Arquivos:

Greve

Policiais rodoviários federais aprovam estado de greve

Os policiais rodoviários federais decidiram na tarde desta segunda-feira (17), em assembléia, aprovar o estado de greve para a categoria, ou seja, que irão paralisar as atividades caso não avancem as negociações que em andamento com o Governo Federal.

O presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais do Rio Grande do Norte (SINPRF/RN), inspetor Sanderson de Farias, explicou que a categoria não quer a greve, mas que com a aprovação desta segunda, os policiais poderão iniciar o movimento caso se frustrem as negociações quanto a pauta de valorização dos policiais.

“O que decidimos hoje foi a aprovação do Estado de greve. Vamos aguardar o andamento das negociações com o Governo Federal até esta sexta. Caso o governo não cumpra o que têm prometido, já temos o aval da categoria para iniciar uma greve”, detalhou.

O Rio Grande do Norte conta com o efetivo de aproximadamente 300 policiais rodoviários federais na ativa responsáveis pelo patrulhamento ostensivo e segurança no trânsito em mais de 1,6 mil quilômetros de vias federais.

Greve » Policial

Policiais rodoviários discutem possibilidade de greve na próxima segunda (17)

Os policiais rodoviários federais realizam na próxima segunda-feira (17) uma assembleia para discutir a possibilidade de iniciar um estado de greve devido a falta de negociação com o Governo Federal quanto à valorização da carreira e ao reajuste salarial da categoria. A Assembleia será realizada no auditório do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) a partir das 14h30. O presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais do Rio Grande do Norte (SINPRF/RN), inspetor Sanderson de Farias, explicou que mesmo com o indicativo de greve já aprovado há várias semanas, se a a categoria aprovar a greve, não haverá paralisação de imediato.

“Como existe uma negociação em andamento, vamos deliberar sobre o estado de greve, quer dizer, vamos aguardar os próximos passos do Governo até a próxima sexta e, se nada for definido, é que vamos ter que recorrer a greve. A categoria não quer a greve. Quer negociar, mas se nada for feito, será nossa única medida”, detalhou. O Rio Grande do Norte conta com o efetivo de aproximadamente 200 policiais rodoviários federais na ativa responsáveis pelo patrulhamento ostensivo e segurança no trânsico em mais de 1,6 mil quilômetros de vias federais.

Robson Pires
Greve » Saúde

Em greve, servidores da saúde do RN ocupam prédio da Governadoria

Ocupação da Governadoria aconteceu na noite desta segunda-feira (20) (Foto: Gustavo Sixel)

Ocupação da Governadoria aconteceu na noite desta segunda-feira (20) (Foto: Gustavo Sixel)

Os servidores da saúde do Rio Grande do Norte ocuparam o prédio da Governadoria em Natal, na noite desta segunda (20). A decisão foi tomada após uma audiência com representantes do governo, onde foi negado o reajuste e a revisão do Plano de Cargo. A categoria está em greve há 40 dias.

De acordo com o Sindicato dos Servidores da Saúde do RN (Sindsaúde), parte dos servidores está há cinco anos com o salário-base congelado. O sindicato reivindica reajustes de 27%, para os servidores dos hospitais, a 61%, para os municipalizados. O governo estadual afirma que os gastos com a folha de pessoal estão acima do limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Os servidores decidiram permanecer ocupando o prédio e reivindicam uma audiência com o governador Robinson Faria (PSD).

Quarenta dias de greve

Os servidores da saúde estadual iniciaram a greve no dia 11 de junho. De acordo com o Sindsaúde, o salário da rede estadual é o menor, comparando com os da saúde federal e até de alguns municípios.

A greve denuncia ainda a sobrecarga de trabalho, agravada pelo déficit de 3.500 servidores, e pela crise nos principais hospitais que convivem com pacientes nos corredores. Levantamento feito pelo Sindsaúde nesta segunda-feira (20), em quatro hospitais, identificou 171 pacientes em macas, sendo 114 nos corredores.

“Sempre escutamos a justificativa da Lei de Responsabilidade Fiscal. O resultado é que o estado está perdendo a sua força de trabalho, pois ninguém agüenta trabalhar nestas condições e ainda ganhando tão mal. A saúde perde 83 profissionais por mês e já estamos pagando pela crise”, afirma Simone Dutra, coordenadora-geral do Sindsaúde-RN e enfermeira do Hospital Santa Catarina.

G1
Greve

Greve dos servidores do INSS, da Saúde e do Trabalho completa uma semana e adesão já ultrapassa 80% no RN

A greve por tempo indeterminado dos servidores federais dos ministérios da Previdência Social, do Trabalho e da Saúde no Rio Grande do Norte, iniciada na última terça-feira (7), completa a sua primeira semana sem perspectivas de retomada das atividades por parte dos trabalhadores. De acordo com o Sindprevs-RN, sindicato potiguar que abrange as três categorias, a adesão à greve nacional no Estado já ultrapassa os 80%.

Com a paralisação, está suspensa a maior parte dos atendimentos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e das delegacias regionais do Trabalho no Estado. Levantamento realizado ontem (13) pelo Sindprevs-RN aponta que oito em cada dez servidores do quadro aderiram ao movimento e não estão trabalhando no Rio Grande do Norte.

Na cidade de Natal, por exemplo, nas agências do INSS, são realizados aproximados 400 atendimentos por dia em cada unidade. Em razão da greve, as agências da Ribeira e da Zona Norte estão realizando apenas atendimentos emergenciais, como os de perícia médica, o que resulta numa média diária de apenas 30 usuários atendidos. As agências de Lagoa Nova, Nazaré e Tirol estão funcionando para os demais serviços, mas com um número bastante reduzido de servidores.

Os trabalhadores que aderiram à paralisação reivindicam reposição salarial em conformidade com a inflação, incorporação das gratificações, paridade entre ativos e inativos, realização de concurso público para repor o quadro funcional e a regulamentação das 30 horas da jornada de trabalho para todos da categoria. Os grevistas também pleiteiam melhorias estruturais nos prédios onde atuam, sob o argumento de melhorar a qualidade dos serviços prestados à população.

Para o vice-presidente do Sindprevs-RN, Júlio Nicácio, o que impulsiona a luta dos trabalhadores é a conquista de melhores condições de trabalho no âmbito público federal. “Não estamos propondo somente o aumento do salário, queremos também que condições dignas de trabalho sejam fornecidas para que possamos prestar um serviço público de qualidade”, explica o servidor.

Um comando nacional de greve foi constituído, com a participação de representantes de todos os estados do país, incluindo do Rio Grande do Norte, para dialogar com o Governo Federal. O grupo espera avançar com as negociações que levarão à suspensão do movimento, ainda sem data para terminar no Estado e em todo o país.

 

Greve

Greve do INSS tem paralisação total de 213 agências e parcial de 292 no país

A greve dos servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), iniciada na terça-feira (7) paralisa totalmente 213 agências e parcialmente 292, de um total de 1.605 unidades no país, segundo balanço divulgado no início da noite de ontem (8) pelo Ministério da Previdência Social. No total, 1.858 servidores aderiram à greve, o que equivale a 5,72% de todo o pessoal do Instituto, de acordo com os dados do ministério.

Segundo o presidente da Confederação Nacional do Trabalhadores em Seguridade Social, Sandro César, funcionários de 19 estados aderiram à paralisação. “Até o próximo dia 10, todos os estados estarão em greve”, afirmou. Para ele, o número de servidores em greve é maior. “Pelos contatos que fazemos com os sindicatos em todo o país, 80% da categoria está em greve, nos estados onde há o movimento”. Os grevistas reivindicam reajuste salarial de 27,5% e melhores condições de trabalho. A questão está sendo negociada com o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Greve

Greve suspende serviços no INSS

No INSS, datas de atendimento devem ser remarcadas pela agência: Greve por tempo indeterminado.

No INSS, datas de atendimento devem ser remarcadas pela agência: Greve por tempo indeterminado.

Servidores federais dos ministérios da Previdência Social, do Trabalho e da Saúde no Rio Grande do Norte entraram em greve ontem. Com a paralisação, que é por tempo indeterminado, está suspensa a maior parte dos atendimentos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e das agências regionais do Trabalho no Estado.

A greve dos servidores é motivada por cinco reivindicações: reposição salarial em conformidade com a inflação; incorporação de gratificações; paridade entre ativos e inativos; realização de concurso público para repor o quadro funcional; e regulamentação das 30 horas da jornada de trabalho para todos da categoria.

De acordo com a Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps), funcionários de 19 estados aderiram à paralisação. A entidade avalia que 70% dos servidores nesses estados estejam parados.

Impacto

Ontem, na agência da região do Glicério, centro de São Paulo, segurados reclamavam da falta de informação. A agência é uma das maiores da capital, chegando a atender 700 pessoas por dia. Denise Romero, psicóloga de 57 anos, acompanhava a mãe, de 92 anos. Denise precisa receber uma pensão por morte do pai. “Faz 15 dias que meu pai morreu. Foi feito o agendamento e o procedimento, confirmado ontem (6). Fica difícil levar a sério uma situação como essa”, reclamou.

Marcia Pinto, autônoma, 46 anos, é deficiente visual e precisava passar por perícia médica. “Estava trabalhando, mas não consigo enxergar com meu único olho.” Marlene da Silva, aposentada, 70 anos, reclamou da falta de informação no atendimento. “Tenho um empréstimo consignado em folha, mas não há repasse do INSS desde maio. Estou passando por isso e não sei a quem recorrer”, explicou.

A orientação do INSS aos segurados é que as datas de atendimento serão remarcadas pela própria agência. Dúvidas podem ser esclarecidas pela central do telefone 135. Em nota, o INSS informou que considerará a data originalmente agendada como a de entrada do requerimento, “de modo a evitar qualquer prejuízo financeiro nos benefícios dos segurados”.

O Ministério da Previdência informou “que têm baseado sua relação com os servidores no diálogo e na compreensão da importância do papel da categoria no reconhecimento dos direitos da clientela previdenciária e mantém as portas abertas às suas entidades representativas para construir uma solução que contemple os interesses de todos”.

Tribuna do Norte
Greve

Rodoviários decidem que não aceitarão reajuste inferior a 10%

Rodoviários tiveram encontro na manhã desta segunda-feira antes da reunião com empresários.

Rodoviários tiveram encontro na manhã desta segunda-feira antes da reunião com empresários.

Os cobradores e motoristas de ônibus de Natal decidiram, em assembleia na manhã de hoje (22), que não aceitarão qualquer proposta inferior aos 10% de reajuste solicitado pela categoria. A decisão foi tomada momentos de reunião agendada com os empresários do setor de transporte na Delegacia Regional do Trabalho (DRT). Com isso, grupo mantém possibilidade de paralisação dos serviços a partir da terça-feira (23).

Em discussão sobre o reajuste salarial, os rodoviários já tinham aprovado indicativo de greve para hoje. Contudo, após a confirmação de que haveria mais uma rodada de negociação com os empresários, os motoristas e cobradores decidiram aguardar as reuniões. Antes dos encontros, eles discutiram com a categoria sobre o limite da proposta que poderiam aceitar e ficou descartado acordo inferior aos 10% de reajuste.

De acordo com o presidente do Sintro, Júnior Rodoviário, a categoria pede benefício do vale-alimentação e pagamento do dobro da diária aos domingos e feriados sem prejuízo na folga remunerada, além do reajuste de 10%. Porém, segundo ele, o sindicato patronal propôs um aumento de 5%.

A última reunião desta segunda-feira entre rodoviários e empresários está agendada para as 16h. Caso não exista acordo, a greve deverá ter início nos primeiros minutos da terça-feira.

Tribuna do Norte
Greve

Motoristas e cobradores de ônibus fazem protesto e anunciam greve

Categoria fez caminhada na avenida Rio Branco no início da noite.

Categoria fez caminhada na avenida Rio Branco no início da noite.

Motoristas e cobradores de ônibus fizeram uma caminhada de protesto na avenida Rio Branco, no Centro de Natal, e anunciaram o indicativo de greve a partir de segunda-feira (22). A manifestação começou por volta das 17h30 em frente à sede do Sindicato dos Rodoviários (Sintro), na ladeira do Baldo, e seguiu até as proximidades da agência do Banco do Brasil. Por causa disso, o trânsito na região ficou bastante lento.

De acordo com o presidente do Sintro, Júnior Rodoviário, a categoria pediu um reajuste salarial de 10%, além do benefício do vale-alimentação e o pagamento do dobro da diária dos domingos e feriados sem prejuízo na folga remunerada. Porém, segundo ele, o sindicato patronal propôs um aumento de 5%, por isso a greve foi aprovada na tarde de hoje.

Amanhã, representantes do sindicato irão à Delegacia Regional do Trabalho para pegar a ata da greve. Com a paralisação, apenas a frota de emergência, de 30% deverá circular em Natal.

Greve

Sindicato critica postura do presidente do TJRN

160755

O posicionamento do presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Cláudio Santos, de não voltar atrás de medidas já anunciadas e/ou implementadas para conter gastos na Justiça Estadual acirrou os ânimos dos grevistas e deve dificultar negociação marcada para às 10h da próxima quinta-feira (16), na Câmara Criminal do TJRN. O presidente do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário (Sisjern), Bernardo Fonseca, disse que o desembargador “alimenta a imprensa com dados equivocados”.

Em entrevista publicada no último domingo (12) na TRIBUNA DO NORTE, o presidente do TJRN disse que todas as resoluções têm fundamento legal e foram baseadas na Constituição e na Lei Complementar 101. “Eu estou somente cumprindo ordens do Tribunal de Contas lastreado na Lei de Responsabilidade Fiscal, que é lastreada na Constituição da República. Eu gostaria muito de fazer o contrário. De chegar aqui e dar aumento, dar cargo comissionado, como todos os meus antecessores fizeram. Mas, isso parou. Chegou no limite”, declarou.

Bernardo Fonseca lamenta as declarações de Claudio Santos: “Estamos em uma semana de possibilidade de negociação e ele joga a população contra o próprio TJ. Eu digo isso com muita tristeza. Só posso lamentar essa atitude que em nada contribui com o diálogo”, diz o líder sindical, referindo-se à comparação que Cláudio Santos fez entre os salários dos servidores potiguares com os de outros estados.

De acordo com Bernardo, o chefe do TJRN erra ao correlacionar o salário base de outros tribunais com os vencimentos de funcionários antigos do RN. “Nosso valor inicial é R$ 2.960. Nós temos um plano de cargos e carreiras. Há 15 anos não tem concurso. Quase todos estão próximos ao final da carreira. E nesse caso, nós recebemos R$ 5.800. Mas quem entrar será com aquele valor e não existe mais a gratificação”, ressalta, ao explicar que a lei da Gratificação de Técnico e Nível Superior – GTNS foi revogada para novos funcionários. “Sou à favor de que tudo que for discutido vá pra imprensa. Mas porque não declaram os salários dos juízes e falam do auxílio-moradia de 5 mil reais pra quem chega a ter três casas?”, provoca Bernardo.

Com informações da Tribuna do Norte.

Greve

Auditores fiscais de Natal entram em greve por tempo indeterminado

Os auditores fiscais cobram da Prefeitura melhorias nas condições de trabalho e o reconhecimento legal da categoria que, há pelo menos cinco anos, reivindica a aprovação da Lei Orgânica do Fisco (LOF) e a mudança das instalações da SEMUT para outro prédio.

Além desses problemas, os auditores afirmam que a Prefeitura está em débito com os profissionais no pagamento dos Prêmios por Desempenho Fiscal, que são considerados parte das remunerações dos profissionais. A paralisação iniciada oficialmente nesta segunda-feira(1) é por tempo indeterminado até que a Prefeitura abre diálogo.

AGRAVANTE

Com a paralisação, serviços como a resolução de pendências relacionadas ao ISS, avaliação imobiliária para incidência do ITIV e análises processuais relativas a todos os tributos municipais serão suspensas. Além disso, cerca de 90 mil contribuintes poderão deixar de receber os descontos do IPTU por ainda não terem regularizado seus imóveis.

BG

Últimos Eventos

21/09/2019
São Vicente/RN
03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!