Arquivos:

Brasil » Educação

EDUCAÇÃO: Governo federal autoriza ensino a distância na educação básica; decreto também flexibiliza o ensino superior

Ensino a distância na educação básica

O governo federal publicou, nesta sexta-feira, uma portaria que permite a oferta de ensino a distância (EAD) na educação básica e flexibiliza parâmetros para a oferta de cursos a distância no ensino superior. O decreto permite que escolas de ensino fundamental ofereçam essa modalidade de ensino para públicos-alvo específicos e deixa em aberto a utilização dessa modalidade no ensino médio, técnico, da educação especial e da educação de jovens e adultos.

Segundo a norma, publicada no Diário Oficial da União, no caso do ensino fundamental as escolas poderão ministrar o ensino a distância para diversos grupos. Antes, o EAD nessa etapa era permitido somente em casos “emergenciais”. A nova regra, no entanto, estabelece um leque amplo de pessoas que podem estar aptas a utilizá-lo.

Entre os casos aptos a ter essa modalidade de ensino, o decreto inclui, por exemplo, alunos que estejam matriculados nos anos finais do fundamental e “estejam privados da oferta de disciplinas obrigatórias no currículo escolar”.

O decreto cita, ainda, alunos que estejam no exterior por qualquer motivo; estudantes transferidos para regiões de difícil acesso, como missões em regiões de fronteira; alunos não consigam frequentar a escola devido a problemas de saúde; e que vivam em locais sem atendimento escolar presencial. Pessoas privadas de liberdade também se enquadram nos critérios.

Blog do BG
Brasil » Educação

Enem: Candidatos com isenção de taxa negada têm até 25 de junho para avisar Inep

Os candidatos que atendem aos critérios, mas tiveram a isenção da taxa do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) negada, na hora da inscrição, terão até o dia 25 de junho para enviar os documentos comprobatórios para o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e, assim, serem dispensados do pagamento de R$ 82.

O Inep divulgou hoje (25) comunicado orientando os participantes. Os candidatos devem enviar os pedidos de isenção com os respectivos comprovantes da situação socioeconômica e de escolaridade. Mais informações podem ser obtidas no 0800 61 61 61. O Inep irá analisar a situação de cada estudante.

As inscrições do Enem 2017 terminaram no último dia 19. Neste ano, as isenções eram concedidas ou não, automaticamente, pelo sistema. Vários candidatos reclamaram, nas redes sociais, que preenchiam os requisitos, mas mesmo assim tiveram o pedido negado. Ao final, o sistema gerava a Guia de Recolhimento da União (GRU) para o pagamento da taxa. O prazo  terminou ontem (24).

Agência Brasil
Educação » Enem

ENEM: Candidatos têm até hoje para pagar a taxa de inscrição do Enem

Hoje (24) é o último dia para que os participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) paguem a taxa de inscrição. Somente após o pagamento, a inscrição é confirmada. O pagamento pode ser feito em qualquer agência bancária, casa lotérica ou agência dos Correios. Os candidatos devem estar atentos aos horários estabelecidos pelas instituições onde farão o pagamento.

Devem pagar a taxa aqueles que não se enquadraram nos critérios de isenção e que, na hora da inscrição tiveram um Guia de Recolhimento da União (GRU) gerado. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) alerta que não confirmará inscrições cujo pagamento tenha sido feito por meio de GRU gerada fora do Sistema de Inscrição, assim como não aceitará inscrições em valores diferentes de R$ 82.

Agência Brasil
Brasil » Educação

Enem 2017 chega a 3,8 milhões de inscritos a quatro dias do fim do prazo

A quatro dias para o fim do prazo, 3,8 milhões de pessoas já haviam se inscrito para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017. De acordo com um balanço parcial divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), às 8h desta terça-feira (16) o sistema registrava 3.878.702 inscrições.

Os candidatos podem acessar o sistema até sexta-feira, dia 19 de maio, às 23h59. A taxa subiu para R$ 82 e o boleto precisa ser pago até 24 de maio. As inscrições ocorrem somente no site.

http://www.enem.inep.gov.br/participante.

G1
Educação » Rio Grande do Norte

Ufersa abre 90 vagas para cursos de Pedagogia e Letras

Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa) abriu, nesta segunda-feira (15), inscrições para as licenciaturas em Pedagogia (campus de Angicos) e em Letras/Português (campus de Caraúbas). A seleção será feita com base no resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2016.

Clique aqui para baixar o edital.

Os cursos foram reconhecidos pelo Ministério da Educação no início de maio, em portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU) do dia 2. Este processo seletivo contempla todas as vagas criadas para Pedagogia, 50, e metade das criadas para Letras/Português, 40 de 80.

As inscrições podem ser feitas até sexta-feira (19) por meio de formulário disponível no site da Pró-Reitoria de Graduação. Segundo o cronograma disposto no edital, o resultado preliminar será divulgado no dia 25, e o final, no dia 30.

 

G1/RN
Educação » Picui/PB

PICUÍ: Universitários recebem ônibus para transporte até as universidades de Campina Grande

Ônibus que prestará serviço aos universitários

O prefeito de Picuí, Olivânio Remígio (PT), entregou a associação universitária um ônibus para o transporte dos estudantes até as universidades da cidade de Campina Grande.

O ato simbólico da entrega do veículo aconteceu no início da tarde desta segunda-feira (15), em frente ao centro administrativo.

ClickPicuí
Educação

EDUCAÇÃO: Brasil reduz desigualdade, mas ainda tem 2,5 milhões fora da escola

Dados de 2015 mostram que o país tem 2.486.245 crianças e jovens de 4 a 17 anos fora da escola.

Nos últimos dez anos, o Brasil aumentou o acesso de parcelas mais vulneráveis da população à escola, de acordo com levantamento do movimento Todos pela Educação (TPE). De 2005 a 2015, o acesso daqueles que têm de 4 a 17 anos aumentou principalmente entre a população parda e negra, entre os de baixa renda e entre moradores do campo. Os avanços foram maiores que os registrados entre brancos, ricos e moradores da cidade.

O levantamento foi feito com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad). Entre os mais pobres, em 2005, 86,8% estavam na escola, contra 97% dos mais ricos. Em 2015, esses índices passaram, respectivamente, para 93,4% e 98,3%. Entre aqueles que moram no campo, o acesso subiu de 83,8% para 92,5%, enquanto a taxa dos moradores de zonas urbanas passou de 90,9% para 94,6%. O crescimento do acesso entre negros e pardos – que passou, respectivamente, de 87,8% para 92,3% e de 88,1% para 93,6% – foi maior que o da população branca – que passou de 91,2% para 95,3%.

Na avalição do movimento, há uma redução de desigualdade “importante, embora não suficiente”, pois mesmo que os indicadores tenham avançado, ainda estão entre essas populações as maiores concentrações de crianças e jovens fora da escola. “São aqueles que mais precisam da educação para superar a exclusão e a pobreza. Muitos são crianças e jovens com deficiência e moradores de lugares ermos. Muitos têm gerações na família que nunca pisaram na escola”, diz a presidente executiva do Todos pela Educação, Priscila Cruz.

Por lei, todas as crianças e jovens de 4 a 17 anos devem estar matriculados na escola. Pela Emenda Constitucional 59 de 2009, incorporada no Plano Nacional de Educação (PNE), lei sancionado em 2014, o Brasil teria que universalizar o atendimento até 2016.

UNIVERSALIZAÇÃO

Os dados de 2015 mostram que o país tem 2.486.245 crianças e jovens de 4 a 17 anos fora da escola. A maior parte tem de 15 a 17 anos, são 1.543.713 jovens que não frequentam as salas de aula.

O maior avanço dos últimos dez anos se deu entre os mais novos. Em 2005, 72,5% das crianças com 4 e 5 anos estavam na escola. Esse percentual passou para 90,5% em 2015. Entre aqueles com idade entre 15 e 17 anos, o percentual passou de 78,8% para 82,6% no mesmo período. A faixa de 6 a 14 anos é tida como universalizada, atualmente 98,5% estão na escola. No entanto, isso ainda significa dizer que há 430 mil adolescentes nessa faixa etária fora da escola.

“Temos que tomar cuidado quando se diz que estamos quase universalizando. Esse discurso tirou pressão nos governos”, diz Priscila. “É a questão que mais deveria envergonhar os brasileiros, saber que temos 2,5 milhões de crianças e jovens fora da escola em pleno século 21”.

O TPE estabeleceu, em 2006, metas para melhorar a educação até 2022, ano do bicentenário da independência do Brasil. A primeira delas é a matrícula de pelo menos 98% das crianças e jovens de 4 a 17 anos na escola. Para chegar a esse percentual, a entidade estabeleceu metas intermediárias. Para 2015, a meta traçada era que o país tivesse incluído 96,3%, índice superior à taxa atual de 94,2%.

Agência Brasil
Educação » Notícias » Trânsito

Projeto “Educar para o Trânsito” é levado para as escolas da rede estadual

O Detran/RN, por meio da Coordenadoria de Educação e Fiscalização de Trânsito, possui o projeto “Educar para o Trânsito” que é voltado para escolas estaduais do Rio Grande do Norte e tem como alvo alunos do ensino médio. Essa semana, o órgão visitará escolas nas cidades de Jucurutu, Santa Cruz, Currais Novos e Caicó.

Qualquer escola da rede estadual pode ser contemplada pelo projeto, desde que atenda aos requisitos, sendo um deles possuir estudantes regularmente matriculados no Ensino Médio. O Projeto Educar é uma iniciativa dos servidores da Subcoordenadoria de educação para o trânsito e tem como objetivos proporcionar às escolas o conhecimento sobre o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), acompanhar e assessorar as práticas educativas de educação para o trânsito e promover ações educativas que possibilitem a reflexão nos estudantes sobre a conduta no trânsito.

O público alvo são estudantes, professores e coordenadores de escolas estaduais. O material didático, que é uma apostila com 34 páginas, foi totalmente elaborado por técnicos do Departamento com conteúdo informativo para o trânsito. A metodologia consiste num ciclo de quatro palestras envolvendo as quatro temáticas : meio ambiente, direção defensiva, 1ª habilitação e conduta dos motociclistas. Ao término do ciclo de palestras os alunos precisam desenvolver um trabalho mostrando o conteúdo aprendido durante o ano. Para as escolas que desejarem ser contempladas pelo projeto, basta entrar em contato com a Subcoordenadoria de Educação através do telefone 3232.1246.

Currais Novos » Economia » Educação

Energia que Transforma tem inscrições abertas para professores de Currais Novos e região até esta segunda (03)

Curso gratuito de Eficiência Energética para professores de C. Novos e região

Professores de Currais Novos e cidades vizinhas podem se inscrever para o curso Energia que Transforma até esta segunda-feira (03).

Oferecido gratuitamente pela Cosern, o projeto capacita educadores para mobilizarem os alunos na aprendizagem do uso consciente dos recursos naturais e combate ao desperdício de energia. Nesta edição, o Energia que Transforma conta com a parceria da WWF-Brasil para falar sobre meio ambiente e sustentabilidade.

O curso faz parte do Programa de Eficiência Energética da Cosern, regulado pela Aneel.

Clique aqui e inscreva-se.

Cosern
Educação » Política

Primeira professora com Down do Brasil será homenageada na Câmara Municipal de Natal

Vereadora Nina com a professora Débora Seabra

A Câmara Municipal de Natal (CMN) realizará nesta terça-feira (07) uma sessão solene em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, celebrado todos os anos no dia 8 de março. Assim, cada vereador indicou uma homenageada que tenha obtido destaque em algum segmento da sociedade. A escolhida da vereadora Nina Souza (PEN) é a primeira professora com Síndrome de Down do Brasil, a potiguar Débora Seabra.

“Débora é muito merecedora dessa homenagem. É uma mulher inteligente, forte, determinada, que lutou para conquistar seus objetivos, uma professora que honra a educação do nosso Rio Grande do Norte e que superou todas as barreiras que se colocaram na sua frente. É um exemplo para todos nós”, disse a vereadora Nina Souza.

Há mais de 10 anos, Débora faz parte do corpo docente da Escola Doméstica de Natal. Da infância ao curso de magistério, Débora estudou em escolas regulares, o que a tornou uma defensora da inclusão de pessoas com Síndrome de Down nessas instituições de ensino. Essa luta por oportunidades semelhantes às que teve durante sua formação fez com que a educadora se tornasse uma referência.

Autora do livro “Débora conta histórias”, que reúne fábulas infantis com mensagens de apoio ao direito de ser diferente, a professora também roda o Brasil e outros países, como Portugal, dando palestras sobre o combate ao preconceito. Em 2015, foi agraciada com o Prêmio Darci Ribeiro de Educação, concedido anualmente pela Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, em Brasília.

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!