Arquivos:

Curiosidades

CASO RARO: Na Paraíba, bezerro nasce com duas cabeças

Um caso raro chamou atenção de moradores da cidade de Cajazeiras, no Sertão paraibano.

Um veterinário  foi chamado para auxiliar o parto de uma vaca, e estava na certeza que nasceriam dois bezerros, mas foi surpreendido com apenas um animal de duas cabeças. O fato ocorreu nesta sexta-feira (14) no sítio Montes.

Segundo informações do veterinário, casos como esse são raros e o animal não tem chance de sobreviver por muito tempo.

Essa não é a primeira vez que um caso dessa natureza acontece no sertão da Paraíba. Em 2015, um caso parecido ocorreu na cidade de Catolé do Rocha. O animal nasceu com uma malformação congênita. Na ocasião, o bezerro nasceu com quatro olhos, três orelhas, dois focinhos e apenas um esôfago e uma traqueia.

Curiosidades

CHOCANTE: Viúvo flagra enfermeiro abusando sexualmente de sua mulher em necrotério

Um enfermeiro identificado como Grover Macuchapi Calle, de 27 anos, foi preso como suspeito de abusar sexualmente do corpo de uma mulher, de 28, no necrotério de um hospital em La Paz, na Bolívia. O flagrante foi feito pelo próprio marido da morta ao entrar na sala para se despedir de sua amada. A notícia foi divulgada em jornais como o El Ciudadano e o La Prensa.

Grover Macuchapi irá responder processo por violação de corpo e atos obscenos (Foto: Reprodução/Facebook)

A vítima foi dada como morta uma hora antes do crime, ocorrido na última segunda-feira. Macuchapi, que teria afirmado estar em transe “como em um sonho” e não se lembrar de nada, em depoimento à polícia boliviana, chegou a apanhar do marido da jovem morta antes de ser levado pelos policiais.

O enfermeiro irá responder por violação de corpo e atos obscenos; forma como a lei boliviana trata de casos relativos à necrofilia.

Curiosidades » Policial

IMPLACÁVEL: Cachorro mata gato que transportava celulares dentro de presídio da Paraíba

O gato portava os celulares colados ao corpo. (Imagem: Reprodução)

Um gato foi flagrado nesta quinta-feira (19) caminhando no Penitenciária Padrão de Cajazeiras, Sertão da Paraíba, com dois celulares presos ao corpo. Um cachorro adotado pela penitenciária acabou matando o gato.

De acordo com o diretor da penitenciária Tales Alves de Almeida, o setor de inteligência e monitoramento informou que um gato poderia ser deixado nas redondezas com celulares para os detentos.

A informação foi repassada aos agentes penitenciários, que não conseguiram pegar o gato pela agilidade do animal. Um dos dois cachorros adotados que ficam dentro do presídio acabou alcançando e matando o gato.

(Imagem: Reprodução)

Curiosidades

MUNDO: Menino de 3 anos monta em píton de mais de 6 metros

Imagem: Reprodução

Um vídeo feito em Ha Trung (Vietnã) pode deixar muitos pais com o coração apertado. Mas, ao que parece, os pais do menino de 3 anos visto nas imagens não pareciam nada preocupados.

A criança simplesmente montou em uma píton de mais de 6 metros de comprimento.

A cobra montada por Truong é mantida pela família do menino como animal de estimação, contou o “Sun”. E é um dos “brinquedos” preferidos do pequeno vietnamita.

Confira o vídeo:

Curiosidades

BEIJO DA MORTE: Pescador tem parada cardíaca após tentar beijar peixe

Peixe responsável pelo acidente do pescador. (Imagem: Reprodução)

Um pescador britânico de 28 anos sofreu parada cardíaca ao tentar beijar um peixe. Sam Quilliam havia fisgado um linguado típico de Dover (Inglaterra) quando quis imitar o apresentador de “Rex Hunt”, um programa de pesca da Austrália. Sam tentou dar um beijo no peixe, que, arisco, escorregou pelas mãos do pescador, entrou pela boca e se alojou na garganta dele, deixando-o sem ar.

Sam desmaiou e, pouco depois, sofreu a parada cardíaca. O britânico foi salvo pelo paramédico Matt Harrison, que fez massagem cardíaca e o levou a um pronto-socorro em Bournemouth (Inglaterra), de acordo com o “Guardian”. O socorrista conseguiu, com ajuda de fórceps, retirar o peixe de 15 centímetros da garganta do pescador e fazê-lo voltar a respirar.

canadá » Curiosidades » Rio Grande do Norte

FOREST GUMP: andarilho canadense teria vindo até o Brasil a pé

Canadense é encontrado no Amazonas após 5 anos desaparecido. Ele teria perambulado até nosso país

9304 km essa é a distancia entre Brasil e Canadá e que supostamente um canadense teria percorrido. Anton Pilipa, 39 anos, passou cinco anos desaparecido e foi dado como morto pela família, foi encontrado caminhando pelas estradas de Rondônia e Amazonas sem dinheiro ou documentos, foi achado pela PRF brasileira e finalmente voltou para Toronto.

Anton, estava desaparecido desde 2012 pouco depois de iniciar um tratamento para esquizofrenia. Ao longo dos anos, perambulou por cidades e vilarejos de pelo menos nove países: Canadá, Estados Unidos, México, Guatemala, Costa Rica, Panamá, Colômbia, Venezuela e Brasil.

Curiosidades » Notícias

CURIOSIDADES: família isolada por 42 anos não soube nem da ida do homem à Lua


Durante mais de quatro décadas, a família Lykov viveu completamente isolada da civilização em meio à neve do sul da Sibéria, na Rússia, para fugir da morte pelas mãos do regime soviético.

Foi assim que, vivendo sem rádio ou televisão, Karp, Akulina, Savin, Dmitriy, Natalia e Agafia nunca tomaram conhecimento dos horrores da 2ª Guerra Mundial ou da chegada do homem à Lua.

Sua existência só foi descoberta em 1978, quando quatro geólogos que exploravam a região de helicóptero avitaram primeiro o jardim dos Lykov e, depois, a cabana de madeira onde moravam há 42 anos.

Até então, não havia qualquer registro de atividade humana naquela área, e o assentamento mais próximo ficava a 200 km de distância.

“Quando nos aproximamos da cabana, um senhor com uma barba comprida saiu um pouco assustado. Era Karp, o pai”, disse a geóloga Galina Pismenskaya ao jornalista russo Vasily Peskov, que revelou a história em 1994 no livro Perdidos na Taiga.

“Nós o cumprimentamos, mas não fomos correspondidos de imediato. Depois de alguns minutos, ele disse: ‘Se vieram de tão longe, é melhor que entrem.”

‘Velhos crentes’

Pouco a pouco, os geólogos começaram a interrogar os membros da família para saber como haviam chegado até ali e, principalmente, como haviam sobrevivido ao rigor do clima siberiano por tanto tempo.

Logo nos primeiros intercâmbios de histórias, o que mais chamou atenção da família foi uma caixa que os geólogos levaram para a cabana: era uma televisão.

De acordo com o relato de Peskov ao jornalista britânico Mike Dash na revista Smithsonian Magazine, por causa do isolamento, os Lykov haviam se esquecido um pouco do idioma russo que falavam quando abandonaram a civilização.

Depois de várias visitas e conversas não só com Karp, mas também com outros membros da família, os geólogos conseguiram saber o motivo que os levou àquele lugar.

Karp e sua mulher, Akulina, eram o que se chama na Igreja Ortodoxa Russa de “velhos crentes”, cristãos partidários de ritos e da liturgia mais antiga.

Os “velhos crentes” não aceitavam as profundas mudanças que haviam ocorrido em sua igreja em 1654 com a chamada Reforma de Nikon. Por isso, foram perseguidos não só pelos czares, mas também pelo regime comunista que se instalou no país a partir de 1917.

Essa perseguição chegou a Karp e Akulina em 1936. O homem narrou como eles decidiram fugir após uma patrulha bolchevique atirar em seu irmão quando eles trabalhavam nos arredores da cidade onde viviam no sul da Rússia.

Com sua mulher e os filhos que tinham até o momento (Savin e Natalia), ele pegou alguns pertences, vários tipos de sementes que tinha guardados e submergiu nas profundezas da taiga, o bosque de árvores e neve siberiano.

Ali, começaram uma nova vida, longe das patrulhas que queriam executá-los por suas crenças e isolados de tudo que acontecia no restante do mundo.

Nesse tempo, ocorreu a 2ª Guerra Mundial, o assassinato do presidente americano John F. Kennedy, a chegada do homem à Lua. Enquanto isso, a família se dedicava a ler a Bíblia, a semear e caçar sua própria comida e a fazer roupas a partir de peles de animais.

Nesse lugar inóspito, a família cresceu conforme o casal teve mais dois filhos: Dmitriy e Agafia.

Luta pela sobrevivência


A maioria das reservas de petróleo e gás natural da então União Soviética – e, hoje, da Rússia – repousam sob o solo siberiano. Os quatro geólogos buscavam um novo local de exploração quando avistaram a cabana dos Lykov e mudaram de planos.

A descoberta gerou uma comoção nacional, segundo Peskov. As pessoas queriam saber como uma família havia conseguido chegar e, sobretudo, sobreviver ali sem que o inverno russo a aniquilasse.

Não foi fácil. Os testemunhos dos cinco membros restantes da família (Akulina havia morrido em 1961), registrados por Peskov, dão conta de uma luta pela sobrevivência sem as ferramentas adequadas.

Para comer, contavam apenas com os alimentos que cresciam a partir das sementes trazidas com eles e com os animais que caçavam, muitas vezes com os pés descalços, até mesmo no inverno.

“Sua vida era bastante primitiva, especialmente porque não podiam substituir as ferramentas que haviam levado em sua fuga em 1936”, explicou Dash.

Por quase uma década, eles viveram o que chamaram de “anos de fome”, quando tinham de decidir se comiam o que havia resistido às pragas e aos animais selvagens ou se deixavam algumas sementes para cultivá-las no ano seguinte.

Em certa ocasião, tiveram de comer o couro de seus sapatos e se vestir com as peles de ursos e outros animais que matavam.

As condições extremas também haviam feito com que se mudassem para cada vez mais longe dos centros urbanos e pequenos vilarejos – e essa foi a principal razão de tal isolamento.

Mortes seguidas


Segundo Peskov, o interior da cabana onde a família vivia parecia medieval: as vasilhas eram feitas com madeira, o chão era forrado com folhagens do bosque, e as paredes não tinham janelas, porque não havia vidro para protegê-los do frio.

Foi por meio da televisão trazida pelos geólogos que eles se deram conta de tudo que havia ocorrido do mundo naquele tempo, dos horrores da guerra aos avanços da ciência, entre muitas outras mudanças da vida cotidiana.

Quando souberam da existência de satélites, compreenderam o que tinham visto no céu, mas não conseguiam explicar: “Ah, essas são as estrelas que pareciam girar cada vez mais rápido”.

A princípio, a única coisa que a família recebeu dos geólogos foi sal. “Foi uma tortura viver por todos esses anos sem isso”, disse o patriarca, que, a não ser por isso, pretendia continuar a levar a mesma vida.

Mas foi inevitável retomar o contato com as localidades mais próximas. Os Lykov começaram a receber cada vez mais coisas e também se renderam à magia da televisão.

Ainda que Peskov e Dash digam que o que se passou a seguir não se deveu ao contato com a civilização, três dos cinco integrantes da família morreram em 1981 por causa de diferentes doenças.

Dmitry e Natalia desenvolveram uma infecção nos rins – devido à limitada dieta que levaram por anos -, e Savin não resistiu a uma pneumonia causada por uma infecção. Por sua vez, Karp morreu em 1988.

A única sobrevivente, Agafia, decidiu ficar longe das cidades, como lhe ensiram seus entes queridos. Ela queria morrer no mesmo lugar onde havia aprendido a viver.

Ceará » Curiosidades

INUSITADO: Mulher pede para ser velada viva e realiza sonho após 14 anos no Ceará

casoinusitado

A cerimônia aconteceu ao longo de todo o dia, nesta quarta-feira (02), de 9h às 18h, no Cemitério Jardim Eterno, com a presença de familiares, amigos e curiosos.

Uma mulher em Camocim, no litoral oeste do Ceará, chamou atenção neste feriado de finados por um sonho inusitado: celebrar, em vida, o próprio velório. O proprietário da funerária, Paulo Araújo, conta que a mulher tentava realizar o desejo há pelo menos cinco anos, mas até então havia sido negado. Neste ano, porém, ele concordou, e nesta quarta-feira (02) o velório de Vera Lúcia de Araújo Silva aconteceu com direito a caixão, flores e maquiagem.

Vera Lúcia explica que o sonho é antigo, porém, muitos duvidavam que um dia ela realizaria o desejo. “Eu quero meu velório há 14 anos. Esperei muito. Quando convidei amigos e minha família eles pensaram que eu estava de brincadeira, nem ligaram”, relata a mulher. O dono da funerária lembra ainda que a mulher, que não tem filhos, encontrou resistência da família. “O esposo não queria deixar, mas a família abriu mão”, disse.

Últimos Eventos

21/09/2019
São Vicente/RN
03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!