diz que viu Boechat pular de helicóptero

A vendedora Leilaine Rafael da Silva, que estava numa moto com o marido no momento do acidente com o helicóptero de Ricardo Boechat, disse que viu o passageiro pulando da aeronave, que depois caiu sobre ele, informa o G1.

O helicóptero levava apenas o jornalista e o piloto Ronaldo Quattrucci, ambos mortos no acidente.

Acidente » Jornalismo » Morte

Jornalista Ricardo Boechat, morre aos 66 anos em queda de helicóptero em SP

O jornalista, apresentador e radialista Ricardo Eugênio Boechat morreu no início da tarde desta segunda-feira (11), aos 66 anos, em São Paulo.

Boechat era apresentador do Jornal da Band e da rádio BandNews FM e colunista da revista IstoÉ. Ele também trabalhou nos jornais “O Globo”, “O Dia”, “O Estado de S. Paulo” e “Jornal do Brasil” e foi comentarista no Bom Dia Brasil, da TV Globo. Ele ganhou três vezes o Prêmio Esso, um dos principais do jornalismo brasileiro.

Boechat estava dando uma palestra em Campinas, no interior do estado, e retornava a São Paulo nesta segunda, de acordo com jornalistas da TV Band.

Acidente

O chamado de socorro foi feito às 12h14. A queda ocorreu perto do quilômetro 7 do Rodoanel, sentido Castelo Branco. De acordo com a CCR Rodoanel Oeste, que administra o Rodoanel, houve uma terceira vítima com ferimentos, o motorista do caminhão.

Segundo informações iniciais, o helicóptero saiu do hangar Sales, no Campo de Marte, na Zona Norte da capital paulista, que ficou destelhado após um vendaval nas últimas semanas.

Foram enviadas ao menos 11 viaturas para o local. A Polícia Rodoviária Estadual informou que a alça de acesso do Rodoanel à Rodovia Anhanguera precisou ser interditada. Já a rodovia não teve bloqueio.

Carreira

Ao longo de uma carreira iniciada na década de 1970, esteve jornais como “O Globo”, “O Estado de S. Paulo”, “Jornal do Brasil” e “O Dia”. Na década de 1990, teve uma coluna diária no “Bom Dia Brasil”, na TV Globo.

O perfil de Boechat no site da Band News FM informa que ele era o recordista de vitórias no Prêmio Comunique-se – e o único a ganhar em três categorias diferentes (Âncora de Rádio, Colunista de Notícia e Âncora de TV). Em pesquisa do site Jornalistas & Cia em 2014, que listou cem profissionais do setor, Boechat foi eleito o jornalista mais admirado. Boechat lançou em 1998 o livro “Copacabana Palace – Um hotel e sua história” (DBA).

Em pesquisa do site Jornalistas & Cia em 2014, que listou cem profissionais do setor, Boechat foi eleito o jornalista mais admirado. Boechat lançou em 1998 o livro “Copacabana Palace – Um hotel e sua história” (DBA).

Ricardo Eugênio Boechat nasceu em 13 de julho de 1952, em Buenos Aires.

O jornalista estava em helicóptero que caiu na Rodovia Anhanguera, em São Paulo, e bateu na parte dianteira de um caminhão que transitava pela via.

G1

Últimos Eventos

03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube
08/07/2017
Parque Exposições - Fotos: Mazilton Galvão

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!