Economia

Brasil acumula déficit recorde nas contas externas de US$ 70,7 bilhões

As contas externas tiveram o maior déficit da história em meses de outubro: US$ 8,1 bilhões. É o pior desempenho para o mês desde quando o Banco Central passou a registrar os dados em 1947. Nos dez primeiros meses deste ano, as transações correntes ( resultado de todas as trocas de serviços e comércio do Brasil com o resto do mundo) acumulam um rombo de nada menos que US$ 70,7 bilhões: também o mais alto já visto no período.

No mesmo período do ano passado, o déficit estava em US$ 67,4 bilhões. Essa piora foi causada pelo maior gasto com juros e serviços e uma remessa de lucros e dividendos maior, já que o déficit da balança comercial ficou praticamente estável de um ano para outro.

Os investimentos estrangeiros diretos (IED) — os que chegam para aumentar a capacidade de produção das fábricas e são considerados de melhor qualidade — caíram 8,4% no mês passado em relação ao mesmo período de 2013. Ficaram em US$ 5 bilhões em outubro.

Como nos meses anteriores, os ingressos foram melhores, o resultado acumulado neste ano é melhor que o do ano anterior. São US$ 51,2 bilhões: alta de 4%.

A entrada de investimento direto é considerada essencial para o financiamento saudável do rombo das contas externas. Sem esse tipo de ingresso, o país fica dependente de capital especulativo para financiar seus gastos em dólar.

O Globo

Últimos Eventos

21/09/2019
São Vicente/RN
03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!