Arquivos:

Ataques » Escola » Suzano

SUZANO: 13 dias após o ataque, estudantes retomam atividades na escola

Nesta terça-feira (26), a Escola Estadual Raul Brasil estará aberta para os estudantes em horário regular, até as 18h, com atividades pedagógicas de acolhimento. Eles serão recebidos com apresentação da Orquestra Locomotiva, dinâmicas, leitura de cartas de apoio, exibição e debate de filmes. De acordo com a Secretaria Estadual de Educação, ainda não há data para o retorno das aulas. A medida será definida pela direção da escola a partir do trabalho com os alunos e professores nesta semana.

As aulas foram suspensas no dia 13 deste mês, quando dois ex-alunos, de 17 e 25 anos, entraram na escola, encapuzados e armados, e promoveram um ataque que resultou, ao todo, na morte de dez pessoas – cinco estudantes e duas professoras. Os atiradores, que antes de invadir a escola mataram um empresário, também morreram na ação.

As atividades de retorno estavam sendo planejadas por cerca de 50 professores e funcionários da escola desde a semana passada e foram finalizadas nessa segunda-feira (25). Eles contaram com o apoio da secretaria de Educação e da equipe do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Moral (Gepem), que reúne pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Representantes de sala e do grêmio estudantil da escola – totalizando 19 alunos – participaram de um encontro nessa segunda para alinhar com a Diretoria de Ensino de Suzano e a Escola de Formação de Professores da Secretaria Estadual de Educação as próximas ações na escola.

Alunos e professores de outras escolas da cidade também estiveram na Raul Brasil pra prestar solidariedade. A Escola Estadual Inah Jacy de Castro Aguiar, por exemplo, enviou cartas de estudantes com mensagens de apoio. Já os alunos e professores do Colégio Nossa Senhora do Sagrado Coração entregaram flores e cartazes para os professores atingidos pelo atentado.

Acompanhamento

Terão continuidade nos próximos dias, os atendimentos individuais e coletivos feitos por técnicos do Centro de Referência e Apoio à Vítima (Cravi), da Secretaria Estadual de Justiça. Os acolhimentos de saúde mental serão oferecidos em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e em quatro Centros de Apoio Psicossocial da prefeitura de Suzano. A secretaria de Educação informou que está em tramitação um convênio entre o governo estadual e a prefeitura para reforçar esse atendimento.

De acordo com a secretaria, diversas instituições se colocaram à disposição para contribuir tanto no âmbito pedagógico quanto no suporte psicológico de alunos e funcionários. Além da prefeitura, do Caps, do Cravi, da Unicamp e da Unesp, estavam a Universidade Braz Cubas, a Universidade Cruzeiro do Sul; o Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, a Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Suzano; a Neuroconecte; o Conselho Regional de Psicologia; a Defensoria Pública; e a Universidade Federal Mato Grosso do Sul (UFSM).

EBC
Ataques » Ceará

Ônibus, carros e tratores são incendiados por criminosos no 24° dia de ataques no Ceará

Criminosos realizaram uma série de ataques contra veículos entre a noite de quinta-feira (24) e a manhã desta sexta-feira (25) em Fortaleza e Região Metropolitana. Na capital, homens armados assaltaram clientes de um posto de gasolina e, antes de fugirem, atearam fogo em um carro que estava estacionado no local. Bandidos também queimaram dois tratores, um ônibus e um micro-ônibus na capital e em Maracanaú. Já nesta manhã, uma van foi incendiada no Bairro Dias Macêdo, em Fortaleza. A violência no estado chegou ao 24º dia.

Desde o dia 2 de janeiro, quando começaram as ações criminosas, ocorreram 250 ataques contra ônibus, carros, prédios públicos, prefeituras e comércios em 50 dos 184 municípios cearenses. As ações começaram em Fortaleza e se espalharam para a Região Metropolitana e diversas cidades do interior. A Secretaria da Segurança Pública do Ceará confirmou que 414 pessoas já foram detidas por envolvimento nas ações criminosas.

Para tentar conter os ataques, o governo estadual convocou 1.200 policiais militares da reserva para reforçar a segurança nas ruas. O Ministério da Justiça enviou agentes da Força Nacional e reforço da Polícia Rodoviária Federal para o estado. Policiais militares e agentes penitenciários de outros estados brasileiros também foram deslocados ao Ceará após o início dos crimes.

O posto de combustível foi atacado por criminosos no Bairro Papicu por volta das 21h. Clientes que estavam no local foram assaltados por dois suspeitos, que, antes de fugir, incendiaram um dos carros estacionados no local. Câmeras de segurança do local registraram a ação crimosa.

Conforme um funcionário do estabelecimento, os suspeitos assaltaram cinco clientes que estavam na calçada da loja de conveniência. O fogo foi controlado por funcionários do posto de combustível. Apesar do ocorrido, não houve feridos nem danos à estrutura do estabelecimento.

Veículos incendiados

Na manhã desta sexta, criminosos incendiaram uma van na Rua Capitão João Ferreira Lima. Uma equipe do Corpo de Bombeiros foi acionada ao local e apagou as chamas.

Por volta das 22h de quinta-feira, dois homens invadiram o prédio do Centro Social Urbano (CSU) César Cals, localizado na Rua Coronel Matos Dourado, no Bairro Pici, em Fortaleza, e incendiaram dois tratores que estavam estacionados no local. A dupla pulou um muro que cerca a parte lateral do prédio e ateou fogo no estofado dos veículos.

As chamas foram apagadas por policiais militares com a ajuda de populares, que utilizaram baldes com água e conseguiram evitar que o fogo se espalhasse pelo prédio. Os tratores seriam usados em obras para a construção de um novo prédio. Os suspeitos fugiram em uma motocicleta.

Já na cidade de Maracanaú, na Região Metropolitana da capita, um micro-ônibus foi incendiado na Rua Chanceler Edson Queiroz, no Bairro Jardim Bandeirante. O veículo estava deixando funcionários de uma empresa na região, quando o motorista e oito passageiros que estavam no micro-ônibus foram rendidos por seis homens armados.

Um dos suspeitos atirou contra o veículo e o grupo ordenou que os passageiros deixassem do micro-ônibus. As chamas chegaram a atingir parte de uma fiação do local, mas não há informações de pessoas feridas. O Corpo de Bombeiros foi acionado para o local e conseguiu controlar o incêndio.

Por de 22h40, um ônibus foi incendiado em frente ao condomínio Alameda das Palmeiras, no Bairro Pedras, em Fortaleza. Por conta do incêndio, houve registro de explosões no ônibus, que ficou destruído. O fogo foi controlado por uma equipe do Corpo de Bombeiros.

G1 CE
Ataques » Ceará

Agentes aprendem 2.300 celulares nos presídios do Ceará após detentos ordenarem ataques

Agentes penitenciários apreenderam 2,3 mil celulares nos presídios cearenses nos últimos 22 dias, quando chefes de facção ordenaram uma série de ataques que ocorre no estado desde 2 de janeiro. Conforme a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), também foram recolhidas das unidades aparelhos de televisão e materiais ilícitos, como armas brancas.

Desde o início do ano ocorreram 232 ataques contra ônibus, carros, prédios públicos, prefeituras e comércios em 50 dos 184 municípios cearenses. As ações começaram em Fortaleza e se espalharam para a Região Metropolitana e diversas cidades do interior.

Em mensagens de áudio nos celulares apreendidos, os policiais identificaram as ordens para os ataques de dentro das unidades prisionais. “Uns toca fogo na prefeitura, uns toca fogo nas coisa lá dos policial, tá ligado?”, diz uma das mensagens.

O reforço na vistoria das cadeias faz parte de estratégia da SAP para interromper a comunicação e a troca de informações entre detentos e criminosos fora da prisão.

Outra ação da pasta é a desativação de 84 unidades prisionais em todo o Ceará. Há ainda a possibilidade de fechamento de outras cadeias públicas. Mais de 2.500 presos foram realocados em outras prisões. Outros 39 presos, considerados de alta periculosidade, foram transferidos para presídios federais.

Os agentes federais que trabalhavam nas unidades fechadas serão redistribuídos para dar suporte a todo o sistema penitenciário.

Novas regras para visitas

Uma outra ação da SAP é implantar novas regras de entrada de alimentos e objetos nos presídios durante as visitas. Uma das medidas é a restrição de alimentos extras, que agora só poderão ser levados para o consumo de internos e visitantes durante a visita. Nos demais dias, a alimentação será restrita às cinco refeições diárias fornecidas pelo estado.

“O Ceará é um dos estados com maior número diário de refeições dentro das unidades. Isso permite restringirmos e assegurarmos que a alimentação não seja usada como meio de comércio, gerando renda para o crime organizado; e dar continuidade ao enfrentamento maciço do crime dentro do sistema penitenciário do Ceará”, afirma o secretário Mauro Albuquerque.

G1 CE
Ataques » Ceará

Sobe para 399 número de presos por ataques criminosos no Ceará

As ações de facções criminosas deixaram em alerta todo o estado

Subiu para 399 o número de pessoas presas ou apreendidas por suspeita de participação na onda de ataques no Ceará desde o dia 2 de janeiro, segundo balanço da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do estado divulgado hoje, 19.

Desde o início da onda de violência, que atinge municípios em todo o estado, suspeita-se que a ordem para os ataques parta de presídios onde estão líderes de facções criminosas.

Na madrugada deste sábado, décimo oitavo dia de ataques, criminosos provocaram uma explosão em uma ponte em Fortaleza. Ontem, 18, três homens foram presos após incendiar um ônibus na capital.

As ações de facções criminosas deixaram em alerta todo o estado. Prédios públicos, viadutos, estradas, ônibus e locais com veículos foram incendiados ou atingidos de alguma forma pelos grupos.

Convocados pelo governo do Ceará para reforçar a segurança pública, 800 dos cerca de 1.200 policiais militares da reserva apresentaram-se à corporação, em Fortaleza, na manhã desta sexta-feira. E 150 já voltaram a patrulhar as ruas da capital do estado, alvo de ataques criminosos organizados.

Na quinta-feira, 17, o governador do Ceará, Camilo Santana, pediu ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, o reforço do apoio dado pelo governo federal no combate aos ataques promovidos por facções. Homens da Força Nacional de Segurança Pública reforçam as ações de seurança no Ceará desde o início deste mês.

A ofensiva teria começado em reação à nomeação do secretário de Administração Penitenciária, Luís Mauro Albuquerque, e às medidas anunciadas como a não separação de presos em presídios por facção.

Agora RN
Ataques » Ceará

Governador do Ceará Camilo Santana, pede a Moro reforços contra ataques

O governador do Ceará, Camilo Santana, pediu ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, o reforço do apoio dado pelo governo federal no combate aos ataques promovidos por facções desde o início do mês no estado. A ofensiva teria começado em reação à nomeação do secretário de Administração Penitenciária, Luís Mauro Albuquerque, e às medidas anunciadas como a não separação de presos em presídios por facção.

Santana solicitou mais 90 agentes penitenciários para as ações nos presídios do estado, além da manutenção da Força Nacional e dos agentes enviados pelo governo federal. No dia 4 de janeiro, o ministro da Justiça enviou inicialmente 300 homens, efetivo que foi acrescido de outros 106 dois dias depois.

“A gente foi fazer um diagnóstico da situação e solicitações de reforço de agentes penitenciários para as unidades prisionais do Ceará e a necessidade de manter, mesmo com a queda significativa das ações, o estado de alerta e monitoramento tanto das forças do estado quanto como também a presença da Força Nacional”, informou o governador do Ceará, após encontro com Moro.

Quanto ao prazo da presença da Força Nacional no estado, Santana disse que não houve acerto para a prorrogação. A permanência inicial definida foi de 30 dias, cujo encerramento seria no início de fevereiro. De acordo com o governador, a situação será avaliada até o fim desse período para ver se haverá necessidade de prorrogação.

Medidas

Camilo Santana disse que os ataques diminuíram, citando como exemplo o dia de ontem (16), quando foram registradas duas ocorrências. Contudo, a onda chegou hoje ao 15º dia sem perspectiva de encerramento.

O governador defendeu as ações adotadas pelo governo estadual, como a implantação da Lei de Execução Penal nas penitenciárias, a transferência de líderes de facções para presídios federais, o policiamento ostensivo nas ruas e o emprego de inteligência para evitar ataques. Santana adicionou a sanção da lei da recompensa, a convocação de militares da reserva e o aumento do limite de horas extras para oficiais e agentes.

Desafios

O governador reiterou que é preciso um esforço coordenado nacional, já que “o crime ultrapassou a fronteira dos estados”. “Nenhum estado, sozinho, vai combater o crime organizado. A criação do Sistema Único de Segurança Pública no ano passado foi um passo importante. É preciso chamar o Poder Judiciário e revisar algumas leis do país, como a Lei Antiterrorismo”.

Santana destacou também como desafio a atuação na prevenção, com políticas públicas como na área de educação. “São jovens que estão matando e estão morrendo, estão sendo aliciados pelo tráfico. Nenhum país do mundo resolveu problema da segurança sem prevenção, sem dar oportunidade para juventude”, acrescentou.

Agência Brasil

Últimos Eventos

03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube
08/07/2017
Parque Exposições - Fotos: Mazilton Galvão

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!