Arquivos:

Chuva

Chuva de 130 mm é registrada em município potiguar

Foto: Divulgação

Continua chovendo bastante nos municípios potiguares para a alegria da população que está em isolamento social em prevenção ao COVID-19.

Confira alguns registros:

PORTALEGRE 130 mm
ENCANTO 125 mm
PAU DOS FERROS 110 (7º BPM)
MARTINS 100 mm
RIACHO DA CRUZ 10 mm
FRUTUOSO GOMES 35 mm
JOÃO DIAS 20 mm
PARANÁ 65 mm
LUCRÉCIA 98 mm
MESSIAS TARGINO 90 mm
SERRNHA DOS PINTOS 100 mm
ÁGUA NOVA 80 mm
TABOLEIRO GRANDE 62 mm
RIACHO DE SANTANA 100 mm
VENHA VER 11 mm
RAFAEL FERNANDES 69 mm
VIÇOSA 44 mm
CEL. JOÃO PESSOA 46 mm
LUIS GOMES 81 mm
UMARIZAL 53 mm
JOSÉ DA PENHA 73 mm

Chuva

Chuvas no RN nos últimos seis dias registraram bom volume no interior

Foto: Divulgação

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte divulgou o acumulado de chuvas no estado entre a última sexta-feira(21) até o início desta quinta-feira(27). O destaque ficou para a região Oeste, com Dr. Severiano com 175 milímetros, Riacho de Santana, com 123 mm e Água Nova, com quase 100 mm. Outros municípios também registraram bom volume, assim como demais regiões.

Veja abaixo:

OESTE POTIGUAR

Dr. Severiano(Emater) 175,0
Riacho De Santana(Emater) 123,0
Água Nova(Prefeitura) 98,3
Venha Ver(Emater) 94,0
Pau Dos Ferros(Particular) 92,0
São Rafael(Emater) 87,2
Coronel João Pessoa(Emater) 86,0
São Rafael(Particular Ii) 84,5
Campo Grande(Particular 2) 83,7
Felipe Guerra(Prefeitura) 82,0
Jose Da Penha(Emater) 80,3
Rafael Fernandes(Emater) 78,8
Campo Grande(Particular) 73,6
Francisco Dantas(Emater) 68,0
João Dias(Emater) 63,3
Encanto(Prefeitura) 60,0
Tenente Ananias(Emater-st Mororo) 56,4
Pilões(Prefeitura) 55,9
Rafael Godeiro(Emater) 51,2
Paraná(Emater) 49,0
Major Sales(Prefeitura) 48,0
Martins(Particular) 46,7
Janduís(Emater) 37,6
Portalegre(Particular) 37,1
Lucrécia(Emater) 34,7
Upanema(Prefeitura) 34,6
Jucurutu(Emater-pedra do Navio) 34,0
Luis Gomes(Delegacia) 25,0
Caraúbas(Particular) 24,4
Serrinha Dos Pintos(Prefeitura) 22,9
São Francisco Do Oeste(Prefeitura) 22,7
Umarizal(Fazenda Camponesa(partic)) 22,2
Mossoró(Prefeitura) 19,2
Itau(Particular) 19,0
Viçosa(Prefeitura) 18,0
Severiano Melo(Prefeitura) 17,0
Assu(Emater/st. Casa Forte) 13,8
Parau(Prefeitura) 13,4
Rodolfo Fernandes(Prefeitura) 12,0
Itajá(Emater) 10,0
Riacho Da Cruz(Emater) 9,7
Porto Do Mangue(Prefeitura) 9,3
Baraúna(Emater) 8,3
Olho D’água Dos Borges(Particular) 6,6

CENTRAL POTIGUAR

São Fernando(Emater) 37,5
São José Do Seridó(Fz Caatinga Grande) 37,4
São Vicente(Emater(ex-particular)) 34,4
Caico(Acude Itans) 32,6
Timbaúba Dos Batistas(Prefeitura-fz. Timbauba) 30,0
São José Do Seridó(Associacao Usuarios Agua) 27,0
Florânia(Sitio Jucuri) 23,8
Carnaúba Dos Dantas(Emater) 20,6
Caico(Acude Mundo Novo-emparn) 18,0
Angicos(Prefeitura) 15,0
São João Do Sabugi(Emater) 15,0
Acari(Particular) 13,1
Parelhas(Emater) 12,7
Jardim Do Serido(Emater/passagem) 9,3
Cruzeta(Base Fisica Da Emparn) 9,2
Guamaré(Lagoa Doce) 7,0
Currais Novos(Sec Meio Amb. Ex Cersel) 6,0
Santana Do Matos(Emater) 4,5
Macau(Defesa Civil (ex-emater)) 3,7
Cerro Cora(Emater) 3,0
Macau(Posto Nosso Barco) 2,0

AGRESTE POTIGUAR

Coronel Ezequiel(Particular) 54,5
Jaçanã(Emater) 31,2
Japi(Particular) 8,0

LESTE POTIGUAR

Baía Formosa(Destilaria Vale Verde) 2,2
Parnamirim(Base Fisica Da Emparn) 1,5

Chuva

Chuvas em janeiro foram 66% maiores do que em 2019, diz Emparn

Barragem Gargalheiras após às últimas chuvas caídas na região. Foto: Jobel Araújo.

O aumento das chuvas ocorreu devido a atuação do sistema meteorológico Vórtice Ciclônico de Ar Superior (VCANS), e em alguns momentos, juntamente com a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT)

As mesorregiões Leste e Agreste do Rio Grande do Norte registraram a maior média de chuvas observadas em janeiro, sendo 125,6% e 87,6%, respectivamente, superiores em comparação a janeiro de 2019. No estado como um todo o incremento foi de 66,6% do volume para o mesmo período, correspondendo a média observada de chuva de 100,7 milímetros (mm), enquanto que a esperada era de 60,4 mm.

Os postos pluviométricos, monitorados pela Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), dos municípios de Portalegre (212,9mm), Barcelona (216,9mm), Cel. João Pessoa (2018mm), São Fernando (196,8mm) registraram a ocorrência de chuvas com volumes mais expressivos em janeiro.

De acordo com o Chefe da Unidade Instrumental de Meteorologia da EMPARN, Gilmar Bristot, foram observadas chuvas com boa distribuição. As precipitações ocorreram em todas as regiões do RN neste período, com registros de volumes acima de 200mm no Alto Oeste e no Trairi. “As chuvas ocorridas em janeiro de 2020 no Estado ocorreram devido a atuação do sistema meteorológico Vórtice Ciclônico de Ar Superior (VCANS), e em alguns momentos, juntamente com a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT)”, disse.

Os primeiros dias de fevereiro já registraram a ocorrência de boas chuvas, especialmente na mesorregião Oeste Potiguar com os três maiores volumes no último fim de semana: Rafael Godeiro (133,4mm), Olho D´água dos Borges (129,7mm) e em Martins (119,4mm). “A perspectiva é de que em 2020 tenhamos um período chuvoso normal a acima do normal, dentro, ou acima, da média histórica na região semiárida potiguar”, avalia Bristot.

Chuva » Currais Novos

TARDE DE PÂNICO: Chuva com forte ventania arranca árvores e destrói telhados de vários prédios em Currais Novos

Telhado de uma Marmoraria foi arrancado e ficou preso nos fios de alta tensão.

O que deveria ser motivo de alegria, se transformou numa tarde de pânico para os curraisnovenses. Pois bem, por volta das 16h deste domingo uma chuva (fato não muito comum nesta época na região) molhava a Princesa do Seridó, até aí só tinha motivo de comemoração. No entanto, a chuva veio acompanhada de uma forte ventania que destruiu telhados, arrancou árvores, derrubou muros, outdoors… e de brinde ainda deixou parte da cidade sem energia.

Com a forte ventania jamais vista na cidade, teve prédio que todo o telhado foi destruído: um deles foi numa Marmoraria, que teve toda sua estrutura metálica arrancada. O telhado foi arremessado para longe do prédio e ficou preso nos fios de alta tensão.

Outros prédios tiveram praticamente metade do telhado, e até muros, destruídos: a Du Rei Casa Show e Siena Água Potável foram alguns deles. Quase metade do telhado metálico da Du Rei desabou. A Siena teve grande parte do telhado levado pelo vento.

Parte do muro e telhado da Du Rei caíram

Na cidade também várias árvores foram arrancadas pela forte ventania.

Árvores foram arrancadas


Também existem registros de que a antena da Rádio 87 FM caiu, parte muro do Estádio Cel Bezerra desabou, dentre outros danos causados pela “tempestade”.

Apesar dos inúmeros prédios danificados, não se teve nenhum registro de feridos.

Parte do telhado da Siena foi destruído pelo vento.

Assu » Chuva

Importante reservatório do RN começa transbordar

O Açude Mendubim, um dos 10 maiores reservatórios do Rio Grande do Norte, está transbordando. A sangria começou ainda na tarde desta quarta-feira (2). A barragem fica na cidade de Assu, na região Oeste do estado.

Segundo o Instituto de Gestão das Águas do Rio Grande do Norte (Igarn), o Mendubim tem capacidade para 76,3 milhões de metros cúbicos. Apesar de não ter captação para abastecimento por sistemas de adutoras, é uma importante reserva técnica. Suas águas deságuam no Rio Açu, e também são fundamentais para as comunidades do entorno e suas produções.

Chuva

Armando Ribeiro continua recebendo água; Barragem ainda precisa aumentar 14 metros para atingir sangria


O nível da lâmina de água da barragem Armando Ribeiro Gonçalves aumentou de ontem para hoje, 23 de abril, vinte e um centímetros.

No período de 12 de fevereiro, data em que foi registrado o menor nível de 2018, até hoje, a elevação acumulada no nível da barragem foi de 6,49 metros.

Faltam 14,05 metros para a barragem atingir a cota de sangria.

Abastecimento » Chuva » Currais Novos

Barragem Armando Ribeiro sai do volume morto e já acumula 20% de sua capacidade hídrica

Barragem Armando Ribeiro. (Foto: Tribuna do Norte)

Uma excelente notícia para os 35  municípios que dependem do abastecimento pela Barragem Armando Ribeiro, incluindo Currais Novos. É que com as últimas chuvas caídas na região o reservatório saiu do seu volume morto e já acumula 20% de sua capacidade hídrica.

A Armando Ribeiro, que tem capacidade de 2,4 bilhões de metros cúbicos, tinha entrado no volume morto em janeiro, chegando ao seu menor acúmulo desde que foi construída em 1980.

A previsão é que seu volume de água continue aumentando nos próximos dias. O Rio Piranhas, que deságua na Barragem, permanece com uma grande cheia.

O abastecimento de Currais Novos depende, exclusivamente, das águas da Barragem, advindas através da Adutora de Engate Rápido.

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!