Arquivos:

Alimentação » Investigação » Polícia Federal

JBS suspende produção de carne bovina em 33 das 36 unidades do país

A JBS suspendeu a produção de carne bovina em 33 das 36 unidades do país por três dias, desta quinta-feira (23) até sábado (25). A empresa disse que o objetivo é ajustar a produção até que haja uma decisão sobre as restrições, adotadas por vários países, à importação de carne brasileira (veja nota na íntegra mais abaixo).

Países da União Europeia, China e Coreia do Sul, entre outros, decidiram barrar temporariamente a compra de carne do Brasil, após a Operação Carne Fraca, que apontou irregularidades em frigoríficos pelo país. Nos últimos dias, a exportação de carne brasileira despencou.

No ano passado, 40% da receita da JBS Mercosul, unidade do grupo que produz carne bovina, veio de exportações – o equivalente a R$ 11,5 bilhões.

A fábrica da Seara, do grupo JBS, em Lapa (PR), é uma das investigadas na operação. A Polícia Federal apura irregularidades no procedimento de certificação sanitária. Além da Seara, a JBS é responsável pela produção dos produtos da Friboi e Swift. O grupo tem dito que não compactua com desvios de conduta de seus funcionários e tomará todas as medidas cabíveis.

A suspensão temporária da produção afeta unidades do grupo em vários estados. Apenas em Anastácio (MS), em Diamantino (MT) e Itapetinga, na Bahia, mantiveram a produção.

Na próxima semana, a companhia disse ao G1 que deve operar em todas as unidades com uma redução de 35% da capacidade produtiva.

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em Mato Grosso do Sul, a média de abates de fevereiro foi de 249.276 bovinos. Desse total, as sete unidades da JBS foram responsáveis por abater 119.211 animais, quase metade da produção do estado.

Confira abaixo a nota da JBS na íntegra:

“A JBS confirma que suspendeu, por três dias, a produção de carne bovina em 33 unidades das 36 que a empresa mantém no país. Para próxima semana, a Companhia irá operar em todas as suas unidades com uma redução de 35% da sua capacidade produtiva. Essas medidas visam ajustar a produção até que se tenha uma definição referente aos embargos impostos pelos países importadores da carne brasileira. A JBS ressalta que está empenhada na manutenção do emprego dos seus 125 mil colaboradores em todo o Brasil”.

G1
Alimentação

Restaurantes populares do Rio Grande do Norte terão novo cardápio

Os Restaurantes Populares do Rio Grande do Norte terão novo cardápio a partir do próximo mês. Os pratos que serão servidos foram definidos conjuntamente em reunião com as nutricionistas das empresas que fornecem a alimentação dos Restaurantes Populares. A ideia é padronizar o serviço oferecido aos trabalhadores.

Em parceria com as empresas fornecedoras da alimentação, estão em andamento outras mudanças, como: pontualidade e padronização do horário de funcionamento de todas as unidades e cumprimento de normas sanitárias. No Rio Grande do Norte existem 24 Restaurantes Populares em 20 municípios, sendo três em Natal. Diariamente são servidas cerca de 19.500 refeições ao preço simbólico de R$ 1,00. Mas a refeição é subsidiada pelo Governo do Estado e chega a custar até R$ 8 aos cofres públicos.

Alimentação » Restrição

Anvisa determina interdição de lote de produto alimentar para crianças

Interdição cautelar do produto Alimento em Pó para Dietas com Restrição de Fenilalanina foi feita pela Anvisa.

Interdição cautelar do produto Alimento em Pó para Dietas com Restrição de Fenilalanina foi feita pela Anvisa.

Resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária publicada hoje (20) no Diário Oficial da União determina a interdição cautelar do produto Alimento em Pó para Dietas com Restrição de Fenilalanina, indicado para crianças de 1 a 8 anos, marca Profenil 2, lote 07N042 22 (validade: 07/2015), fabricado por Dynamic Lab Indústria Farmacêutica Ltda.

De acordo com o texto, a Divisão de Vigilância Sanitária de Alimentos do Paraná comunicou casos de reações adversas em crianças com fenilcetonúria possivelmente associadas ao consumo do produto Profenil 2, lote 07N042 22.

O órgão também considerou ata de análise fiscal do produto emitida pelo Instituto de Tecnologia de Alimentos que não identificou a presença do aminoácido isoleucina na composição do produto, apesar de constar da lista de ingredientes. Relatório de ensaio emitido pelo laboratório SGS Institut Fresenius a pedido da Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional também não identificou a presença do aminoácido isoleucina na composição do lote.

Gláucia Lima
Alimentação » Natal » Saúde

Projeto “Segunda do peixe” é aprovado pela Câmara Municipal de Natal

Sessão que aprovou a "Segunda do Peixe" em Natal (Foto: Elpídio Júnior).

Sessão que aprovou a “Segunda do Peixe” em Natal (Foto: Elpídio Júnior).

Na sessão realizada nesta quarta-feira (18), a Câmara Municipal de Natal aprovou o projeto de lei “Segunda do peixe”, de autoria do vereador Bispo Francisco de Assis (PSB). Tudo para diversificar o cardápio das escolas municipais da capital potiguar. Os representantes da Comissão de Educação, Cultura e Desporto se abstiveram da votação, por entenderem que o assunto não deveria ser tratado como Projeto de Lei, mas, sim, via requerimento. A vereadora Amanda Gurgel (PSTU) votou contra.

Do blog: O peixe, além de ser um alimento gostoso, é altamente nutritivo, rico em sais minerais tais como ferro, iodo, magnésio, cálcio, sódio, fósforo etc, e em vitaminas A, E, D, B2, B3, B12 e ácido fólico, fundamentais para o bom funcionamento o corpo. Os principais benefícios de comer peixe são melhorar a memória, a concentração, prevenir doenças cardiovasculares e aumentar as ações anti-inflamatórias porque ele tem omega 3, que é um componente importante para todos estes processos. Que tal esse projeto de lei se expandir para outras cidades? Que tal Currais Novos? Seria uma ideia super interessante.

Alimentação » Brasília » Copa do Mundo

Intoxicação alimentar: Voluntários da Copa passam mal após comer refeição em Brasília

Segundo notícia veiculada pelo portal Agência Brasil, cerca de trinta e seis voluntários da Copa do Mundo passaram mal após comer refeição no sábado (14) servida no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília, por uma empresa terceirizada contratada pela Fifa. O caso aconteceu um dia antes do jogo entre Equador e Suíça, no Estádio do Mané Garrincha.

Segundo o gerente de Alimentos da Vigilância Sanitária do Distrito Federal, André Godoy, foram servidas 300 refeições compostas de arroz, feijão, carne, frango e macarrão com molho branco. Os voluntários relataram que na madrugada de domingo (15), começaram a apresentar diarreia, vômito e dores abdominais. O alimento congelado servido aos voluntários vem de São Paulo. Para Godoy, a falha pode ter ocorrido na etapa da produção ou na distribuição da comida no ginásio. As amostras de alimentos foram enviadas para um laboratório e o resultado deve estar pronto amanhã (18).

Em nota, a Fifa informou que o Comitê Organizador Local está prestando todo o apoio necessário para que a Vigilância Sanitária do Distrito Federal (DF) possa apurar o que causou o mal-estar, mas todos os voluntários já passam bem.

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!