Arquivos:

Cuidado » Saúde

Doenças respiratórias: Mudança de temperatura é uma das maiores vilãs

Todo cuidado é pouco perante essa mudança climática.

Todo cuidado é pouco perante essa mudança climática.

Uma das principais vilãs para o aumento dos casos de doenças respiratórias durante o inverno é a mudança de temperatura. A estação favorece uma maior circulação de vírus e torna as pessoas mais vulneráveis, principalmente as crianças, pois ainda possuem um sistema de defesa em formação.

A procura por consultas aumenta, e os principais casos são de gripes, pneumonias, bronquites, inclusive as asmáticas. O pneumologista pediátrico Sérvulo Antônio de Holanda explica que os vírus se disseminam com mais facilidade durante este período do ano, causando estados gripais.

Com tantos vírus em suspensão no ar, o melhor a ser feito é se prevenir antes que um deles ataque sua saúde. A higiene ambiental se faz mais do que necessária. Em alguns casos, é até mesmo uma questão de sobrevivência — principalmente para crianças altamente alérgicas. Como a umidade aumenta, surge mofo em guarda-roupas e em outros pontos da casa.

Diante disso, com a chegada do inverno e suas doenças também dá um impulso grande às farmácias, que registram um aumento na venda de medicamentos para gripes, resfriados e outros problemas respiratórios, além de equipamentos ligados a esses tipos de mal. A farmacêutica Juliana Dutra acrescenta na lista de mais vendidos do período as vitaminas C e os xaropes para tosse. Ela diz não saber ao certo os números do aumento, mas acredita que os produtos estão vendendo próximo ao dobro. E olha que o inverno está só começando.

Explicando a diferença de gripe e resfriado
São coisas praticamente semelhantes. Um quadro gripal é quando ele já está bem acentuado. É aquela coisa: o pulmão fica muito encatarrado, com muita secreção. Então, esse aí seria um quadro de gripe ou estado gripal.

E o resfriado é aquela coisa mais leve, que existe mais uma rinite, uma coriza, uma coisa mais simples. Na verdade, os quadros virais evoluem em uma semana no máximo. Começa com febre, depois um mal estar, falta de apetite, e a criança fica tendo um período de três, quatro dias de febre. A tendência, com o ciclo de vida do vírus, é a febre desaparecer. Mas e aí quando persistem os sintomas respiratórios, como tosse, pode evoluir para quaisquer outras situações.

Mais de um vírus circulando no ar no inverno
Sim, existem. As defesas das crianças nas faixas etárias menores ainda estão se formando. Aí, elas em ambientes coletivos, nas creches, nas escolas, ficam mais vulneráveis.

Tribuna do Norte

Últimos Eventos

06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube
08/07/2017
Parque Exposições - Fotos: Mazilton Galvão
08/07/2017
Parque Exposições - Fotos: Mazilton Galvão

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!