Arquivos:

5G » Brasil

Anatel aprova edital para licitação de tecnologia: Brasil terá 5G em 2022

Uma conexão de internet móvel mais rápida, ágil e econômica. E com uso em diversas áreas, como transportes e telemedicina. É o que promete a tecnologia 5G, uma realidade em muitos países e que está chegando ao Brasil.

Em telecomunicações, o 5G é o padrão de tecnologia de quinta geração para redes móveis e de banda larga que as empresas de telefonia celular começaram a implantar no fim de 2018. O 5G é o sucessor planejado das redes 4G, que fornecem conectividade para a maioria dos dispositivos atuais.

Ainda será leiloada a empresa que ficará responsável pela implantação da tecnologia no país.

Sobre o 5G e as respectivas inovações, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, concedeu uma entrevista à nossa equipe.

Já existe prazo para o leilão do 5G?

Sim. O leilão já saiu da Anatel [Agência Nacional de Telecomunicações]. Está indo agora para o TCU [Tribunal de Contas da União], que vai ter em torno de 60 dias para fazer as observações finais. Ele retorna para a Anatel e, em 40 dias, nós teremos o leilão. Estamos falando em 100, 120 dias. Em junho, julho no máximo, nós estaremos realizando o leilão de 5G no Brasil.

Quando os brasileiros começarão a ter acesso a essa tecnologia 5G?

Nós colocamos em uma das obrigações no edital para que nós tenhamos a 5G no Brasil em todas as capitais funcionando, o 5G standalone, que é o 5G plus, de maior qualidade, até junho do ano que vem. Em junho de 2022, teremos, nas 27 capitais do Brasil, o 5G puro funcionando e antes disso a solução híbrida, que é o 5G standalone, que é um 5G que aumenta a velocidade. Tem outro que, além da velocidade, com a latência muito baixa que vai ser possível utilizar com a internet das coisas, é a comunicação de coisa com coisa.

Quais são as principais diferenças dessa tecnologia 5G? Quais são os benefícios para o país?

No 4G, nós temos o Facetime, mensagens de áudio, você pode se comunicar com qualquer pessoa em qualquer lugar do mundo instantaneamente. O 4G veio para as pessoas. E o 5G não. Ele veio para mudar a vida das indústrias. Vai ser uma revolução nas indústrias. Nós teremos as empresas tendo um alto ganho de produtividade. Toda a cadeia de produção das empresas irá se comunicar. Por exemplo, nós teremos uma telemedicina a distância funcionando. Aqui em Brasília, um médico pode fazer uma cirurgia em uma sala. Se tiver uma sala de cirurgia no meio da Amazônia, por exemplo, ele pode fazer a operação daqui. Porque com o 5G funcionando, o standalone tem uma latência muito baixa. Por que não faz hoje? Porque hoje com um erro de um milímetro de um lado ou para o outro, nós podemos perder uma vida. Então, o 5G standalone, a latência é muito baixa, então não tem erro de intervalo de tempo. Tem uma precisão muito grande. Nós teremos carros sem motoristas, que são os veículos autônomos, as cirurgias a distância, o aumento da conectividade rural, as empresas do agrobusiness vão crescer muito. E várias outras empresas terão a oportunidade de evoluir. Eu digo que o 5G vem para as empresas e as indústrias.

Para operar o 5G no Brasil, as empresas vencedoras têm que cumprir algumas obrigações definidas pelo Ministério das Comunicações para democratizar ainda mais a internet. Quais são essas obrigações?

No começo da crise sanitária, nós chegamos ao aumento de quase 50% de pessoas que utilizam a internet. Nós fomos capazes de oferecer o serviço. O Presidente Bolsonaro baixou um decreto, tornando telecomunicações um serviço essencial, o que foi importante para que as empresas pudessem fazer todos os serviços nos estados. E com isso a gente também observou que as pessoas começaram a fazer home office, ensino a distância, falando com os parentes a distância, visitando e matando as saudades das pessoas que moravam longe. Observamos que tem 45 milhões de brasileiros, 20% do Brasil, que não tem internet, que não tem nenhum acesso. Então, nós colocamos nas obrigações primeiro que nós possamos levar internet para todas as localidades acima de 600 habitantes. São 16 mil localidades. Todas elas terão internet 4G até 2028. Nós iremos fazer o Norte Conectado, que é a região que tem menos acesso à internet. Só o Norte Conectado vai atender 10 milhões de pessoas, quase 25% do gap que nós temos no Brasil. 48 mil km de rodovias federais, rede privativa de governo, além do 5G standalone que vai chegar para modificar a vida das empresas.

Ministro, no mês passado, o senhor liderou a missão brasileira a países da Europa e da Ásia justamente para conhecer de perto fabricantes de 5G. Quais foram os resultados?

Foi muito importante. Primeiro porque levamos o TCU. O TCU montou um grupo de trabalho. Nós tivemos a condição de que o TCU tirasse algumas dúvidas in loco nas empresas. Até porque ele tem, por lei, até 150 dias para se manifestar. Com a viagem, eles disseram que reduziriam em 90 dias. O Brasil ganhou três meses de presente de antecipação do 5G. E nós visitamos as empresas. Até para saber qual é a diferença do 5G standalone. Como funciona uma empresa conectada? A gente pode observar, na Nokia, na Finlândia, o inimaginável para mim: o 6G funcionando! Eu tive a oportunidade de observar essa mudança mais à frente. Nem vamos falar sobre o 6G para não confundir. Mas foi importante para ver o que queremos no Brasil. Tem empresa que tem expertise maior em rede privativa, outra com expertise maior na conectividade rural no campo. Então nós temos hoje um diagnóstico. Mas, deixando bem claro, as empresas não entram no leilão. Quem participa são as teles: a Claro, a Vivo e a Tim, porque a Oi móvel foi vendida para essas 3 operadoras. Depois que elas ganham o leilão é que elas vão adquirir os equipamentos.

por Ministério das Comunicações
5G

Ministro confirma leilão do 5G em julho e sua operação até meados de 2022

O que falta para a revolução do 5G chegar ao Brasil. Entenda a nova rede

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, afirmou nesta quarta-feira (17) que o leilão do 5G no país deverá ocorrer até o meio do ano. “O leilão já saiu da Anatel e está indo para o Tribunal de Contas da União. Em junho ou julho, no máximo, estaremos realizando o leilão do 5G no Brasil”, afirmou.

”Teremos o 5G standalone – de maior qualidade – funcionando em todas as capitais brasileiras até junho de 2022. Antes disso, a solução híbrida – non-standalone [estará disponível]”, declarou Fábio Faria, durante entrevista ao programa de rádio “A Voz do Brasil”.

O ministro explicou que a Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) estará amplamente disponível apenas em 2022, o que possibilitará procedimentos médicos delicados à distância, sistemas de direção automática de carros e demais tecnologias de automação e inteligência artificial que necessitam de baixa latência (velocidade entre a transmissão e a recepção de informações) na internet brasileira.

Democratização da internet

Segundo a avaliação do ministro, o decreto que transformou as telecomunicações em serviços essenciais foi crucial durante o período de pandemia – período em que o uso da internet para trabalho, aprendizado e contato social apresentou alta significativa. Com o objetivo de aumentar o alcance e o uso da internet por populações de regiões isoladas e de baixo índice socioeconômico, o ministério criou metas para levar conectividade para todas as cidades com população acima de 600 habitantes.

“São 16 mil localidades que receberão internet 4G até 2028. O plano Norte Conectado para a Região Norte – que tem menos acesso à internet – deve atender 10 milhões de pessoas, quase 25% do gap [buraco] que temos no serviço de internet no Brasil”, explicou.

Vacinas

Em viagem de intercâmbio para observar implementações já executadas do 5G, o ministro afirmou que aproveitou a oportunidade para conhecer fábricas e iniciativas de produção de vacinas contra covid-19, além de articular a aceleração, entrega e troca de tecnologias dos imunizantes produzidos na Europa e na Ásia.

Wi-Fi Brasil

Segundo informou Faria, o chamado “deserto digital brasileiro” está sendo extinto aos poucos. “Conseguimos levar 13.600 pontos de internet para escolas rurais, que estavam sem condições de operar e hoje contam com internet. Postos de saúde, zonas rurais. Até termos uma internet de alta qualidade, usamos o programa Wi-Fi Brasil para reduzir o tamanho dos desertos digitais – o que tem sido bastante proveitoso.”

Desestatização dos Correios

Sobre o Projeto de Lei (PL) dos Correios, Fábio Faria afirmou que segue o ministério segue a agenda liberal do governo, e que a palavra final sobre as parcerias e desestatizações será do Congresso Nacional. “Não definimos regras, apenas princípios [sobre o PL dos Correios]. Quem é soberano para tratar o tema é o Congresso. A consultoria nos dará assistência em relação ao tema e, como ministro, meu papel é participar das reuniões, tirar dúvidas. A palavra final é do Congresso”, argumentou.

Sobre funcionários, fornecedores e equipes que trabalham nas empresas, Faria afirmou que haverá um cuidado especial do governo ao lidar com o tema, e que todos as partes poderão ser ouvidas no processo. “Assusta muito quando falamos em modelo de privatização. Estamos estudando o mundo inteiro, o que tem acontecido com as privatizações. A maioria delas não tem corte de funcionários, pelo contrário, tem aumento de produção. Tem eficiência maior, se expandem. Iremos conversar com todos, todos irão participar nas negociações, assim como fornecedores e terceirizados”, concluiu.

5G

Com A Internet 5G de Fábio Faria milhões de brasileiros terão que trocar antena parabólica e pagar R$ 250 pelo novo kit

parabolica Com A Internet 5G de Fábio Faria milhões de brasileiros terão que trocar antena parabólica e pagar R$ 250 pelo novo kit

Depois de mais de um ano de intensos debates, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) definiu as regras do leilão para a oferta de banda larga móvel na tecnologia 5G.

Uma delas implicará que mais de 9 milhões de pessoas arquem com a compra de novos equipamentos de TV por parabólicas.

Em razão de interferências no serviço de transmissão para parabólicas (TVRO) por redes de 5G em uma das faixas (3,5 GHz), a Anatel decidiu que esse serviço audiovisual não poderá mais ser prestado como é hoje.

Outra opção discutida era a possibilidade de instalar filtros nas antenas para tentar mitigar a interferência. Essa solução acabou não sendo acolhida pela maioria dos integrantes do conselho da agência.

“Fizemos testes com 5G, um serviço adjacente do TVRO [transmissão por parabólicas], que usam entre 3,7 e 4,2 GHz. Constatou-se interferência do 5G no serviço de TVRO. O 5G respeita seus limites de transmissão, mesmo assim os receptores das parabólicas são muito ruins”, explica o superintendente de Outorgas e Recursos à Prestação da Anatel, Vinícius Karam.

Com isso, as transmissões deverão migrar para outra faixa, denominada banda KU. As faixas são as “avenidas no céu” por onde passam os sinais de radiodifusão, como TV, rádio, satélite e telefonia celular.

Hoje, a Anatel estima 20,7 milhões de lares que têm TV por parabólica, sendo 17 milhões de parabólica por sinal aberto (o restante tem TV por assinatura).

Desses, 8,3 milhões estão no cadastro único e terão a migração custeada a partir dos recursos arrecadados com o leilão. Outros 9,2 milhões terão de trocar os equipamentos com seus recursos. A previsão da Anatel é que o kit instalado custe R$ 250.

5G » Leilão

Leilão do 5G prevê criação de rede privativa criptografada para o governo federal

O Ministério das Comunicações (MCom) estabeleceu as diretrizes para o edital do leilão das frequências do 5G, a quinta geração de comunicação móvel. Uma das determinações é a criação de uma rede privativa, de alta segurança e criptografada, para a comunicação entre os órgãos da administração pública federal.

A portaria foi publicada ontem (29) em edição extra do Diário Oficial da União e deve ser seguida pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que coordenará o processo. A previsão é de que o leilão aconteça ainda no primeiro semestre deste ano.

A rede privativa, chamada de Rede Segura, deverá chegar a todo o território nacional com infraestrutura de cabos de fibra ótica, complementar à rede de governo existente, e através de uma rede móvel no Distrito Federal. Nesse último caso, algumas faixas de frequência deverão atender as atividades de segurança pública, defesa, serviços de socorro e emergência, resposta a desastres e outras atribuições críticas de Estado, incluindo as realizadas por entes federados, bem como para atendimento aos órgãos públicos federais.

“Para que isso ocorra, a portaria elenca regras mais rígidas que limitam o perfil dos equipamentos que irão compor a rede privativa. A ideia é promover mais segurança para o tráfego de dados e de informações estratégicas do governo. As empresas que fornecerão equipamentos para essa rede precisam ter padrão de transparência e governança corporativa compatíveis com os exigidos no mercado acionário brasileiro”, explicou o MCom, em comunicado.

Critérios

Além disso, a portaria determina que cidades, vilas, áreas urbanas isoladas e aglomerados rurais com população superior a 600 habitantes, ainda desassistidos de internet, serão atendidos com banda larga móvel em tecnologia 4G ou superior. De acordo com o MCom, a medida deve beneficiar cerca de 18 mil localidades e atender a mais de 8,8 milhões de brasileiros.

A portaria regulamenta ainda que todas as rodovias federais devam receber, de forma obrigatória, o sinal 4G ou superior. Além disso, prioriza as BR-163, BR-364, BR-242, BR-135, BR-101, BR-116. “Ao todo, são mais de 48 mil quilômetros de estradas que ainda não possuem nenhuma cobertura móvel”, diz o comunicado.

Além das medidas para a banda larga móvel, os recursos do leilão deverão custear a implantação de 12 mil quilômetros de cabos de fibra ótica subfluvial. A estrutura será instalada em leitos de rios como o Rio Negro, o Rio Solimões e o Rio Amazonas. O projeto Norte Conectado abrange cerca de 13 mil quilômetros de cabos de fibra óptica, totalizando um investimento de R$ 1,2 bilhão e, segundo o MCom, deve beneficiar mais de 9,5 milhões de pessoas, sendo 1,7 milhões de alunos da rede pública de ensino em todo país.

Entre outras diretrizes, o documento prioriza, ainda, o atendimento de rede por fibra ótica de altíssima velocidade a municípios das regiões Norte e Nordeste do país que ainda não possuem esse tipo de cobertura, bem como municípios que constam nas rotas de integração nacional do Ministério do Desenvolvimento Regional.

As operadoras vencedoras do leilão também deverá oferecer serviço de roaming obrigatório, quando uma linha de celular é ativada fora da área de cobertura e precisa de outra rede, que não a da sua operadora, para ser utilizada.

O edital do leilão deverá definir prazos para a ativação desses serviços nas faixas licitadas. Se não forem cumpridos, elas serão disponibilizadas para outras empresas, com garantias de proteção.

TV aberta

A portaria publicada nesta sexta-feira também define critérios para a proteção dos usuários que recebem sinais de televisão aberta e gratuita por meio de antenas parabólicas na Banda C Satelital. De acordo com o texto, a Anatel deverá estabelecer medidas de melhor eficiência técnica e econômica para solucionar interferências prejudiciais identificadas sobre serviços fixos por satélite em operação na Banda C. Nesse caso, a solução adotada poderá envolver a digitalização e migração dos sinais recebidos pela população para outra faixa de radiofrequência.

Assim, a agência deverá adotar arranjo de frequência que favoreça a convivência harmônica entre os sistemas, o proveito social proporcionado pelos serviços ofertados e o aproveitamento de ganhos de escala visando à inclusão digital. Nesse sentido, caberá à Anatel realizar estudos sobre a disponibilização da Banda C Satelital, total ou parcialmente, para a prestação de serviços de telecomunicações de suporte à banda larga.

Últimos Eventos

21/09/2019
São Vicente/RN
03/03/19
Master Leite
06/05/18
Parque Dinissauros - Povoado Sto Antonio (Cobra)
Março 2017
Aero Clube

Mais eventos

Jornal Expresso RN

Baixar edições anteriores

Curta Jean Souza no Facebook

Siga Jean Souza no Instagram

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design por: John Carlos
Programação por: Caio Vidal
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!