Arquivos:

Brasil » Política

Luciano Huck desiste de candidatura a presidente

Depois de muito ensaiar e de até ganhar o apoio público do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o apresentador de TV Luciano Huck desistiu de ser candidato a presidente da República. O martelo foi batido nesta quinta-feira e, desta vez, seria definitivo. A decisão, segundo blogs de notícia, seria uma resposta à TV Globo, que pediu que Huck definisse sua situação logo depois do carnaval.

Huck confirmou à jornalista Sonia Racy na tarde de quinta-feira, 15, que não será candidato à Presidência da República. “Não serei candidato mas não quero falar mais sobre o assunto agora. Preciso digerir a decisão”, disse.

A possível candidatura de Huck vinha sendo inflada por Fernando Henrique Cardoso. Sem ver perspectivas de o nome do governador Geraldo Alckmin decolar para concorrer pelo PSDB, o líder tucano vinha trabalhando nos bastidores para que o apresentador de TV encabeçasse uma candidatura de centro.

Brasil » Corrupção

Depoimento de Lula na Operação Zelotes é adiado mais uma vez

O desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região Néviton Guedes suspendeu, nesta quinta-feira, 15, os interrogatórios do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de seu filho, Luis Claudio, marcados para dia 20 de fevereiro pela 10ª Vara Federal de Brasília, no âmbito da Operação Zelotes. A decisão atende a pedido da defesa do petista.

O magistrado converteu em definitiva a decisão liminar que já havia dado em outubro do ano passado. O juiz federal Vallisney de Oliveira havia marcado o interrogatório do ex-presidente e de seu filho Luis Claudio para 30/10 e 03/11 de 2017.

Brasil » Política

Ex-ministro do STF que agora faz parte da defesa diz que perseguição a Lula é a pior desde Getúlio Vargas

Ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Sepúlveda Pertence disse, nesta terça-feira, 6, que ainda vai avaliar a estratégia para a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas adiantou que não é seu estilo ser agressivo. Criminalista, considerado um dos maiores especialistas em processo penal do Brasil, Sepúlveda afirmou que a situação do petista é uma perseguição. “É pior, a maior (perseguição) desde Getúlio Vargas”, disse.

Convidado pelo advogado Cristiano Zanin Martins, responsável até aqui pela defesa de Lula, Sepúlveda disse que ainda vai conhecer o processo e combinar “com os companheiros” o que pode mudar na defesa.

Ao ser comparado com Zanin e questionado se adotará também uma linha mais agressiva, Sepúlveda rebateu: “não é meu estilo”. O ex-ministro minimizou o fato de que vai comandar a estratégia e disse que ela será combinada com os outros advogados.
Sepúlveda não quis comentar as declarações do novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Luiz Fux, que, na solenidade de posse, fez uma defesa enfática da aplicação da Lei da Ficha Limpa e disse que “ficha suja está fora do jogo democrático”. “Isso será discutido ainda. Agora chega”, disse a jornalistas, durante sessão de cumprimentos a Fux no TSE.

Reforço. O reforço na defesa de Lula com a chegada de Sepúlveda contou com o aval do próprio ex-presidente. Conforme o Estado adiantou no dia 28 de janeiro, o nome de Sepúlveda vinha sendo cogitado para integrar a defesa do ex-presidente desde antes da condenação a 12 anos e um mês de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

Segundo pessoas próximas ao ex-ministro do STF, não houve acordo, porque Sepúlveda defendia o banqueiro André Esteves, o que poderia gerar conflito de interesses. Advogados, contudo, relataram que o motivo da divergência foi o fato de Zanin não abrir mão de fazer a sustentação oral no TRF-4.

Após a confirmação da condenação em Porto Alegre pela 8ª Turma do tribunal, que aumentou a pena imposta a Lula pelo juiz Sérgio Moro, as pressões aumentaram. Dirigentes petistas passaram a defender a contratação de um “medalhão”, já que Zanin nunca foi especialista em direito criminal.

ESTADÃO
Brasil

VÍDEOS: Gilmar Mendes é hostilizado em voo entre Brasília e Cuiabá

A principal crítica dos presentes era quanto a soltura de diversos investigados, em sua maioria por corrupção

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi alvo de protestos por passageiros durante um voo. No vídeo, que circula na internet e em grupos de WhatSapp, um passageiro diz: “Polícia Federal para ele. O amigo do Daniel Dantas, do Aécio Neves”.

Mais ao fundo, uma passageira provoca: “Vergonha para família”. Em outro momento do voo, os passageiros entram no coro de “fora Gilmar”. Calado, o ministro apenas sorri, sem rebater às provocações. Ainda não se sabe quando o vídeo foi gravado e nem o destino do voo. Procurada, a assessoria do magistrado informou que ele não comentaria o caso.

Gilmar foi responsável, entre outros casos, pela soltura de figuras conhecidas como o ex-ministro José Dirceu, o empresário Eike Batista, o médico Roger Abdelmassih e o banqueiro Daniel Dantas. No ano passado, o ministro também mandou soltar, duas vezes em menos de 24h, o empresário Jacob Barata Filho, magnata do transporte público do Rio, preso por corrupção. Em 2013, o ministro foi padrinho de casamento da filha de Barata.

33 Ligações para Aécio

Um relatório da Polícia Federal mostra que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o ministro Gilmar Mendes fizeram 33 telefonemas entre 16 de março e 13 de maio de 2017. As ligações foram feitas pelo aplicativo Whatsapp, e em período que o tucano passou a ser investigado pela suspeita de receber propina da JBS e alvo de uma operação da PF.

Brasil » Corrupção » Justiça

LAVA JATO: Entenda como vai ser o julgamento de Lula

O julgamento da apelação criminal do ex-presidente Lula – condenado pelo juiz Sérgio Moro a 9 anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro – e mais seis réus terá início às 8h30 da quarta-feira, 24, na sala de sessão da 8.ª Turma, na sede do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF4), em Porto Alegre. O processo será o único julgado nesta sessão, a primeira da 8.ª Turma em 2018.

As informações foram divulgadas pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região.

Caso confirmada a condenação de Lula, a determinação de execução provisória da pena pelo TRF4 só ocorrerá após o julgamento de todos os recursos do segundo grau.

Os recursos possíveis são os embargos de declaração, utilizados pela parte com pedido de esclarecimento da decisão, e os embargos infringentes. Este último só pode ser pedido quando a decisão for por maioria e ‘tenha prevalecido o voto mais gravoso ao réu’.

Por meio deste recurso o réu pode pedir a prevalência do voto mais favorável.

Os embargos infringentes são julgados pela 4.ª Seção do TRF4, formada pelas 7.ª e 8.ª Turmas, especializadas em Direito Penal, e presidida pela vice-presidente da Corte.

O processo envolve o suposto favorecimento da Construtora OAS em contratos com a Petrobrás.

A força-tarefa da Operação Lava Jato sustenta que a empreiteira pagou propina de R$ 3,7 milhões ao PT e ao ex-presidente, por meio do apartamento triplex do Guarujá e do depósito do acervo presidencial.

As imputações são de corrupções ativa e passiva e de lavagem de dinheiro.

Esta será a 24.ª apelação julgada pela Corte federal contra sentenças oriundas da Operação Lava Jato. A condenação de Lula chegou ao Tribunal em 23 de agosto.

Além de Lula, recorreram da sentença de Moro o ex-presidente da OAS, José Aldemario Pinheiro Filho – condenado a 10 anos e 8 meses de prisão -, o ex-diretor da área Internacional da empreiteira, Agenor Franklin Magalhães Medeiros (6 anos), e o ex-presidente do Instituto Lula Paulo Okamotto, absolvido em primeira instância, mas que requer troca dos fundamentos da sentença.

O Ministério Público Federal recorreu contra a absolvição em primeira instância de três executivos da OAS: Paulo Roberto Valente Gordilho, Roberto Moreira Ferreira e Fábio Hori Yonamine.

A sessão começa com a abertura do presidente da 8.ª Turma, desembargador federal Leandro Paulsen.

Após, o relator, desembargador federal João Pedro Gebran Neto, faz a leitura do relatório do processo. Em seguida, ocorre a manifestação do Ministério Público Federal que, levando em conta que recorre quanto à situação de diversos réus, terá o tempo de 30 minutos.

Depois, é a vez dos advogados de defesa, com tempo máximo de 15 minutos cada réu.

Ao todo será disponibilizada uma hora para o conjunto das sustentações orais da defesa, de modo que possam reforçar oralmente, nesta sessão, suas razões e seus pedidos.

A seguir, Gebran lê o seu voto e passa a palavra para o revisor, desembargador Leandro Paulsen, que dá o voto.

Paulsen é seguido pela leitura de voto do desembargador federal Victor Luiz dos Santos Laus.

Paulsen, que é o presidente da turma, proclama o resultado.

Pode haver pedido de vista. Neste caso, o processo será decidido em sessão futura, trazido em mesa pelo magistrado que fez o pedido.

Estadão
Brasil » Esporte » Jiu Jitsu

‘DIABO LOIRO’: Curraisnovense é considerado a lenda do Vale-Tudo no Brasil

O mito do “Diabo Loiro” é referenciado até hoje pelos amantes do MMA

No início da década de 40, nascia em uma comunidade rural de Currais Novos um galego franzino, que mais tarde se tornaria o imbatível “Diabo Louro”, virando a sensação de todos os tempos do vale-tudo, hoje MMA (Artes Marciais Mistas). Poucas pessoas em sua cidade natal conhece a sua história. Euclides nasceu na comunidade Malhada Limpa, em 7 de maio de 1941, e muito cedo perdeu os pais. Passou uma temporada com o padrinho Monsenhor Paulo Herôncio, que o enviou para estudar no colégio Salesiano, em Natal. Posteriormente, o menino “briguento” foi transferido para Fortaleza, onde aprendeu o ofício de marceneiro, mas sem muita vocação para os estudos, foi parar em Recife, onde sua vida tomaria um outro rumo. Em frente a uma pensão que morava, uma academia do mestre Jurandir Moura, responsável por incorporar o Jiu-Jitsu no Nordeste, chamou sua atenção. Um convite dos filhos de Jurandir, que também moravam na pensão, foi o suficiente para levá-lo ao mundo do vale-tudo.

Euclides Pereira começou a lutar em 1958, aos 19 anos, e dedicou 25 anos da sua vida aos ringues. Segundo os relatos, lutou 530 vezes sem perder um único embate. Com pouco mais de 70 quilos e 1,75m, enfrentou e venceu oponentes com quase o dobro do peso. Sua fama começou na TV Ringue Torre, em Recife, onde começou como segurança, e depois de uma luta de apresentação, virou sensação. Todas as segundas-feiras ele desafiava um lutador e lá se foram mais de 100 lutas sem jamais ser derrotado. O programa acabou em 1966, mas Euclides já era um fenômeno. Percorreu quase todo o Brasil enfrentando adversários de todos os tipos: “Eu era chamado para lutar e muitas vezes nem sabia quem era, na hora eu resolvia”, disse o campeão, que venceu lutadores conhecidos como Ivan Gomes, Dedy Balbino, Waldemar Santana, Rei Zulu, King Kong e Takeo Yano, entre outros, terminando sua carreira invicto.

O segredo de Euclides na hora de criar o seu estilo “Vale-Tudo Nordestino”, foi se aperfeiçoar unindo várias artes marciais, além do Jiu-jitsu, boxe, capoeira, Karatê, luta livre e judô, hoje essa junção é chamada de “cross-training”, e ele já praticava na década de 60.

A Bahia sempre lhe trouxe ótimas conquistas. Foi na “Terra de Todos os Santos”, que conheceu sua esposa Vânia Simões, com quem teve três filhos e viraria sua fiel escudeira na sua carreira. Foi em Salvador também, no ginásio da Fonte Nova, que ele fez a sua principal luta da carreira, considerada épica pelos amantes do MMA, enfrentando Carlson Gracie, da família Gracie, famosa no mundo todo por dominar a arte do jiu-jitsu. No dia 6 de setembro de 1968, após quase perder a luta por estrangulamento, Euclides reagiu e depois de três rounds, o “Diabo Loiro” venceu, com folga, por pontos, o até então imbatível “Garoto de Ouro” da família Gracie, se consagrando e virando, em definitivo, um mito. “Ele nunca reconheceu a derrota, chegou no Rio de Janeiro dizendo que tinha sofrido um acidente de carro, e eu queria a revanche, mas ele nunca aceitou”, disse Euclides.

Sua vitória contra o Carlson Gracie registrada em jornal da época. (Foto: Arquivo Pessoal)

Após as conquistas no Nordeste, o curraisnovense, através de um amigo, o Índio, seguiu para a recém-inaugurada Brasília, onde arrumou um emprego no Senado e enfrentou nomes de peso, como Waldemar Santana. Segundo ele, apesar do enorme sucesso não ganhou dinheiro com vale-tudo, e devido a isso, chegou a passar por dificuldades financeiras. “Eu era muito ingênuo, fechava os contratos de boca e no final ninguém pagava. Só a luta com Carlson Gracie rendeu R$ 23 milhões, até hoje espero o dinheiro”, falou.

Euclides Pereira aposentou-se do vale-tudo aos 40 anos, com a mesma arma usada na primeira luta: uma guilhotina, contra Hércules. Fã assumido do UFC, é um admirador dos lutadores Anderson Silva, Minotauro, Júnior Cigano e Lyoto Machida, lutadores que segundo ele, tem o seu estilo de luta. O campeão, hoje com 76 anos, curte a aposentadoria em Brasília, onde mora com a esposa desde 1970.

Ele revelou para nossa Revista, que nunca largou as artes marciais. Continua treinando e também dando palestras. Há dez anos visitou sua terra natal, e tem vontade de voltar, mas sob uma condição: quando chover.

Euclides Pereira se tornou um ícone brasileiro do Jiu Jitsu e Vale-tudo. (Foto: Arquivo pessoal)

Fátima Souza - Revista Pulsação / Blog Jean Souza
Brasil » Economia

ILUSÃO: 80% dos concursos da Mega-Sena não tem vencedor

Dos 110 concursos no ano passado, apenas 22 tiveram acertadores

Aumentaram as suspeitas envolvendo os sorteios da Mega-Sena pelo insustentável sigilo dos nomes dos ganhadores: levantamento indica que 80% dos sorteios de 2017 não tiveram ganhador. Dos 110 concursos no ano passado, apenas 22 tiveram acertadores (nas seis dezenas). A maioria dos prêmios sai após cinco acúmulos, em média. Em 2018, o primeiro pagamento saiu apenas no quarto sorteio.

Ao todo, foram 43 apostas vencedoras da Mega-Sena durante todo o ano passado, 17 só na Mega da Virada. Nenhum nome foi divulgado.

Na Mega da Virada houve três apostas vencedoras na mesma lotérica. A Caixa jura que o problema foi “validação” de um bilhete três vezes.

Cerca de 10% do prêmio não são pagos nos sorteios de forma alguma e acumula até cinco vezes antes de ser pago em concursos específicos.

Cláudio Humberto
Brasil » Direitos Humanos

Levantamento aponta recorde de mortes por homofobia no Brasil em 2017

Em 2017, 445 lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBTs) foram mortos em crimes motivados por homofobia. O número representa uma vítima a cada 19 horas. O dado está em levantamento realizado pelo Grupo Gay da Bahia (GGB), que registrou o maior número de casos de morte relacionados à homofobia desde que o monitoramento anual começou a ser elaborado pela entidade, há 38 anos.

Os dados de 2017 representam um aumento de 30% em relação a 2016, quando foram registrados 343 casos. Em 2015 foram 343 LGBTs assassinados, contra 320 em 2014 e 314 em 2013. O saldo de crimes violentos contra essa população em 2017 é três vezes maior do que o observado há 10 anos, quando foram identificados 142 casos.

Também nesta quinta-feira (18) a organização não governamental Human Rights divulgou um relatório a respeito da violação dos direitos humanos no Brasil. O documento destaca que a Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos recebeu 725 denúncias de violência, discriminação e outros abusos contra a população LGBT somente no primeiro semestre de 2017.

Levantamento

O levantamento realizado pelo GGB se baseia principalmente em informações veiculadas pelos meios de comunicação. Na avaliação de Luiz Mott, fundador do Grupo Gay da Bahia e um dos autores do estudo, o fenômeno pode ser ainda maior, uma vez que muitos casos não chegam a ser noticiados.

“Tais números alarmantes são apenas a ponta de um iceberg de violência e sangue, pois não havendo estatísticas governamentais sobre crimes de ódio, tais mortes são sempre subnotificadas já que o banco de dados do GGB se baseia em notícias publicadas na mídia, internet e informações pessoais”, comenta.

Agência Brasil
Brasil » Corrupção » Justiça

Justiça não autoriza transmissão ao vivo do julgamento de Lula

A Justiça não autorizou a transmissão ao vivo do julgamento do ex-presidente Lula no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), marcado para o próximo dia 24, em Porto Alegre.

Por conta disso, segundo o jornal Folha de S. Paulo, a TV Globo decidiu não alterar sua grade de programação, ao contrário do que fez em eventos políticos recentes como as votações do impeachment de Dilma Rousseff e das denúncias contra o presidente Michel Temer.

Brasil

TÁ FORA! Justiça Federal suspende posse de Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho

A Justiça Federal do Rio suspendeu nesta segunda-feira (8) a posse da deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) como ministra do Trabalho. A decisão, em caráter cautelar liminar, é do juiz Leonardo da Costa Couceiro, da 4ª Vara Federal Criminal de Niterói.

A ação popular foi movida por João Gilberto Araújo Pontes, entre outros, após a denúncia de que Cristiane Brasil foi condenada a pagar R$ 60 mil por dívidas trabalhistas com dois ex-motoristas. O juiz fixou ainda multa de R$ 500 mil em caso de descumprimento da liminar.

Em seu despacho, o magistrado destaca que decidiu conceder a liminar sem ouvir os demais envolvidos “encontra-se justificado diante da gravidade dos fatos sob análise” e que a nomeação de Cristiane Brasil fere o princípio da moralidade administrativa.

“Em exame ainda que perfunctório, este magistrado vislumbra fragrante desrespeito à Constituição Federal no que se refere à moralidade administrativa, (…) quando se pretende nomear para um cargo de tamanha magnitude, Ministro do Trabalho, pessoa que já teria sido condenada em reclamações trabalhistas, condenações estas com trânsito em julgado”, escreveu Couceiro.

O juiz também observa que não compete ao Poder Judiciário examinar o mérito administrativo da nomeação de ministros, em respeito ao príncipio da separação de poderes, mas ressalta que este mandamento não é absoluto em seu conteúdo: “Deverá o juiz agir sempre que a conduta praticada for ilegal, mais grave ainda, inconstitucional, em se tratando de lesão a preceito constitucional autoaplicável”.

A Advocacia-Geral da União (AGU) informou que já prepara recurso contra a liminar que suspende a posse de Cristiane Brasil como ministra do Trabalho. Nesta segunda (8), antes da decisão judicial, Cristiane procurou o presidente Michel Temer para saber se sua indicação estava mantida. Segundo o blog da jornalista Andréia Sadi, o presidente teria garantido à deputada que estava decidido a nomeá-la para o ministério.

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!